Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O António Costa que se cuide

por josé simões, em 22.07.19

 

jn.jpg

 

 

Dizia na televisão um habitante do concelho de Mação que o fogo deste ano seguiu exactamente o mesmo trajecto seguido pelo fogo de 2017. Não é muito difícil prever qual vai ser o sentido do fogo no ano de 2021. E é assim de há vinte e tal anos a esta parte, desde que inventaram o "petróleo verde", que ia tirar as pessoas da miséria, sem nunca ninguém ter informado as pessoas que as pessoas que sairiam da miséria eram outras pessoas e que davam pelo nome de accionistas e proprietários das celuloses, enquanto o dinheiro dos nossos impostos anda em bolandas todos os verões para resgatar pessoas e bens vítimas do petróleo verde já que a bio-diversidade e o ambiente caminham irreversivelmente para a desertificação, a seguir à desertificação humana às mãos das más escolhas políticas.

Daí o interessante da sondagem saída hoje no Jornal de Notícias, um dia depois depois do presidente da Câmara de Mação ter vindo apontar o dedo ao Estado, ler "o Governo", pelo incêndio, o tal que faz exactamente o mesmo trajecto todos os anos em que há incêndios, e no dia em que o presidente da Câmara de Vila de Rei aparece a repetir o mesmo missal, o falhanço do Estado, ler "do Governo".É que daqui até às eleições de Outubro ainda há muito Verão pela frente e muita campanha suja  para fazer com préstimo impagável das televisões, todas no terreno sedentas de sangue e de miséria alheia.

 

 

 

 

#OperaçãoSantanaAoColo, Capítulo II

por josé simões, em 14.07.19

 

sondagem.jpg

 

 

Por alma de quem, por que cargas de água, a que propósito o nome do Doutor Santana Lopes aparece nesta equação?

 

#OperaçãoSantanaAoColo, Capítulo I

 

 

 

 

||| Pedagogia [continuação]

por josé simões, em 10.12.15

 

Lola Dupre.jpg

 

 

Por motivos que não cabem aqui neste espaço este último mês passei-o em casa a ver televisão, sobretudo a ver a televisão do militante n.º 1 – a SIC Notícias, principalmente o Opinião Pública, com os convidados do pensamento único dominante com lugar cativo, com as entrevistas e directos de rua, nunca mas nunca a sul do Tejo e com raríssimas excepções a partir do litoral urbano, com as entrevistas e directos dos/ nos institutos superiores de educação, politécnicos e universidades para dar uma caução de credibilidade erudita, como refere o leitor na caixa de comentários:


«A este propósito, é de referir as entrevistas de rua que se vão fazendo sobre a política nacional. Nomeadamente a estudantes do ensino superior de áreas diversas.


E aqui o que custa é ouvi-los falar de "tradição" em vez de constituição, de governos ilegítimos (este do PS) e do governo escolhido pela maioria do povo – o da PaF.


Dói ouvir estas opiniões de estudantes universitários. Mas dói mesmo.


Que professores têm? O que lhes foi ensinado? Onde está a curiosidade e o contraditório próprio destas idades?


São tão velhos e doentiamente mais conservadores do que os pais.


O que fizeram ao ensino universitário?
E aos ciclos anteriores?


A formatação deu resultados. Os exames também. A ênfase nas disciplinas estruturantes deu nisto. Os resultados quantitativos são o fim de tudo. O pensar não conta. Conta o empinanço e a sebenta.»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Pedagogia

por josé simões, em 10.12.15

 

União_Nacional_Flag.png

 

A direita a subir, a esquerda a subir e os inquiridos a dizerem "que Costa devia ter negociado à direita". A União Nacional 41 anos depois. Pedagogia precisa-se. E de noções básicas de democracia também. Educação.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Como diz o outro, espectáaaaac' lo!

por josé simões, em 18.09.15

 

 

 

O jornal e a televisão do militante n.º 1 a sondar para dia 4 de Outubro. Depois corrigiram e tal. "Menos um ponto. Subiu". Espectáaaaac' lo!


[E esta é a parte às vezes visível]

 

 

 

 

||| Pobres e mal agradecidos, é o que é

por josé simões, em 09.07.15

 

Zuerichs Strassen.jpg

 

 

Se, e segundo a agit-prop do Governo, Portugal é o país da União Europeia que mais cresce, se há mais empresas a abrir do que a fechar, o que não quer necessariamente dizer, e recorrendo a uma expressão cara a este Governo, empresas "a bombar", já que não nos é dito por quanto tempo é que as empresas abrem antes de tornarem a fechar e, como as empresas não podem falir ad eternum, tem de haver um ponto em que as empresas deixam de falir por já não haver mais "em stock" e portanto, a partir daqui, o saldo entre o deve e o haver só pode ser positivo, como e porque é que nos anseios do pagode para a nova legislatura surge, à cabeça, a criação de emprego pelo próximo executivo? Ou são pobres e mal agradecidos ou querem todos ter dois empregos para se empanturrarem em dinheiro, é o que é e só por si choca com a teoria vigente dos malandros do sul que não querem trabalhar.


