Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Descubra as diferenças

por josé simões, em 29.09.19

 

 

 

"Segundo o Índice Global de Paz, Portugal é o terceiro país mais seguro do mundo. Subiu uma posição em comparação com o ano anterior. Em 2013, Portugal ocupava o 18º lugar."

 

Portugal é o terceiro país mais seguro do mundo

 

 

"A presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, visitou este sábado a esquadra da PSP na Amadora, Lisboa, para sublinhar o compromisso de apoio do partido às polícias e alertou para "um sentimento de insegurança" dos cidadãos."

 

Cristas alerta para "sentimento de insegurança" após reunião com PSP

 

[Imagem]

 

 

 

 

Viva o Poder Popular!

por josé simões, em 05.11.17

 

BK Foxx creates this new mural on gun violence in our country, which glamorizes guns and violence in its movies, TV programs, games, and music videos..jpg

 

 

Diz que 38 participações de violência em discoteca depois o Estado e o Estado de direito falharam numa das funções básicas, a segurança do cidadão. O Estado e o Estado de direito não falharam coisíssima nenhuma, o Estado e o Estado de direito só falharam até àquele ponto em que era de todo impossível o Estado e o Estado de direito continuarem a falhar, e que é uma conquista recente das sociedades liberais democráticas e fruto do capitalismo reprodutivo: a imagem, o direito à imagem e a massificação/ democratização das ferramentas que permitem captar imagem, por via da mais riqueza disponível no bolso das pessoas e que lhes proporciona também o acesso ao lazer e diversão, mesmo em locais sistematicamente reportados como violentos, porque não leva porrada quem quer, leva porrada quem pode, no microcosmo das tribos urbanas, das zonas delimitadas e nas hierarquias a ocupar.

 

[Imagem "BK Foxx creates this new mural on gun violence in our country, which glamorizes guns and violence in its movies, TV programs, games, and music videos"]

 

 

 

 

||| "Camaradas paneleiros"

por josé simões, em 16.09.15

 

ary-santos.jpg

 

 

"Disseram-me que não há camaradas paneleiros enquanto me bariam com força"


"E a cada novo assalto, cada escalada fascista, subirá sempre mais alto, a bandeira comunista"

 

 

 

 

||| "Por questões de segurança"

por josé simões, em 18.12.14

 

bonnie & clyde death car.jpg

 

 

"Por questões de segurança" relacionadas com condenações saídas do martelinho de partir tenazes de sapateira, vulgo “malhete”, do meritíssimo juiz, não são de certeza.


"Por questões de segurança" relacionadas por mandar Ricardo Salgado tratar da vidinha a troco de uma caução paga com dinheiro que se calhar está a fazer falta noutro lado, nomeadamente no banco que já foi BES, também não deve ser. Nem o senhor doutor banqueiro é o Salvatore Riina no que à violência diz respeito.


"Por questões de segurança" relacionadas com a investigação ao caso submarinos também é de excluir porque isso são águas passadas.


"Por questões de segurança" relacionadas com o processo José Sócrates não são de certeza, nem o ex-primeiro-ministro é Mario Moretti ou Andreas Baader, nem o PS é a Fracção do Exército Vermelho ou as Brigadas Vermelhas.


Resta a hipótese das "questões de segurança" que pressionem o meritíssimo juiz a não fazer o seu trabalho como nos “bonecos", venda nos olhos, balança numa mão e espada na outra, ou "questões de segurança"-questões de segurança, daquelas comuns a todos os mortais, tipo cair o tecto ou abrir-se o chão debaixo dos pés, ou ainda "questões de segurança" relacionadas com o recato e a privacidade e não com o segredo de justiça, cirúrgico e a conta-gotas, na primeira página do Correio da Manha e do Sol.


O que me encaganita é a coincidência do alarde das "questões de segurança" no alarmismo da praça pública, agora, neste preciso momento e com este preciso juiz. Sublinho coincidência que não quero cá confusões, por questões de segurança.


[Imagem]

 

 

 

 

|| Paulo Portas já não quer que Portugal seja a Roménia de Ceausescu

por josé simões, em 10.09.13

 

 

 

E vai deixar de andar de Correio da Manha [sem til] debaixo do braço e de fazer visitas à baixa de Setúbal a propósito de problemas no Bairro da Bela Vista na alta. Um valentão.

