Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 25.03.19

 

telegraph.jpg

 

 

A primeira página do The Daily Telegraph.

 

 

 

 

|| Newspaper Front Page of the Century

por josé simões, em 07.05.11

 

 

 

 

 

(Via)

 

 

 

 

 

 

 

|| Guerilla Gardener

por josé simões, em 15.04.09

 

A actividade é ilegal e punida por Lei, e as origens remontam aos Diggers, movimento socialista, que na Inglaterra  do século XVII reclamava o direito ao cultivo das terras. Actuam pela calada da noite, armados de pá e ancinho, para plantar flores nos espaços públicos abandonados, ou nos mais inusitados. E têm sítio na web.

 

«The secret life of the 'guerilla gardener'»

 

 

Das Kapital versão Manga

por josé simões, em 18.11.08

 

 

Dizem eles que é o reflexo do aumento do trabalho temporário, da erosão do sistema financeiro, dum autêntico boom em filiados no Partido Comunista do Japão e de um revivalismo de literatura anti-capitalista. Confusos? Eu já estou por tudo.

 

«Das Kapital, the manga version, is due to hit bookstores across Japan next month with its complex ideas ambitiously repackaged into digestible comic format.»

 

Outras coisas que eu gostava de ler em Manga comics: A Riqueza das Nações de Adam Smith e A Cidade de Deus de Santo Agostinho. (Já estou a esfregar as mãos).

 

 

 

 

A “untouched Atlantic Coast”

por josé simões, em 29.01.08

 

 

 

O Telegraph on-line tem desde ontem na primeira página, na Picture Galleries, uma entrada intitulada “The best of Portugal” que por sua vez linka para um “Portugal 2008: holiday planning guide”.
 
À parte sermos mais competitivos que a Espanha no que realmente conta para qualquer bife que se preze, cervejeiramente falando (não sei se existe o termo): uma Heineken por uma libra contra uma e noventa dois pis aqui ao lado; e no regime de pensão completa: 23. 06 libras aqui, para 46. 13 libras em Espanha; o que salta à vista são as imagens seleccionadas para ilustrar a “brochura”.
 
Com excepção dum interior de hotel, e de um hotel artisticamente encarrapitado numa arriba, são imagens, não digo do tempo de Salazar, mas talvez do tempo de Marcello Caetano. Do tempo em que no Algarve pouco mais havia que algarvios; em que o vinho do Porto era transportado nos barcos Rabelos; um país de humildes casinhas de xisto com roupa a esvoaçar nos estendais e onde os velhos, à falta de melhor, passam os dias a jogar às cartas nas proas dos barcos.
 
Um país com uma “untouched Atlantic Coast”; esperem aí até levarem com os PIN’s
 
Um país onde “many resorts have on-site nannies and all-day activity clubs for children so parents can relax in the spa or play golf”; se os pais da Maddie não fossem burros…
 
Não sei porque é que insistimos em gastar milhões para promover campanhas West Coast; não sei porque é que avançamos alegremente para a destruição de tudo o que resta na “untouched Atlantic Coast” à sombra dos PIN’s; aliás até sei… estava a lembrar-me das declarações do bastonário da Ordem dos Advogados
 
O que “eles” querem não é isso. E para lhes darmos o que querem, damos-lhes fotos dum tempo “antes do tempo”. Andamos a enganar-nos a nós próprios; andamos a enganá-los a eles. Só que o nosso engano trás consequências. Irreversíveis.
 
 

Nazi sticker albums go under the hammer

por josé simões, em 23.01.08

 

“Collecting cigarette and tea cards was the norm for British children in the Second World War, but in Germany children were collecting something more sinister - Nazi sticker books.
 
Three of the sticker albums from the 1940s have been discovered and show that German children were being fed Nazi propaganda from a young age and enjoyed getting the latest sticker of Hitler and his henchmen to add to their collection.”
 
(Continua aqui)
 
 

Hookers for Jesus

por josé simões, em 20.01.08

 

“Annie Lobert and Heather Veitch used to walk the streets of Las Vegas looking for customers as $500-a-day prostitutes, but now the peroxided double act patrols the streets in their countour-hugging outfits and surgically-enhanced breasts with a different mission - to save souls.”
 
“Sporting strategically-placed messages on their tight black T-shirts, the born-again Christians target their former colleagues in the sex industry
 
The pair, who have become internet sensations with their YouTube video series Saving Sex City and popular MySpace pages, brought their message to Las Vegas' annual Adult Entertainment Expo”
 
 
 
 
 

Perfect playlist: Were these the 10 best songs of the '80s?

por josé simões, em 14.01.08

 

O britânico Telegraph elaborou aquela que considera a “perfect playlist” dos anos 80.
Nestas coisas de música, cinema, livros, etc., etc. de “os melhor de”, como é sabido “cada cabeça sua sentença”, mas, e apesar disso, esta lista para mim é muito manhosa; que critério ou critérios estão na base da elaboração das “the 10 best songs of the '80s” que deixam de fora, por exemplo, os The Smiths, a banda que a seguir aos The Beatles melhor interpretou o conceito pop music?
 
“From The Human League's shimmering synth pop to the strutting funk of Prince, it was a decade dripping with style. Mark Monahan picks 10 classic moments.”
 
(A playlist e o respectivo download aqui)