Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 31.01.16

 

sasha+stone+clown.png

 

 

Um cata-vento que corre atrás do tempo novo do novo Presidente cata-vento sem perceber que o tempo acabou e que o vento mudou. A esquerda da direita e a direita da esquerda e bola ao centro. O homem tem um designío e uma missão na terra.


«Passos recandidata-se na quinta-feira a líder do PSD: "Não me vou reiventar. O país é que mudou"»


«Social-democracia, sempre!»


[Imagem]

 

 

 

 

||| A social-democracia e o socialismo democrático na Europa dos pequeninos

por josé simões, em 18.02.15

 

Luke_Chueh.jpg

 

 

Quando a direita, eufórica e ululante, aponta o dedo à Grécia e diz que os 18, por unanimidade, o que dá a exclusão da Grécia já como adquirida, impôs a continuação da austeridade ao Syriza, não ao Governo grego eleito em eleições livres e democráticas, e que entre esses unânimes 18 estão a França de François Hollande e a Itália de Matteo Renzi, que se reclamam do socialismo democrático e da social-democracia, isso significa o quê, a máxima de António Costa e que o há-de perseguir até ao fim dos dias da sua vida, «Não tenhamos dúvidas: se pensarmos como a direita pensa, acabamos a governar como a direita governou. A mudança necessária exige ruptura com a actual maioria e a sua política.», falta de visão política para a Europa e para o futuro do "projecto europeu", ou simplesmente cobardia política que nem os exemplos PASOK e PSOE fazem demover?


[Imagem]

 

 

 

 

||| Intervalo técnico

por josé simões, em 27.01.15

 

Tony Blair & Gerhard Schröder.jpg

 

 

Já passou tanto tempo desde que Tony Blair quis dar um rosto humano ao neoliberalismo de Margareth Thatcher e desde o dia em que Gerhard Schröder ocupou a cadeira de chancheler da Alemanha e abriu, na Europa continental, as hostilidades contra o mundo do trabalho e o Estado social, pomposamente baptizadas de "reformas", que as pessoas já se esqueceram do que é a social-democracia, do que é ser social-democrata e que tudo agora é extremismo, é esquerda radical, perigosa, quase a roçar o terrorismo. Graças aos mercados a Deus que temos Matteo Renzi para esconjurar Alexis Tsipras e exorcizar os desvios à ideologia do pensamento único.

 

 

 

 

||| E parar para pensar?

por josé simões, em 27.04.14

 

 

 

Quando os trotskistas, os da extrema-esquerda, os "irresponsáveis", os "aventureiros", os "arruaceiros", o terror dos mercados, da Alemanha, do FMI e da Comissão Europeia, não necessariamente por esta ordem, assumem e incorporam o discurso que, aS/ aB [antes de Schröder e antes de Blair], costumava ser o discurso da esquerda moderada, o discurso da Europa dos povos, o discurso da Europa do Estado social, a Europa construída para travar a ascensão dos radicalismo, da extrema-esquerda incluído. E parar pensar?

 

"Foi uma honra para mim ter-me reunido com uma personalidade emblemática da social-democracia europeia, com um estadista marcante da esquerda portuguesa e não só. Discutimos a situação actual nos nossos países e concordámos que a única saída é parar com a austeridade e reconquistar a democracia, nos nossos países e em toda a Europa"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Mais do mesmo

por josé simões, em 09.12.13

 

 

 

Ou como um esclarecedor parágrafo deita tudo a perder:

 

«Na imprensa internacional, o autarca foi descrito como uma espécie de Tony Blair toscano, capaz de assimilar a esquerda e o liberalismo.»

 

Não perceber as causas do processo de falência do socialismo e da social-democracia e porque é que a Europa, sem verdadeiras alternativas credíveis, vai caminhando alegremente para a desagregação e insignificância.

 

Vamos coleccionando nomes, François Hollande, Peer Steinbrucker, Matteo Renzi, Martin Schulz [?] …

 

[Imagem]