E, entre políticas de incentivo à natalidade ["a redução da população e o seu envelhecimento"] e poupar nos gastos com a segurança ["restrições orçamentais e o peso das despesas com pessoal"], o ex partido da família opta por passar a ex partido da segurança, que do contribuinte já era. E do idoso também.

 

Assim como a seguir à revolução de Abril de 74 proliferavam os partidos com "m-l" e "r" [de Reconstruído] em letras miudinhas a seguir à sigla, temos agora o CDS-PP [ex]. De "já foi", não de abreviatura de exemplo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

|| Rewind/ Fast Forward buttons

por josé simões, em 27.09.12

 

 

 

Salvo erro, desde a crise académica de 1969 que os gorilas não entravam no campus universitário.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Dietilamida do ácido lisérgico

por josé simões, em 03.10.11

 

 

 

Esqueceram-se” que nos idos do PREC havia uma míriade de grupelhos marxistas-leninistas-maoistas, com as efígies individualmente ou conjugadas na bandeira [por acaso de onde saíram a grande maioria dos paineleiros do comentário telivisivo, deputados, ministros dos Governos da “normalização”, e até um Presidente da República], com expressão residual nas urnas e impotentes na rua, muito, mas mesmo muito, pelo travão imposto pelo PCP e pela CGTP.

 

Aconselha-se que comecem a acompanhar os bifes com cogumelos de lata. É mais seguro.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Cada macaco no seu galho

por josé simões, em 17.11.10

 

 

 

 

 

 

Invocar as vésperas da Cimeira da NATO não é exagerar demasiado a real importância do senhor e dos servicinhos por si chefiados, quer para a segurança da Cimeira quer para a segurança nacional? Alguém no seu perfeito juízo acredita que a segurança da Cimeira esteve/ está a cargo do SIED? Dito de outra maneira, os americanos deixam a segurança do  Presidente estas coisas ao Deus-dará em mãos alheias?

O exemplo acabado do fait-divers para consumo interno e para alimentar redacções de jornais e aberturas de telejornais.

 

By the way, podem colocar à frente dos serviços um daqueles PIDES a quem Cavaco Silva primeiro-ministro concedeu uma pensão vitalícia. Ao menos sempre justificava o dinheiro que ganha.

 

 

 

 

 

 

|| O espião que veio d(n)os jornais

por josé simões, em 24.08.09

 

 

 

Uma notícia que só é notícia porque, em Portugal, a memória da PIDE da Legião e da restante bufaria ainda está fresca, e porque em Portugal há – confusão é curto –, uma promiscuidade deliberada entre partido do Governo (qualquer que ele seja), Governo e Estado, e ainda porque não existe um sistema, eficiente e isento, de contrapesos entre os diversos poderes.

Aqui chegados importa pensar por que razão(ões) uma banalidade que é norma em todas as democracias ocidentais faz primeiras páginas de jornais, cá.

 

Mais valia fazer a coisa por concurso público.

 

(Na imagem Richard Burton em The Spy Who Came in from the Cold)

 

 

 

 

|| O Circo das Sombras

por josé simões, em 30.03.09

 

Os putos iam de excursão de Finalistas. Ser Finalista é ter entre 17 e 19 anos, não mais. Levavam uns charros para fumar na viagem e nos 10 dias de soltura dos pais. Leva charros para fumar na excursão de Finalistas quem fuma charros, seja ou não finalista, vá ou não de excursão. E os charros são vendidos dentro da escola ou à porta da escola. Depois das viaturas policiais “Escola Segura” terem ido embora. O que acontece sempre logo depois dos pais terem deixado os filhos na escola. Estão lá nas horas de entrada e nas horas de saída para cumprir a sua função: serem vistos pelos pais.

 

Antes da chegada à fronteira, os autocarros dos Finalistas são parados numa operação stop pela GNR, revistados, e a droga apreendida. Por uma daquelas coincidências inexplicáveis as televisões estavam lá para filmar tudo e dar a conhecer ao mundo. Dois dias antes tinha saído o Relatório de Segurança Interna e ficámos todos a saber que a «criminalidade violenta aumentou 10,7 por cento em 2008 face a 2007». Um dia antes tinha havido uma mega operação da PSP a nível nacional que resultou na prisão de uns quantos condutores embriagados e na apreensão de uns charros e mais meia-dúzia de armas.