[Imagem de Zuerichs Strassen]

 

 

 

 

||| Mitos urbanos

por josé simões, em 08.07.15

 

resposta.jpg

 

país.jpg

 

país_.jpg

 

prioridades.jpg

 

 

[Aqui]

 

 

 

||| O sentido de oportunidade do PCP nas moções de censura

por josé simões, em 26.05.14

 

 

 

E a clarividência política do Comité Central da Brigada Brejnev de Jerónimo de Sousa.

 

Mesmo que a sondagem não inclua o "fenómeno" Marinho e Pinto e o novo Livre de Rui Tavares, o Bloco-Lázaro-Central ressuscitado pelas mãos de Cavaco Silva, recuperado do abaixo de zero para onde os cidadãos o remeteram:

 

«Uma sondagem feita pela Intercampus para a TVI nas vésperas das eleições europeias tendo em vista as eleições legislativas dá uma escassa margem de quatro décimas de diferença entre o PS e o PSD. E mostra que PSD e CDS juntos valem mais dois pontos percentuais que o PS.»

 

A menos que o princípio orientador na Soeiro Pereira Gomes seja o "quanto pior [para o povo e para o país] melhor", na caminhada do PCP para ser Governo, quando os portugueses assim o entenderem, Jerónimo dixit. A menos?

 

[Imagem de Schekoldin]

 

 

 

 

 

 

||| Já paravam com estes testes à indigência cultural

por josé simões, em 11.04.14

 

 

 

As respostas a esta nova praga de sondagens sobre o melhor e do pior primeiro-ministro de sempre, o político que mais representa o 25 de Abril e a liberdade, foram dadas por aqueles que elegeram Salazar como o "Grande Português", que apontam Salgueiro Maia como o português no lugar não-sei-quantos do ATP World Tour e Marcelo Caetano como um capitão de Abril, certo?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| E onde é que está a notícia?!

por josé simões, em 09.02.14

 

 

 

É assim há pelo menos 600 anos [para ser simpático], a Igreja católica como obstáculo epistemológico. Eppur si muove, a Europa chegou até ao Anno Domini  2014.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

||| Imprensa falsa

por josé simões, em 03.02.14

 

 

 

«Ninguém no PS está assustado com nada...». «...muito menos o nosso Secretário-geral»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Os intervalos da chuva

por josé simões, em 26.04.13

 

 

 

«Com este resultado, o CDS é o segundo partido da oposição que mais reforça a sua posição eleitoral […]». Aqui, se entretanto não foi corrigido.

 

 

 

 

 

 

|| Portugal não é só teu

por josé simões, em 31.01.13

 

 

 

Parece que só 1/5 dos portugueses é que está disposto a ver o seu país retalhado e dividido entre os amigos do inteligente António Borges.

Parece que só 1/5 dos portugueses é que está disposto a ser educado pelo dô-tôr Miguel Relvas e sus muchachos.

Parece que só 1/5 dos portugueses é que não sabe o significado das palavras "público" e "privado".

Parece que a maioria dos portugueses não quer ser comido por parvo e aceitar e legitimar algo que não foi a votos.

 

Parece que 1/5 dos portugueses não se lembra da campanha "Portugal não é só teu", Pedros Passos Coelho e Paulo Portas incluídos.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| A gente até é levada a pensar que as sondagens da Pitagórica são feitas no restaurante do Gigi na Quinta do Lago

por josé simões, em 09.01.13

 

 

 

Mas depois a gente vai ler a pergunta colocada e vê uma manipulação grotesca das conclusões para compor o título da propaganda governamental "notícia". Não vai ser preciso muito engenho à Pitagórica para concluir que 50 e tal por cento dos funcionários públicos concordam com os cortes propostos pelo FMI para a Função Pública ou que mais de 50% dos utentes dos hospitais apoiam um aumento substancial das taxas moderadoras.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Sondagens e primeiras páginas

por josé simões, em 07.01.13

 

 

 

Não é que seja de todo surpreendente ver o PS de António José Seguro a descer nas sondagens, ele põem-se a jeito, como sói dizer-se. A surpresa é ver os dois partidos da maioria a subir. Mas como tenho um "problema" com a memória, não me consigo esquecer das coisas nem por nada…