Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Os donos da democracia

por josé simões, em 31.05.22

 

o grande ditador.JPG

 

 

Orbán, o homem de mão de Putin dentro da União Europeia, crescido e engordado pelo Partido Popular Europeu, da direita dona da democracia. Anos a fio com o comunismo, Cuba e a Venezuela, o esquerdismo e o 25 de Novembro, o totalitarismo comunista, rebéubéu pardais ao ninho, enquanto engordavam Orbán. Agora estamos reféns do Putin, pelas posições do camarada húngaro, e os donos da democracia nem um pio.

 

Anos a fio com a independência da magistratura, a separação dos poderes, o primado do direito e o respeito pelos direitos humanos, enquanto na Hungria, mesmo debaixo dos doutos e democráticos narizes, Orbán limpava o rabo a isso tudo e ainda à independência da comunicação social, para agora se ensaiar dentro de portas uma "via GOP" na tomada por dentro do Constitucional, com a indicação, pelos pares da direita dona da democracia, de um fanático que defende a punição do mensageiro - a comunicação social, no caso de fugas ao segredo de justiça, e cita como fonte científica experiências levadas a cabo pelos nazis em campos de concentração, tudo isto explicável e desculpável ao abrigo do princípio da "liberdade de expressão".

 

A direita, dona da democracia, tem um problema com a democracia.

 

 

 

 

A Hungria aqui tão perto

por josé simões, em 28.05.22

 

Orban.jpg

 

 

Um juiz Orbán para o Tribunal Constitucional. A direita, dona da liberdade, tem um problema com a liberdade.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O Supremo Irresponsável da Nação

por josé simões, em 15.02.22

 

Cabot Cove.jpg

 

 

O prémio "Supremo Irresponsável da Nação", a atribuir ex aequo ao Partido Socialista, ao Bloco de Esquerda e ao Partido Comunista, pelo fechar de olhos e encolher de ombros aos 157 205 votos do Círculo Eleitoral da Europa deitados para o lixo numa descarada falta de respeito pelos cidadãos portugueses a residir e a trabalhar no estrangeiro, fugidos de Portugal vítimas da política e acção governativa, para o caso dos vários governos PS, é atribuído no fechar da contagem ao candidato presidencial de António Costa, Ferro Rodrigues, e Partido Socialista, eleito Presidente da República, pelo aparte  “É uma lição para os partidos”, que é como quem diz, esteve a chover e eu [ele], administrador do condomínio, passei pelos intervalos da chuva, porque “Parti do princípio que o Tribunal Constitucional não decidia anular as eleições” quando devia ter partido do princípio que em democracia todos os votos e todas as pessoas contam. “Está decidido! É a democracia a funcionar“, mesmo que tenha funcionado contra aminha [sua] vontade, por omissão e ausência.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 13.10.21

 

trapezista.jpg

 

 

Depois de descoberto, e com o nome na praça pública, depois de se saber que cometeu crime de falsas declarações, que dá pena de prisão, "Morais Sarmento, vice-presidente do PSD, corrige declaração de rendimentos e património no Tribunal Constitucional". Andava nas gavetas à procura de uma esferográfica Bic para assinar umas papeladas e foi dar com a escritura de um hotel e de uma escola de mergulho em Moçambique de que já nem se lembrava que era proprietário e, como uma coisa leva a outra, lembrou-se também de que era titular de uma conta offshore, o saldo vem por e-mail e foi parar à caixa Spam. Para limpar a imagem, e na contenção de danos, conta com os prestimosos serviços do grupo de imprensa do militante n.º 1, que ainda não encontrou a prometida lista de jornalistas avençados do BES de Ricardo Salgado nos papéis do Panamá, vai para 6 - seis - 6 anos. Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Tão simples quanto isto

por josé simões, em 16.09.21

 

TC.jpg

 

 

O voto vencido de Mariana Canotilho.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Do prestígio

por josé simões, em 15.09.21

 

Whitley Bay, 1978 Markéta Luskačová.jpg

 

 

Por exemplo, já um professor passar décadas com a casa às costas, todos os anos a saltitar de cidade em cidade ou de vila em vila, sem receber qualquer subsídio de habitação como os meritíssimoo juízes, é bastante prestigioso para a classe e para a educação no país, para não falar na estabilidade emocional e profissional e tudo o que vem por arresto, como, também por exemplo, a constituição de família.

Outra coisa bastante prestigiante, e que gera confiança na população, é um tribunal legalizar um partido pejado de fascistas com assinaturas falsas.

Desprestígio é numa democracia europeia do século XXI um tribunal ser alocado onde o povo, por interposta pessoa o poder político por si eleito, achar que ele deve estar.

