Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Fora de contexto, ou nem por isso

por josé simões, em 25.10.22

 

ho chi minh.jpg

 

 

Mais tarde, Ho Chi Min diria ao americano Charles Fenn (1945) que para combater um adversário tão poderoso como o imperialismo francês os Vietnamitas necessitavam de «uma fé, um evangelho, uma análise prática, pode mesmo falar-se de uma bíblia. O marxismo-leninismo forneceu-me esta panóplia».

 

In "O Século dos Comunismos, depois da ideologia e da propaganda, uma visão serena e rigorosa". Michel Dreyfus, Bruno Groppo, Claudio Ingerflom, Roland Lew, Claude Pennetier, Bernard Pudal, Serge Wolikow

Editorial Notícias, Junho de 2004

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A direita troglodita com pele de civilizada

por josé simões, em 16.10.22

 

cruz.jpg

 

 

95 - noventa e cinco - 95 crimes de abuso sexual de alunas menores dependentes, com idades entre os 14 e 17 anos, pelo professor de Moral e Religião Católica da Escola Secundária Camilo Castelo Branco, em Famalicão, a escola dos filhos do ídolo da direita tuga, Artur Mesquita Guimarães, contra a Educação para a Cidadania, disciplina que dá ferramentas aos alunos para se defenderem destes abusos.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

"É a democracia"

por josé simões, em 12.10.22

 

omo 1958.jpg

 

 

"É a democracia", chamou Marcelo a RTP a Belém para dizer, com uma embalagem de OMO nas mãos, estavam os portugueses a ver o Benfica em Paris pelo streaming da Inácio TV. "Os partidos são livres de discordar do Presidente", mais coisa menos coisa. "Eu não quis dizer que eram poucos os casos, o caso é que o caso mais antigo é de uma pessoa de 90 anos" e quando toda a gente pensava que Marcelo ia invocar o popular "em pequenino não conta", segue o raciocínio depois de pigarrear, "portanto foi há 70 anos". Mais grave a emenda que a emenda. Um fiel de 90 que foi abusado há 70 tinha 20 anos à época do abuso. "Nem abuso de menores foi, estão a ver?" deixou Marcelo insinuado no ar com recurso à Tabuada Ratinho. "Não quis dizer que 400 fossem poucos, ou muitos, esperava muitos mais". Até porque falo ao telefone tu cá tu lá com os encobridores. "Diga-me Vossa Excelência Reverendíssima como é que estamos de temores; os prognósticos? Vai ser o Dilúvio Universal, são milhares, senhor Presidente". Afinal só 400, alguns já morreram, outros morrem de vergonha só de pensar, fica tudo na Paz do Senhor". E a seguir vai comentar o Orçamento do Estado, vai dizer ao Parlamento que deve rever uma lei qualquer, coisa que não é das suas atribuições nem competências e sem que nenhum partido ou deputado lhe diga "bolinha baixa, meta-se no seu canto", vai medalhar uns patetas a eito, vai passar por um acidente rodoviário e inteirar-se dos dos danos, vai fazer um prognóstico qualquer sobre um jogo qualquer, vai patrocinar a descida da Avenida pela Marcha dos Pobrezinhos e o picnicão dos miseráveis, organizado pela vereadora Laurindinha da câmara do incompetente Moedas, que em pequenina gostava de ser o Leitão de Barros quando fosse grande, para se meter a eventos folclóricos, bater muitas palmas ao Senhor Presidente do Conselho e brincar com as pessoas como brincava com as bonecas quando era pequenina. As pessoas não têm sentimentos nem dignidade, tudo pode ser orquestrado e encenado para satisfação do ego ou de outra merda qualquer, até para encobrir. E quando pensavam que se tinham visto livres de Cavaco chega, com os votos de António Costa, Ferro Rodrigues e mais de metade do PS, Marcelo, O Inimputável, e com ele toda a tralha bafienta da direita beata e acéfala, mais os hábitos e as normas do Portugal da Lição de Salazar.

 

 

 

 

O respeitinho certo

por josé simões, em 11.10.22

 

fernando-mendes.jpg

 

 

Durante décadas passearam a sua impunidade perante o encolher de ombros da hierarquia, quando não era a própria hierarquia a passear a sua impunidade, perante a cumplicidade de quem avisava quando tinha acesso a informação privilegiada, perante o temor do povo, a que chamam "fieis" e nunca o adjectivo "fiéis" foi tão substantivo. Para se ter a noção do grau de impunidade de que estes filhos da puta usufruíram ao longo de décadas, o "gordo", que trata toda a gente por tu, até quem tem idade para ser seu avô, tratou um padre concorrente por "senhor". O "senhor padre". O respeitinho certo.
 
 
 
 

Quando morrer vai para o Céu

por josé simões, em 04.10.22

 

marcelo.jpg

 

 

O Presidente do Estado laico avisou o bispo José Ornelas, Dom, de que estava a ser investigado por cumplicidade em casos de abuso sexual. "Tenha Vossa Excelência Reverendíssima atenção que a justiça anda de olho em si". Marcelo, o supremo magistrado da Nação, eleito por sufrágio universal, não respeita nem responde perante o povo português que jurou servir, nem pela Constituição que jurou defender. Marcelo, o beato devoto, responde perante o Papa, a hierarquia do Vaticano, e pela Bíblia de que guarda os ensinamentos. E isto é com Marcelo, numa questão de fé, religião, e de não saber, nem querer, separar o homem religioso da função presidencial laica. Nas primeiras páginas com as fugas ao segredo de justiça, dos directos das televisões na porta das operações "secretas" da Polícia Judiciária e Ministério Público, é uma questão de fé na Igreja Universal do Pilim Universal, que também move multidões, todas têm o seu papel no movimento da humanidade. No entanto Marcelo quando morrer vai para o Céu, comer o corpo e beber o sangue de Deus à mesa com os encobridores e cúmplices de abuso sexual, uns porque falam directamente com Deus, ele porque tratou das indulgências junto de quem de direito enquanto foi vivo. Amém.

