Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O dissimulado

por josé simões, em 26.06.17

 

Rebecca Szeto.jpg

 

 

Que o Estado falhou. E que a falha do Estado foi colmatada pela "sociedade civil", esquecendo-se, o dissimulado, de referir que foi a "sociedade civil" sem qualquer apoio do Estado. Não só estragava a narrativa como inviabilizava o princípio ideológico de desmantelar e privatizar o Estado, nas sua função social, em benefício de determinada da "sociedade civil", continuando contudo o Estado a subsidiar com o dinheiro dos contribuintes com o álibi da "proximidade" de quem está no terreno.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Boas e más notícias

por josé simões, em 26.02.08

 

Boas notícias. Para a chamada sociedade civil.
Más notícias. Para o Governo e sindicatos; particularmente os ligados à CGTP.
 
Refiro-me à recente vaga de manifs convocadas por sms & e-mail. José Sócrates e o PS que não perceberam nada do milhão e tal de votos em Manuel Alegre; que não perceberam nada da candidatura de Helena Roseta a Lisboa; continuam sem nada perceber das recentes manifs de profs.
 
Cada vez mais as pessoas se revêem menos nos partidos e nos sindicatos. Há mais vida para além do “sistema”. E a culpa, de certeza, que não é das pessoas.
Sem querer ver o óbvio, o PS avança com a Teoria da Conspiração. Quem é que está por detrás das manifs e das assobiadelas, pergunta José Sócrates com cara de mau, e responde: “Os mesmos de sempre!”; leia-se o PC, a CGTP, a FENPROF. Estão lá todos, a assobiar e vaiar de cara destapada, mas não chega, tem de haver alguém por detrás; a organizar. A ideia que o primeiro-ministro do Governo de Portugal tem dos portugueses: carneirinhos organizados pelo lobo mau comunista…
 
A mesma Teoria da Conspiração que já não se aplica ao beijinho & bacalhau sorridentes, de cada vez (cada vez menos) que o primeiro-ministro é recebido em apoteose nalguma visita ou inauguração. Tudo isto dito com a maior das naturalidades, num partido em que, na noite da vitória eleitoral em Lisboa, foi possível identificar excursões da terceira idade a dar vivas a António Costa,  provenientes dos lugares mais recônditos de Portugal!
 
Post-Scriptum: quem também continua sem nada perceber é Luís Filipe Menezes. Agora cola-se à manif da FENPROF. Um apoio que, de certeza, a FENPROF dispensava. Lindo!
 
(Foto via Time Magazine)