Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Informação de qualidade e isenção é o que se espera da televisão pública

por josé simões, em 30.01.20

 

Mary Delaney Cooke - Corbis - Getty Images.jpg

 

 

Uma pessoa desequilibrada agride uma médica numa urgência psiquiátrica e o evento é apresentado no telejornal da RTP 1 como exemplo de agressão a profissionais de saúde num trabalho sobre as agressões no Serviço Nacional de Saúde [nos idos de Correia de Campos todos os dias nascia uma criança numa ambulância].

 

O que se espera da televisão pública é informação de qualidade e isenção que as televisões privadas não têm, subjugadas que estão à agenda da saúde privada [principal beneficiária da campanha cerrada de desinformação e ataque, em curso contra o SNS], pela dependência das receitas publicitárias, provenientes dos grupos económicos proprietários de hospitais privados, seguros de saúde, e com participação accionista nos media, quer pela orientação política e ideológica da redacção, nomeada pelo accionista, perante o qual responde através de resultados e objectivos pré estabelecidos pelo grupo, numa lógica de funcionamento em circuito fechado.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 12.01.20

 

Linder Sterling.jpg

 

 

"Existe um sentimento de impunidade porque estes julgamentos demoram demasiado tempo". Não, o bastonário da Ordem dos Médicos, no Opinião Pública/ SIC Notícias, não se estava a referir às participações na Ordem que "bastoneia" por má prática médica, era da recente vaga de agressões a médicos e profissionais de saúde agressões falava. Da justiça pública, não da justiça privada-corporativa da Ordem dos Médicos, das eternidades e dos arquivamentos.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O síndrome do Chefe

por josé simões, em 18.12.19

 

simpsons.jpg

 

 

Os médicos são os mesmos, os enfermeiros são os mesmos, os técnicos de diagnóstico são os mesmos, os funcionários administrativos são os mesmos, os auxiliares são os mesmos. Agarramos e pregamos com eles no hospital de Setúbal, no hospital de Almada, ou até deixamo-los ficar onde estão e mudamos a administração do privado para o Estado, já em 2021 como programado pela 'geringonça' com grande alegria e satisfação, para os resultados serem diferentes e voltarmos ao tradicional descalabro dos custos a dispararem, rebaldarias de entradas e saídas, atrasos acumulados, desperdício de recursos, atendimento por obrigação como se todo o mundo lhes devesse. Tudo se resume a hierarquia, autoridade e disciplina. E vale para toda a administração pública por mais que custe à esquerda.

 

O Hospital de Vila Franca de Xira, gerido em regime de Parceria Público-Privada (PPP), permitiu ao Estado uma poupança estimada de 30 milhões de euros entre 2013 e 2017 face aos custos estimados na gestão pública.

 

 

 

 

Uma hipótese a considerar?

por josé simões, em 21.10.19

 

NOT WAVING BUT DROWNING Tim Fishlok.jpg

 

 

E se todas as mal-formações foram mesmo todas detectadas pelo obstetra mas não declaradas por o senhor ser contra o aborto, via interrupção médica da gravidez, contra os seus princípios religiosos, um fundamentalista católico?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Ministério da Trafulhice

por josé simões, em 17.07.19

 

zelf verkort Arnout van Albada.jpg

 

 

Rui Rio "quer financiar hospitais públicos em função de resultados". Rui Rio quer aplicar ao Serviço Nacional de Saúde a mesma receita que os liberais do "menos Estado" e da "liberdade de escolha" aplicaram à educação, meter os hospitais a escolher os doentes que recebem, deixar de fora os mais problemáticos e aqueles onde a idade e a esperança de vida sejam um factor determinante nos resultados a apresentar, "martelanço" de resultados para atingir a ambicionada verba meta do financiamento público. Rui Rio quer hospitais de primeira e de segunda para portugueses de primeira e de segunda. Rui Rio desconhece a máxima "com a saúde não se brinca" e quer mudar o nome ao ministério, da Saúde para da Trafulhice.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 26.04.19

 

fuck off 2.jpg

 

 

"A primeira e maior preocupação do @_CDSPP em relação à Lei de Bases da Saúde é que as populações sejam servidas com qualidade e com tempo. Queremos servir todos os portugueses e servi-los com qualidade e com o menor custo possível para o contribuinte, certamente.", Assunção Cristas no Twitter.

 

"Portugal cortou nas despesas de Saúde o dobro do que era exigido no memorando de entendimento com a ‘troika’.", o Governo onde Assunção Cristas era ministra e assinava resoluções bancárias de cruz e com os pés de molho numa piscina no Algarve.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Descubra as diferenças

por josé simões, em 12.02.19

 

Damon Winter The New York Times.jpg

 

 

Dia 13 de Dezembro de 2018:

 

"Privados facturaram 38 milhões de euros a mais e ADSE exige devolução."

 

Hospitais privados contestaram a prática, mas parecer da Procuradoria-Geral da República deu razão à ADSE. Em causa estão facturas de medicamentos, próteses e cirurgias que em 2015 e 2016 ultrapassaram a média.

 

 

Dia 12 de Fevereiro de 2019:

 

"CUF suspende convenção com a ADSE"

 

A José de Mello Saúde formalizou a suspensão da convenção com a ADSE para prestação e cuidados de saúde aos seus beneficiários em toda a rede CUF, podendo evoluir para denúncia definitiva.