 

[Imagem, manipulada]

 

 

 

 

Mateus 19:14

por josé simões, em 03.10.22

 

cristina garcia rodero212.jpg

 

 

Um padre pedófilo e tarado sexual foi aposentado compulsivamente aos 91 anos de idade. Uma carreira, toda e inteira, com Mateus 19:14 como lema. Pelo caminho um bispo escuda-se numa alegada conversa tida com o seu superior hierárquico como forma de não assumir responsabilidades e desaparecer para sempre, e um cardeal pede confiança numa instituição que fez tudo o que podia e sabia para esconder casos de abuso sexual porque a instituição está a fazer tudo o que pode e sabe para lidar com casos de abuso sexual. Agora é que é.

 

[Imagem de Cristina Garcia Rodero]

 

 

 

 

Idade Média

por josé simões, em 23.09.22

 

Ansa.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Age of Aquarius

por josé simões, em 22.09.22

 

Farid Vahid.jpg

 

 

[Mais fotos e filmagens dos protestos no Irão: Farid Vahiid]

 

 

 

 

O Rei das Moscas

por josé simões, em 06.08.22

 

Nancy Fouts – Jesus Crutches.jpg

 

 

Nem no tempo da promiscuidade entre poderes em que o Rei era nomeado com a bênção do Papa tínhamos um chefe de Estado todos os dias a comentar coisas da Igreja e nos dias a seguir a explicar o que disse nas vésperas.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Deus é grande

por josé simões, em 04.08.22

 

pawel_jaszczuk.png

 

 

O Presidente da República do Estado laico, como qualquer português que se preze assim que dá com um buraco na estrada, uma pá ou uma retro escavadora, foi ver o andamento das obras para receber o Papa à beira do Trancão, depois da birra entre a autarquia e o Governo para ver se a empreitada de 6.997.327,95 € era paga pelo contribuinte, via câmara municipal, ou se a empreitada de 6.997.327,95 € era paga pelo contribuinte, via Estado, já que a isenção de imposto de selo, de emolumentos, de taxas de esgotos, de IMI, de IMT e de quaisquer outros impostos e taxas nacionais, regionais e locais, de que a Igreja Católica beneficia, não é compensada pelo que entra pela porta do cavalo em donativos e esmolas, e o dinheirinho não chega para receber com dignidade o secretário de Deus no planeta Terra.

 

Deus é grande mas o contribuinte ainda é maior, apesar de se escrever em minúsculas [e não há dinheiro para nada].

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O cordeiro de Deus

por josé simões, em 01.08.22

 

Konstantin Korobov.jpg

 

 

A matilha que vai ladrar e rosnar à mãe da "pequena Jessica" no dia do funeral ou aos pais da "pequena Maddie" na saída do edifício da Judiciária em Faro é a manada de arganel no nariz que faz o sinal da cruz e pontua as frases com "se Deus quiser" quando Manuel Clemente afiança que equívoco no cu dos outros para ele é refresco. Pequeninos, sem aspas e em maiúsculas.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Allahu Akbar

por josé simões, em 19.07.22

 

Mullah Omar.jpg

 

 

Nosso Senhor não nos dotou sexuados para a gente andar aí a fornicar com rapazes e raparigas

 

[Na imagem]

 

 

 

 

Educação para a Cidadania

por josé simões, em 08.07.22

 

frederico.jpg

 

 

Manuel Clemente, o cardeal-patriarca que tem dificuldade em acreditar que o filho de um casal homossexual apreenda o valor da complementaridade entre sexos, suspendeu Duarte Empis de Andrade e Sousa, do clero com nome de nobreza, das actividades pastorais, e interditou-o de estar sozinho em qualquer contacto com jovens, depois das famílias dos alunos do colégio de S. Tomás, em Lisboa, terem descoberto imagens e vídeos obscenos  nos telemóveis dos infantes, num grupo de WatsApp que o padre mantinha com os estudantes. O mesmo sacerdote que acolheu na sua paróquia sessões de "terapia de conversão” para pessoas homossexuais, conduzidas por Maria José Vilaça, a psicóloga que na figura de presidente da Associação dos Psicólogos Católicos comparou a homossexualidade à toxicodependência na revista Família Cristã, e que hoje anda pelo movimento "Deixem As Crianças Em Paz". Ainda se fossem aulas de Educação para a Cidadania podíamos ter um sobressalto cívico e moral, contra o totalitarismo estatal, da parte dos donos das crianças que querem que se deixe as crianças em paz. Do Senhor.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Fascism

por josé simões, em 01.07.22

 

mother jones.png

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Av. do Brasil 53, Lisboa

por josé simões, em 08.02.22

 

ventura.jpg

 

 

No tempo em que as pessoas se encontravam nas colectividades e nos cafés para falarem umas com as outras e trocar ideias este personagem tinha sido internado compulsivamente num hospício, no tempo das "redes sociais" da cobardia anónima e o ódio acéfalo o personagem não só lidera um partido como é deputado eleito e arrasta atrás de si uma horda de alucinados que acredita piamente naquilo que o mestre diz.

 

[Link na imagem. Título do post]