Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Tess Asplund é o nome da senhora

por josé simões, em 04.05.16

 

Tess Asplund, Sweden.jpg

 

 

Tess Asplund.jpg

 

 

Tess Asplund_.jpg

 

 

"Tess Asplund, 42, stepped out in front of 300 Nazis marching through the city of Borlange, Sweden, and faced its leaders with her fist in the air"

 

 

 

 

 

 

 

Europa, 2014

por josé simões, em 01.02.14

 

 
 

 

 

[Carl Bildt explica]

 

 

 

 

 

||| A extrema-direita de gravata e cabelo à betinho

por josé simões, em 03.12.13

 

 

 

Ainda que com outros predicados, a argumentação, na sua essência, é a mesma da dos carecas de Doc Martens, envolta num papel de embrulho neoliberal e respeitadora das instituições e da legalidade democrática. Há os ideólogos e há a tropa de choque. Sempre houve.

 

A imigração que contribuiu para que a Suécia fosse ultrapassada por Portugal no Pisa 2012 não é a mesma imigração, a do boom, que nos mesmíssimos anos Portugal recebeu, por via das obras públicas e dos estádios do Euro e das pontes e barragens e da Expo e etc., os tais empregos para moldavos e brasileiros de Manuela Ferreira Leite, e que contribui para que Portugal ultrapassasse a Suécia no Pisa 2012. Os nossos imigrantes não faziam filhos. Ou se os faziam não os punham na escola, vá lá. E os imigrantes dos suecos gastavam o cheque-ensino em bebedeiras e em luxo ocidental.

 

Arame farpado para os que chegam e um barco de volta para os que estão, na Brigada Helena.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Cavaco Silva, o excelentíssimo economista sonso

por josé simões, em 03.10.13

 

 

 

À parte o confundir [deliberadamente?] a sustentabilidade da dívida com a "impossibilidade" do FMI e da Alemanha Comissão Europeia deixarem cair Portugal depois do exemplo Grécia, tudo normal, Cavaco Silva igual a si próprio.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

|| Entretanto na Suécia…

por josé simões, em 17.08.13

 

 

 

Porta da embaixada da Federação Russa [Detalhes]

 

 

 

 

 

 

|| O poder das marcas ou o mercado a funcionar

por josé simões, em 12.02.13

 

 

 

Uma multinacional sueca comercializa refeições congeladas, cozinhadas por uma empresa francesa numa fábrica no Luxemburgo, que contratou uma empresa cipriota para comprar a carne que, por sua vez, subcontratou outra na Holanda que fez a encomenda na Roménia.

 

Há quem ache isto normal, é o mercado a funcionar, dizem. Descontando a novidade de acontecer na Europa [costumava ser no Sudoeste Asiático e na América Latina], e descontando a parte do "quem se lixa é o consumidor", nesta cadeia tudo funciona correctamente e na perfeição, desde a desresponsabilização social das empresas, até à inexistência de vínculos contratuais, passando pelo aumento das mais-valias e pelos respectivos baixos salários para horários de trabalho "alargados" e sete dias por semana, mais a ausência de direitos e garantias para quem está no fim da escala da cadeia de produção. Resumindo, uma major, sueca, europeia, da Europa do Estado social, do ramo da alimentação, com lucros fabulosos para distribuir pelos accionistas e que, para todos os efeitos, só tem "meia dúzia" de funcionários nos seus quadros…

 

A Naomi Klein, que explicou tudo isto há muitos anos, sofreu um ataque cerrado dos paladinos do neo-liberalismo e do capitalismo desregulado e foi dada como louca e ignorante.

 

Há quem ache isto normal. Desculpem, mas não acho nada disto normal.

 

 

 

 

 

 

|| Bolsa de valores

por josé simões, em 06.10.11

 

 

 

#Facto. Nunca vi Tranströmer à venda na Feira da Ladra, ao contrário de Saramago que um dia antes do Nobel valia €1 e um dia depois €10.

 

[Também António Lobo Antunes começa o Auto dos Danados em Setúbal e não é por isso que é Prémio Nobel. Praise the Lord!]

 

 

 

 

 

 

|| A Democracia é fodida (pá!)

por josé simões, em 22.09.10

 

 

 

 

 

Seria interessante saber quantos destes seis mil democratas e multiculturalistas levantaram o rabinho da cama ou do sofá no dia das eleições e foram exercer um direito fundamental d(n)as democracias: votar.

 

(Imagem August 8, 1925, Dr. H.W. Evans, Imperial Wizard via National Photo Company Collection)

 

 

 

 

 

 

 

|| O prisioneiro nº.7

por josé simões, em 02.04.10

 

 

 

 

«The heroic story of Raoul Wallenberg is one of the most extraordinary to emerge from the horrors of the Holocaust»

 

 

 

|| Entretanto no coração da Europa

por josé simões, em 21.02.10

 

 

 

Islamofascismo e multiculturalismo uma combinação explosiva.

 

(Imagem)