 

 

Dia 13 de Fevereiro de 2019:

 

"Luz Saúde termina convenções com ADSE a partir de 15 de Abril"

 

Hospitais e clínicas do grupo deixam de prestar cuidados ao abrigo das convenções com a ADSE a partir de 15 de Abril. Decisão afecta mais de 250 mil beneficiários que apenas poderão usar os serviços em regime livre.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Tem a palavra Michael Moore

por josé simões, em 11.02.19

 

sicko.jpg

 

 

"Seguros de saúde para todos. Esta é uma das ideias e medidas concretas defendidas pelo Aliança que, pela voz do líder Pedro Santana Lopes, fechou este domingo o congresso fundador do partido, em Évora."

 

"Santana Lopes sublinha que "todos devem ter o seu seguro de saúde" porque "é insustentável que só os ricos possam escolher entre o serviço público e o serviço privado"."

 

Santana Lopes defende que "todos devem ter o seu seguro de saúde"

 

[Imagem]

 

 

 

 

O PS e o Governo da direita radical

por josé simões, em 27.12.18

 

Independentemente da baralhação, involuntária ou propositada, do médico que diz que nem por 500 €/ hora trabalhava na noite de Natal, da ministra que revela que não se consegue resolver o problema da falta de médicos por alturas das Festas quando são pedidos 500/ € hora, e do jornalista que publica que o Estado paga 500 €/ hora aos médicos, o que a senhora ministra devia explicar é a razão ou as razões para as contratações de médicos serem no valor de 39 €/ hora a entregar a uma empresa de trabalho temporário que fica com a parte de leão, sem se chatear nada nem sequer ter passado seis anos a estudar medicina,  e não o hospital a contratar o médico directamente por esse valor. Entre este procedimento e os procedimentos nos idos do Governo da direita radical não há aqui grande diferença.

 

 

 

 

Saudades

por josé simões, em 28.02.18

 

marianogago.jpg

 

 

Portugal pode ser o único país europeu com licenciatura em medicina chinesa

 

[Imagem]

 

 

 

 

O súbito eclipse dos legionários

por josé simões, em 30.01.18

 

leela by oakoak.jpg

 

 

A verdade é que já lá vai meia semana e nem sombras de Hugos Soares ou de Duartes Marques ou de Leitões Amaros ou de Duartes Pachecos ou de Fernandos Negrões [do querido líder não é de esperar porque já lá vai e o Montenegro sabe muito para andar a expor a moleirinha ao sol] ou de Assunções Cristas ou de Nunos Magalhães ou de Nunos Melos ou de Joões Almeidas ou de cecíliasMeireles, cada um por si ou todos por atacado, todos os dias a todas as horas certas nas televisões e nas rádios, secundados por uma troupe de apóstolos, aios e escudeiros, legionários de plantão às "redes", de dedo em riste apontado ao desinvestimento socialista-geringonço na saúde, causa do surto de legionella num hospital privado, do bem-amado grupo Mello. E nem sequer nenhum encartado de jornalista se lembrou ainda de lhes perguntar a que se deve este súbito eclipse.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 28.01.18

 

virgem.jpg

 

 

Um dos grandes triunfos da direita radical, por via do controlo dos meios de comunicação social e da subserviência à sua agenda ideológica, é toda a gente, onde quer que seja, identificar automaticamente Mário Nogueira com o PCP, e Ana Rita Cavaco, bastonária da Ordem dos Enfermeiros, aparecer sempre como uma virgem impoluta e imune à política e aos partidos políticos.

 

E a comissária política do PSD na Ordem dos Enfermeiros vem mais uma vez à televisão, sem que em rodapé apareça "Conselheira Nacional do PSD", dizer que formamos enfermeiros para exportar, no Portugal onde Pedro Passos Coelho, primeiro-ministro, mandou os enfermeiros emigrar e até fazia gáudio com o sucesso que eram as delegações do NHS em Lisboa, no Ritz, para levarem aviões cheios deles para Inglaterra. Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 30.08.17

 

Qixuan Lim.jpg

 

 

Todos estamos recordados do "esforço de investimento" feito pelo anterior Governo da direita radical na valorização dos profissionais do Serviço Nacional de Saúde cortando-lhes o salário e aumentando-lhes a carga horária na base do célebre princípio do "fazer mais com menos" repetido ad nauseam por Pedro Passos Coelho sendo o mais a entrega da contratação dos profissionais em falta a empresas de trabalho temporário que ganhavam muito mais com cada enfermeiro ou médico colocado precariamente a ganhar muito menos.

Todos estamos recordados do investimento feito pelo anterior Governo da direita radical nos serviços nacionais de saúde de países como a a Alemanha e o Reino Unido com as embaixadas instaladas em hotéis de Lisboa e do Porto para contratarem enfermeiros e médicos portugueses a serem diariamente tema de abertura de telejornais.

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

O esforço que foi feito nos anos anteriores de valorização do SNS, de valorização dos profissionais e o investimento realizado está a ser deixado resvalar por este ministério

 

[Imagem]

 

 

 

 

Conta-me como foi

por josé simões, em 30.05.17

 

x.jpg

 

 

"O governo explica que com esta medida são eliminadas duplicações de capacidades que se verificavam. Segundo a nota do executivo, este era o último Estabelecimento Fabril do Exército que faltava para concluir a reforma no sector.

 

Laboratório Militar vai mesmo ser extinto

 

 

"O Laboratório Militar vai passar a produzir medicamentos. São anti-inflamatórios, remédios para a tuberculose e pediatria, que não são produzidos pela indústria farmacêutica."

 

Portugal "vai deixar de ser refém" do mercado de medicamentos

 

 

A comunicação social, capturada e engagé do pensamento único dominante, fingiu que não viu, não se passou nada. Quem é que deixou de ganhar dinheiro com mais esta "reforma do Estado" revertida pela 'Geringonça' do "Governo das esquerdas'?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 30.05.17

 

psd twitter.png

 

 

[O PSD no Twitter]