Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Conta-me como foi

por josé simões, em 30.12.16

 

manif tsu.jpg

 

 

Ainda sou do tempo da maior manifestação desde o 1.º de Maio de 1974, contra a intenção do Governo da direita radical – PSD/ CDS, de aumentar a Taxa Social Única [TSU] dos trabalhadores e baixar a dos patrões.


OE vai pagar descida da TSU das empresas


[Na imagem «A UGT rejeita "qualquer medida que retire fontes de receita da Segurança Social"»]

 

 

 

 

||| Confuso

por josé simões, em 08.01.16

 

 

 

No tempo do Governo de direita, PSD/ CDS, a isto chamava-se descapitalização da Segurança Social, emprego subsidiado, o trabalhador colaborador a cobrir a mais-valia do patrão empresário, salário mínimo subvencionado, a Concertação Social como uma espécie de Câmara Alta do Parlamento. Agora não sei...

 

 

 

 

||| O[s] Verdadeiro[s] Artista[s]

por josé simões, em 17.04.15

 

circus.jpg

 

 

O CDS apoia o corte de 600 milhões de euros nas pensões porque «há um problema de sustentabilidade do sistema de pensões» e porque o CDS é favorável à descida da TSU, com a luz verde e irrevogável de Paulo Portas, sem custos para o utilizador os trabalhadores, o que faz toda a diferença, olarilas, a descapitalização da Segurança Social não é tida nem achada, olarilas mais uma vez, e porque os jovens não descontam porque no país da retoma e do milagre económico e do exemplo para a Europa e para o mundo emprego não existe, quanto mais trabalho, e porque os que que descontam fazem-no nos países de destino, para onde emigraram, e porque como ninguém desconta voltamos outra vez ao princípio que é a descida da TSU sem custos para o utilizador os trabalhadores e porque uma maioria absoluta não chega para levar a cabo tão hercúlea e patriota tarefa é preciso um consenso alargado na forma de um «compromisso com o principal partido da oposição» - o PS, para que a culpa tenha marido e não morra solteira. São demasiados "porque" para um partido de pantomineiros – o CDS, propriedade de um pantomineiro – Paulo Portas.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Da encenação

por josé simões, em 02.05.14

 

 

 

«Paulo Portas anuncia que Portugal passou na 12.ª e última avaliação ao programa de ajustamento.

 

O Governo vai reunir-se em Conselho de Ministros no domingo ao final da tarde para formalizar o modelo de saída do programa de resgate financeiro.»

 

[Imagem]

 

[O pormenor de, no linguajar de Passos Coelho e Paulo Portas, ontem as pensões eram despesa do Estado, ideia difundida e papagueada por toda corte de aios e escudeiros na comunicação social e de hoje, por causa dos aumentos, que são "para proteger a sua pensão amanhã, não é para a despesa do Estado". É o "chamar a atenção para o que é que as coisas servem"]

 

 

 

 

 

 

|| Este inteligente, senhor, senhor inteligente, já foi demitido…

por josé simões, em 29.09.12

 

 

 

…Ou continua a ser pago principescamente pelos impostos dos contribuinte para fazer o trabalho sujo de um ministro não nomeado e que escapa ao escrutínio dos cidadãos?

 

Auto-golo atrás de auto-golo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Assim à primeira vista…

por josé simões, em 24.09.12

 

 

 

Podemos concluir duas coisas:

 

     - Os patrões, quer dizer, os empresários, preocupam-se com a saúde dos trabalhadores, quer dizer, dos colaboradores, e querem que deixem de fumar;

     - Os donos das tabaqueiras não são sócios do sindicato dos patrões, quer dizer, do sindicato dos empresários, quer dizer, da Confederação da Indústria Portuguesa.

 

«A Confederação da Indústria Portuguesa (CIP) quer manter o corte de 5,75% da taxa social única (TSU) paga pelas empresas e, para compensar esta redução, vai propor o aumento em 30% do imposto sobre o tabaco.»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| As coisas que a gente aprende com as reuniões do Conselho de Estado

por josé simões, em 22.09.12

 

 

 

Horas antes do final da reunião do Conselho de Estado o Expresso conseguiu fechar a edição com… as conclusões da reunião do Conselho de Estado. É fazer as contas, que é como quem diz, encaixar as pessoas nos seus lugares. Comparado com isto, as fugas de informação em segredo de justiça para as primeiras páginas do Correio da Manhã, é limpar o cu a meninos.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Relatório e Contas. Resumo da Semana

por josé simões, em 22.09.12

 

 

 

[Via]

 

 

 

 

 

 

|| O estado da Nação

por josé simões, em 20.09.12

 

 

 

Pedro Passos Coelho garante confiar em Miguel Relvas que, por sua vez, garante confiar em Paulo Portas. Se ao menos houvesse um Estatuto dos Açores a interromper o retiro do senhor Presidente da República nas paredes do Facebook, ainda antes da primeira-dama começar a montar os presépios em Belém…

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Notícias de antes do dia 25 de Novembro de 1975

por josé simões, em 20.09.12

 

 

 

Um Governo de perfeitos incompetentes e ideologicamente obcecados, consegue, em um ano e picos, unir patrões e sindicatos, o RALIS e os Comandos da Amadora. A verdadeira união nacional. Parabéns!

 

[Jaime Neves na imagem]

 

 

 

 

 

 

|| A aldeia da roupa branca

por josé simões, em 20.09.12

 

 

 

«PSD convida CDS a renovar apoio ao acordo de coligação»

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

|| A Grande Batalha da Produção

por josé simões, em 17.09.12

 

 

 

«A proposta irá constar do pacote de alterações que o PSD apresentará na altura da discussão do Orçamento do Estado na especialidade.»

 

[Na imagem cartaz chinês de propaganda, "Supplying good quality products, serving people with all my heart"]

 

 

 

 

 

 

|| A Voz do Povo

por josé simões, em 17.09.12

 

 

 

Ouvido ao balcão do café: "O segredo da 3.ª temporada da Casa dos Segredos é um concorrente que percebe e sabe explicar as alterações à Taxa Social Única".

 

 

 

 

 

 

|| Em modo bombeiro

por josé simões, em 16.09.12

 

 

 

Primeiro estão as pessoas, depois os bens e, por fim, a floresta. Fungou. Com patriotismo. Fungou. Com "sentido de Estado". Fungou. Mais patriotismo. Fungou. Podia ter-se assoado à gravata que ninguém reparava nem tinha vergonha alheia. No final o speaker teria dito, “senhoras e senhores, meninos e meninas, bem-vindos ao Circooooo Cardinaliiii” e ninguém teria levado a mal. Paulo Portas pariu um Paulo Portas. Patético.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Um dia como outro qualquer

por josé simões, em 16.09.12