 

Ficamos todos muito mais descansados. Há menos bêbados na estrada e menos duas pistolas no distrito de Setúbal. Os nossos filhos foram sem droga para Lloret de Mar.

E quando lá chegarem vão andar por portas e travessas para a comprar. A quem não conhecem. Sujeitando-se a sei lá o quê e relacionando-se sei lá com quem. Mas isso já é problema da Guardia Civil. E vai sair no relatório espanhol do ano de 2009.

 

(Imagem de Paolo Ventura)

 

 

Qual foi a parte que eu não percebi?

por josé simões, em 09.03.09

 

António Costa, “n.º 2” do PS, ex-ministro da Administração Interna do Governo PS, reúne com a Governadora Civil de Lisboa, nomeada pelo Governo PS ao qual António Costa pertenceu antes de ser candidato pelo PS à presidência da Câmara de Lisboa, para reclamar e protestar contra o encerramento de esquadras policiais na capital e, pelo caminho, largas umas alfinetadas ao Governo PS ao qual pertenceu, e ao ministro nomeado seu sucessor, pelo secretário-geral do PS.

 

Se as eleições não estivessem à porta, eu até era levado a acreditar que as políticas do Governo e as estratégias de governação, não passavam pelo PS, pelo secretário-geral do PS, e pelo “n.º 2” do PS.

 

Eu vou ali é já venho.

 

O Big Brother está em incubação e tem nome: Q6/ 17

por josé simões, em 17.09.08

 

Chamou-me a atenção uma notícia no La Repubblica, que dá conta do desenvolvimento por uma agência da ONU – a União Internacional das Telecomunicações –, a partir duma proposta do governo chinês, dum programa que permite rastrear a fonte original da Internet. Trocando por miúdos: permite a identificação do IP; um sistema que permite determinar a origem de um pacote de informações transmitidas através da Internet.

 

O desenvolvimento do projecto “Investigar IP”, que conta também com a participação da ANS – Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos – tem um grupo de trabalho, denominado Q6/ 17, e segundo o jornalista, os elementos que o compôem recusaram-se até agora a conceder entrevistas sobre o assunto.

 

Vindo a proposta de onde vem – China – e com a colaboração de quem conta – ANS/ Administração Bush – isto não me inspira confiança. Absolutamente nenhuma.

 

De boas intenções está o Inferno cheio”; diz-se.

E as boas intenções são as que nos vão ser apresentadas para dourar o projecto: identificar os autores da calúnia e da difamação; desmantelamento de redes de pedofilia; segurança nacional, etc.

 

As segundas intenções, as que se escondem atrás das boas intenções, como sejam a eliminação da dissidência política e da contestação aos regimes é que me preocupam. E o regime chinês, a “democracia Putin”, e a ditadura dos ayatholas do louco Ahmadinejad, por exemplo, já deram provas de serem pródigos, lestos e eficazes nestas matérias. E ainda sem o recurso à arma “Investigar IP”.

 

 

 

Palhaçada

por josé simões, em 03.09.08

 

Pagamos duas vezes.

Quando usamos os serviços de uma empresa privada e, por essa via, contribuímos para os seus lucros; pagamos via impostos sobre os nossos rendimentos… para garantir a segurança da empresa privada.

A minha humilde sugestão a tão genial Governo: um polícia – pago por nós – à porta de cada banco; por causa dos assaltos. Um polícia – pago por nós – à porta de cada farmácia; por causa dos assaltos. E uma vez que ontem assaltaram um hotel na Caparica, um polícia – pago por nós – à porta de cada unidade hoteleira.

Palhaçada!

 

(Foto roubada no Chicago Tribune)

 

 

 

 

 

O medo ao serviço da política

por josé simões, em 11.12.07

 

Assino por baixo esta posta de Miguel Silva.
 
Gostava de acrescentar só mais uma coisinha: logo a seguir ao assassinato do gabiru a rajadas de metralhadora, aparece Paulo Portas todo lampeiro nas televisões a dizer eu bem que avisei! e o único partido a votar favoravelmente uma proposta de reforço das polícias nas ruas foi o CDS / PP e o PCP.
 
Pois.
Um polícia para cada cidadão.
 
Uns são discípulos de Lenine e saudosos de Estaline. Os outros… deixo à vossa consideração.
 
(Foto roubada no La Reppublica)