 

Tribunal Constitucional opõe-se a deslocação "desprestigiante" para fora de Lisboa

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Se isto é um Presidente...

por josé simões, em 15.07.21

 

Wile E. Coyote and the Road Runner.jpg

 

 

É discutível, juridicamente certamente perdi, politicamente acho que ganhei

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Quando o Presidente católico tira o Sábado de Aleluia para gozar com os portugueses

por josé simões, em 03.04.21

 

Rooney Mara As Mary Magdalene Smoking A Cigarette

 

 

"Salvação preventiva de orçamentos". Quando o Presidente católico tira o Sábado de Aleluia para gozar com os portugueses.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

É o que temos

por josé simões, em 01.04.21

 

Marcelo.jpg

 

 

Acordamos com as primeiras páginas "Costa enfrenta Marcelo", "Costa desafia Marcelo", lá dentro, no Público, "Costa não obedece a Marcelo" [verdade] quando, independentemente da urgência e da justeza dos apoios por que esperam 130 mil desesperados compatriotas nossos com a corda na garganta e um túnel ao fundo da luz, isso será julgado no dia das eleições, a verdade é que "Marcelo enfrentou a Constituição", "Marcelo desafiou a Constituição", "Marcelo não obedece à Constituição" que juro defender e fazer cumprir. Estas seriam as letras gordas, verdadeiras, a ilustrar primeiras páginas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

O fascismo por ele próprio

por josé simões, em 29.03.21

 

Miguel_Primo_de_Rivera.jpg

 

 

O Chaga convocou uma manif junto ao Tribunal Constitucional como forma de pressionar os juízes, zeladores da Constituição da República, caso sejam chamados a pronunciar-se sobre a ilegalização do partido à luz do livro. Nos fascismos, onde não há separação de poderes, estas questões não se colocam porque os juízes decidem o que convém ao regime, num Estado de direito democrático este tipo de coacção é inaceitável e se calhar até devia pesar na balança de uma eventual pronunciação.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

É absolutamente espantosa a noção que o PS tem de democracia parlamentar

por josé simões, em 28.02.20

 

anibal_cavaco_silva.jpg

 

 

O Parlamento bom, o que permitiu ao Partido Socialista tendo perdido as eleições governar durante toda uma legislatura, a mui famosa 'Geringonça', para grande espanto da direita que, em quarenta anos de democracia, foi obrigada a aprender um conceito novo: democracia parlamentar constitucional, é afinal o Parlamento mau, o que chumba as propostas do PS, sem maioria absoluta no hemiciclo, levadas a votação sem previamente falar com as outras forças parlamentares.

 

É absolutamente espantosa a noção que o PS tem de democracia parlamentar. "É absolutamente espantoso que o Parlamento bloqueie o funcionamento de outras instituições". Agora imaginem que o Partido Socialista tinha maioria absoluta.

 

Deixem o PS trabalhar!

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 26.02.20

 

Achille Zavatta.jpg

 

 

Andei 40 anos a preparar-me para ser juiz do Tribunal Constitucional

 

[Imagem]

 

 

 

 

Para memória futura

por josé simões, em 23.07.19

 

 

 

Para memória futura a lista da vergonha com os nomes dos deputados eleitos pelo PSD e pelo CDS, e um pelo PS, que pediram ao ao Tribunal Constitucional a fiscalização de medidas sobre identidade de género no ensino:

 

               Miguel Morgado

               Fernando Negrão

               Nilza de Sena

               Bruno Vitorino

               Maria Luís Albuquerque

               Leonel Costa

               Joel Sá

               António Topa

               Emília Cerqueira

               José Carlos Barros

               Carla Barros

               Luís Leite Ramos

               Hugo Soares

               José Matos Rosa

               Luís Vales

               Filipe Anacoreta Correia

               Carlos Silva

               Cristóvão Crespo

               Emília Santos

               Germana Rocha

               António Costa da Silva

               Conceição Bessa Ruão

               Duarte Pacheco

               Paulo Neves

               Vânia Dias da Silva

               Hélder Amaral

               Sandra Pereira

               João Almeida

               Emídio Guerreiro

               Helga Correia

               Pedro Mota Soares

               Inês Domingos

               Cristóvão Norte

               António Ventura

               Susana Lamas

               Manuel Frexes

               Rui Cruz

               Andreia Neto

               Ilda Araújo Novo

               Isaura Pedro

               Luís Marques Guedes

               Carlos Abreu Amorim

               Carlos Páscoa

               Bruno Coimbra

               Clara Marques Mendes

               Rui Silva

               José António Silva

               Jorge Paulo Oliveira

               Sara Madruga da Costa

               Berta Cabral

               Ricardo Batista Leite

               Amadeu Albergaria

               António Carlos Monteiro

               Liliana Silva

               Fátima Ramos

               Isabel Galriça Neto

               Pedro Roque

               Sérgio Azevedo

               Ana Sofia Bettencourt

               Ana Oliveira

               Patricia Fonseca

               Marco António Costa

               Ulisses Pereira

               Maria das Mercês Borges

               Paulo Rios de Oliveira

               Ângela Guerra

               Regina Bastos

               Firmino Pereira

               Pedro Pinto

               Telmo Correia

               Nuno Serra

               Maurício Marques

               Manuela Tender

               Feliciano Barreiras Duarte

               Duarte Marques

               Pedro do Ó Ramos

               Luís Pedro Pimentel

               Joana Barata Lopes

               João Rebelo

               João Gonçalves Pereira

               Carlos Peixoto

               José de Matos Correia

               Pedro Pimpão

               Álvaro Castelo-Branco

               Miranda Calha

 

[Imagem "Federico Fellini on the set of Satyricon" phorographed by Mary Ellen Mark, 1969]

 

 

 

 

Uma amnistia chamada esquecimento

por josé simões, em 17.07.18

 

 

 

Tribunal Constitucional deixa prescrever multas a partidos e políticos

 

 

 

 

Velhos tiques

por josé simões, em 16.03.17

 

 

 

[Daqui]