Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Ser de esquerda dá trabalho

por josé simões, em 07.11.19

 

orelhas de burro (2).jpg

 

 

António Costa, artista da rádio e da televisão, a enaltecer os méritos e a virtude de trabalhar de borla... err... do voluntariado e a dar como exemplo o ministro da educação na Expo 98 e os milhões que gera para os bolsos do Cosgrave, do Covões, do Montez, e da Medina filha, as outras Expos privadas desta vida. Muito bom. Trabalhar de borla. Um gajo de esquerda. Que se diz de esquerda. Não lhe ocorreu dar a Festa do Avante! como exemplo. Fica para a próxima. E os estagiários, uns porque estão habituados ao "voluntariado", outros porque estão habituados a deixar o cérebro em casa, caladinhos de microfone esticado e sorriso imbecil na cara. Ser de esquerda dá trabalho.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Web sumiço

por josé simões, em 04.11.19

 

fans-of-osmonds-chris-djukanovic.jpg

 

 

Esta histeria coisa no século XXI da Web Summit mais dez em Lisboa Portugal são os anos 60 e 70 do século passado com os países do norte da Europa nos têxteis, com as marcas pré-globalização, na indústria do norte do país pelos baixos salários e incentivos ficais dados pelo Estado. Antes pelo contrário, espero que finados os dez anos negociados a Summit leve sumiço daqui para fora e não fique por aqui mais cinquenta.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Silly season my ass!

por josé simões, em 20.08.18

 

gesto (1).jpg

 

 

A direita radical finge não perceber a diferença entre liberdade de expressão e dar palco, principalmente quando o dar palco permite às "tropas SA", do género Marine Le Pen, dizerem em público aquilo que a direita radical só se atreve a pensar em privado mas que tem o condão de causar o "choque e pavor" nas massas, elas não matam mas moem, e que permite a aceitação de medidas cerceadoras dos direitos e garantias, em nome da segurança e da liberdade, uma vez a direita radical chegada ao poder. Silly season my ass!

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A propósito do jantar "web summita" no Panteão Nacional

por josé simões, em 12.11.17

 

_web summit.jpg

 

 

web summit.jpg

 

 

A propósito do jantar "web summita" no Panteão Nacional e, quando em tom de brincadeira, se diz que a direita neo-liberal, se puder e der dinheiro, até vende a própria mãe:

 

           A mim parece-me bem.

 

           Privatize-se Machu Picchu, privatize-se Chan Chan,
           privatize-se a Capela Sistina,
           privatize-se o Pártenon,
           privatize-se o Nuno Gonçalves,
           privatize-se a Catedral de Chartres,
           privatize-se o Descimento da Cruz,
           de Antonio da Crestalcore,
           privatize-se o Pórtico da Glória
           de Santiago de Compostela,
           privatize-se a Cordilheira dos Andes,
           privatize-se tudo, privatize-se o mar e o céu,
           privatize-se a água e o ar, privatize-se a justiça e a lei,
           privatize-se a nuvem que passa,
           privatize-se o sonho, sobretudo se for diurno
           e de olhos abertos.

 

          E, finalmente, para florão e remate de tanto privatizar,
          privatizem-se os Estados, entregue-se por uma vez
          a exploração deles a empresas privadas,
          mediante concurso internacional.
          Aí se encontra a salvação do mundo…

 

          E, já agora, privatize-se também
          a puta que os pariu a todos.

 

José Saramago in Cadernos de Lanzarote – Diário III. Lisboa: Editorial Caminho, 1996

 

 

 

 

O triunfo da imbecilidade

por josé simões, em 08.11.17

 

bardot_getty images.jpg

 

 

Um dia, num painel de uma conferência em que eu participava, alguém disse: estás linda hoje. São estas pequenas agressões que não podem acontecer no teu local de trabalho

 

[Imagem]

 

 

 

 

As coisas que a gente aprende no Twitter da direita radical

por josé simões, em 07.11.17

 

homer.jpg

 

 

Que o Web Summit, de evento que ia colocar Portugal no "topo do mundo tecnológico", de "mudança estrutural fundamental", de grande vitória da "diplomacia económica" de Paulo Portas e de Leonardo Mathias, de Miguel Frasquilho à frente do AICEP, do grande empurrão à hotelaria e turismo, da projecção de Portugal e Lisboa na aldeia global, para histeria sem precedentes num pavilhão em Lisboa, o nacional-parolismo com os socialistas na primeira fila.

 

Que em 2014 o surto de legionella em Vila Franca de Xira não tinha nada a ver com a revogação pelo Governo PSD/ CDS no ano anterior da Lei  da verificação obrigatória da qualidade do ar em edifícios públicos, verdadeira "gordura do Estado", que bastava cumprir as normas, e daí o chumbar do projecto de resolução apresentado pelo Bloco de Esquerda para reintroduzir as normas revogadas, para em 2016  ser importante saber se as normas estão a ser cumpridas, que o ministro da Saúde deve uma palavra aos portugueses, que o Governo socialista ainda não repôs a norma revogada pelo Governo PSD/ CDS e cuja reintrodução proposta pelo Bloco de Esquerda foi chumbada no Parlamento pelas bancadas do PSD e CDS, reintroduzida em 2016 com os votos contra do PSD e do CDS.

 

As coisas que a gente aprende no Twitter da direita radical, a desonestidade, intelectual e política, ou como a direita radical quando não tem mais nada em que morder morde nos seus.

 

[Imagem]