Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Black Hawk Down

por josé simões, em 28.07.11

 

 

 

Outro dia alguém perguntava “o que podemos fazer para ajudar a Somália?”, talvez (re)ver o filme de Ridley Scott, digo eu.

 

«(...) controla pouco mais do que metade da capital incluindo as áreas do aeroporto e do porto (...)»

 

(Imagem)

 

 

 

 

 

 

|| Minaretes na Suíça

por josé simões, em 22.06.10

 

 

 

É proibido (des)fazer a barba.

 

 

 

 

|| Minaretes na Suíça

por josé simões, em 14.06.10

 

 

 

 

"Estávamos a ver o Alemanha-Austrália quando os milicianos deitaram a porta abaixo, começaram a disparar e a agredir-nos, até que alguns de nós desmaiaram, e depois prenderam-nos a todos"

 

 

 

|| Quando as mulheres são pecadores aos olhos dos extremistas

por josé simões, em 28.10.09

 

 

 

 

(Tradução minha)

 

A Somália está num aperto de caos e de fome, mas as autoridades andam a inspeccionar soutiens.

 

O interesse excessivo em encobrir os corpos das mulheres não se limita aos extremistas na Somália.

 

Na Somália o movimento Shabaab que controla grande parte do centro e sul do país, e porque os líderes deste movimento abraçaram a ideologia Wahabi, impôs a sua lei pela força aos somalis e emitiu decretos que proíbem estritamente filmes, peças de teatro, dançar em casamentos, jogos de futebol e todas as formas de música, mesmo a dos toques de telemóvel.

 

Há alguns dias esses extremistas realizaram uma estranha operação: prenderam uma mulher somali e chicotearam-na em público porque usava um soutien. Proclamaram claramente que usar soutien é “unIslamic” porque é uma forma de fraude e de engano.

 

Podemos muito bem perguntar o que é que usar soutien tem a ver com religião, por é que eles o consideram uma forma de fraude e do engano, e como é que eles conseguiram prender uma mulher que usava soutien quando todas as mulheres Somali saiem à rua com seus corpos totalmente cobertos. Foi nomeado algum agente especial do sexo feminino para inspeccionar os seios das mulheres que andam na rua? Uma mulher somali chamada Halima disse à agência de notícias Reuters: "Al Shabaab obrigou-nos a usar um tipo específico de véu e, agora, obriga-nos a soltar os peitos...”

 

«In fact this excessive interest in covering up women's bodies is not confined to the extremists in Somalia.»

 

 

 

|| Frente de Libertação (II)

por josé simões, em 13.04.09

 

Quando em Fevereiro escrevi o Frente de Libertação, meio a sério, meio a brincar, estava muito longe de pensar que os idiotas úteis iam mesmo aparecer, e logo nas páginas do insuspeito Independent.

 

Com resíduos nucleares e pesca ilegal à mistura, e uma Volunteer Coastguard of Somália, ignora que a resolução do problema está em terra e nos Estado falhado da Somália, numa miríade de senhores da guerra, tribos e bandos de fundamentalistas islâmicos.

 

«Pirates were the first people to rebel against this world»

 

Frente de Libertação

por josé simões, em 06.02.09

 

 

Aqui há uns tempos atrás tinha comentado com um amigo que a desgraça dos desgraçados dos piratas somalis tinha sido a sua ingenuidade, quando lhes passou pela cabeça fazerem-se ao mar para ganhar a vidinha.

 

Tivessem eles previamente arranjado uma bandeira, um símbolo e umas iniciais, qualquer coisa como FSL (Frente Somali de Libertação), lançado umas bocas contra o Imperialismo, o Neo-Colonialismo e o direito dos povos àquelas coisas todas que vêm nos livros, e neste momento tínhamos as ruas e avenidas das capitais europeias cheias de idiotas úteis gente, keffiyehs à roda do pescoço, em manifs de apoio, e contra a presença da força naval internacional nas aguas do Índico; força imperialista.

 

Parecia que estava a adivinhar. Já faltou mais para terem barraquinha na Festa do Avante!

 

Ingerências na Somália

por josé simões, em 29.12.06

Alguns blogs cá do sítio, ainda as tropas etíopes estavam a pensar se saíam ou não dos quartéis para pôr fim ao novo regime taliban que se anunciava para a Somália e, já clamavam por uma tomada de posição dessa entidade vaga que dá pelo nome de comunidade internacional, contra a invasão / ingerência nos assuntos internos de um país por outro, como se a invenção de mais um regime ditatorial e opressivo fosse assunto interno.

 

Agora que os etíopes chegaram a Mogadíscio, para um bocado à imagem do que o Vietnam já havia feito quando entrou no Cambodja para pôr um ponto final no regime sanguinário de Pol-Pot; importa ouvir a vox populi; Yusuf habitante de Johar, cidade a cerca de 90 kms da capital da Somália, hoje no Público a propósito da “invasão” e “ingerência nos assuntos internos” e “violação do direito internacional”:

 

“vamos poder novamente exprimir-nos, dançar, ouvir música e mascar livremente qat, sem nos arriscarmos a ir para a prisão ou até ser executados”.

 

A felicidade das pessoas é feita de coisas simples, que passam ao lado dos blogs…