Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Um shot de poncha

por josé simões, em 29.07.18

 

poncha (2).jpg

 

 

Rui Rio, o íntegro, o economista da "escola alemã" [Colégio Alemão do Porto], das boas contas, das "contas à moda do Porto" [o que quer que isso signifique], contra o despesismo e o compadrio sócratista, na festa do PSD no Chão da Lagoa "já imaginaram se em vez de um, houvesse mais quatro ou cinco Alberto João por esse país fora?". Sim já imaginámos. Antes o passista e mui liberal Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional, tinha aquecido o pagode na primeira parte do concerto interpretando temas como "os socialistas da treta que levaram o país à falência". Sai mais uma rodada de shots de poncha.

 

 

 

 

Por uma vez Passos Coelho fala verdade

por josé simões, em 24.07.16

 

pokemon.jpg

 

 

Que as faladas sanções não são referentes a 2015 e ao Governo da direita radical, que teria as metas flexibilizadas e adaptadas à realidade como as teve em 2011, 2012, 2013 e 2014 sob vigência da troika; que as faladas sanções são sobre um Governo que ainda não falhou uma única meta, sob pena de se provar que é possível alcançar o acordado sem empobrecer o país, sem empobrecer as pessoas, sem lhes retirar direitos e garantias, as tais reformas estruturais que estão a ser revertidas; tem medo Passos Coelho que as faladas sanções, se aplicadas, sejam revertidas pelos tribunais, um acto de insubordinação para quem está habituado a baixar a cabeça e obedecer sem questionar e a ver os tribunais como um empecilho.


[Imagem]

 

 

 

 

Isto está tudo ligado

por josé simões, em 02.06.16

 

Fundação Social Democrata da Madeira logo.jpg

 

 

A Fundação Social Democrata da Madeira, que escapou a sanha persecutória do governo da direita radical a fritar toucinho, que é como quem diz a derreter as gorduras do Estado, que é como quem diz a exterminar as fundações, o alfa e o ómega da despesismo socialista do Estado, uma fundação boa, portanto, deve, portanto, 6 milhões e meio de euros ao Banif, que Pedro Passos Coelho, Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque esconderam atrás de Carlos Costa, o apêndice que o governo da direita radical tem no Banco de Portugal, para não inviabilizar a saída limpa que só não o foi por culpa do Costa - o Banif escondido, mais os prejuízos da fundação Mário Soares, que recebeu contribuições do Sócras, por interposta pessoa o patrão, de quem o Costa foi ministro e até foi visitar à prisão quando esteve preso.


Razão tem Miguel Albuquerque, liberal e reformista do Estado e social-democrata [sempre!] da Madeira, escudeiro de Pedro Passos Coelho, que não são amigos de Alberto João Jardim que se foi sentar ao lado de Paulo Rangel naquele congresso dos "3 cães a um osso", quando diz que "em Portugal só quem vai preso é a arraia miúda".

 

 

 

 

||| O dilema de Miguel Albuquerque

por josé simões, em 02.04.15

 

crock.jpg

 

 

Sendo o Governo Regional da Madeira o maior empregador das ilhas, directamente via serviços e administração pública, ou indirectamente por via de concessões várias e das obras públicas adjudicadas a empresas "do regime", e estando o PSD, e as vitórias eleitorais do PSD, dependentes da rede clientelar assente nesta relação promíscua, como é que Miguel Albuquerque vai implementar a sua reforma do Estado sem “exterminar” o partido que dirige?


«[...] o sucessor de Alberto João Jardim na liderança dos social-democratas diz que não deve haver "ilusões" sobre a reforma do Estado: "É despedir funcionários públicos, não vale a pena estar com ilusões, 78% da despesa do Estado é com pessoal".


Para Miguel Albuquerque, o Governo devia ter criado um fundo ou uma bolsa fora do quadro do Orçamento do Estado para pagar os despedimentos e nessa altura "tirava 10, 15, 20, 30, 40 mil pessoas" e fazia a reforma do Estado.»


[Imagem]

 

 

 

 

||| His Master's Voice

por josé simões, em 27.12.14

 

His_Master's_Voice.jpg

 

 

"Alberto João Jardim tem currículo e capacidade para qualquer cargo no Estado"


[Imagem]

 

 

 

 

||| Ainda que mal pergunte

por josé simões, em 02.07.14

 

 

 

O projecto de revisão constitucional apresentado pelos estarolas do PSD, que quando dá jeito é PSD Madeira, também prevê a extinção do Tribunal de Contas?

 

[Imagem de Sammy Slabbinck]

 

 

 

 

 

 

||| Na falta de pão há circo com fartura

por josé simões, em 25.06.14

 

 

||| República Popular da Madeira

por josé simões, em 22.03.14

 

 

||| Rigor nas contas e transparência na administração, aos sábados, numa televisão em canal aberto

por josé simões, em 13.03.14

 

|| O cão de Pavlov

por josé simões, em 07.11.13

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 18.08.13

 

 

 

Há 35 anos consecutivos no poder, sem cuidar do ordenamento do território e da prevenção, culpa o governo central por não haver "pena de morte" ou "prisão perpétua" nas Ilhas Adjacentes.

 

Só já falta dizer que os bandidos e criminosos vieram do cont’ nente, o que até seria uma narrativa credível, mais, muito mais credível, e que não pode/ pôde ser usada nas cheias de 2010 e nas suas dezenas de mortes, vítimas de mesmo desordenamento do território e da mesma política de desenvolvimento, não sustentável e inimiga do ambiente.

 

[Imagem "Scary Clowns Halloween Parade in New York City", Gonzales Photo]

 

 

 

 

 

 

|| As férias do senhor Silva

por josé simões, em 28.06.13

 

 

 

Motivo para o senhor Silva interromper as férias [e ainda nem sequer estamos em Julho/ Agosto] e convocar o país para uma comunicação de urgência à hora dos telejornais?

 

Resolução da Assembleia Legislativa da Região

Autónoma da Madeira n.º 15/2013/M

 

PROJETO DE REVISÃO CONSTITUCIONAL DA INICIATIVA

DO PSD — APROVADO COM OS VOTOS

A FAVOR DO PSD E A ABSTENÇÃO DO CDS/PP E PS

[O sublinhado é meu]

 

[Via e imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Um fascista velho. Um velho fascista

por josé simões, em 20.06.13

 

 

 

O sobrinho e afilhado do representante da Acção Nacional Popular na ilha adjacente da Madeira e director do jornal Voz da Madeira, onde se arranjou um lugarzinho para o jovem escrevinhar umas crónicas a enaltecer o fascismo, depois de concluído o curso, à rasquinha e depois de muito tempo, na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, confortavelmente hospedado numa casa da Mocidade Portuguesa, dispensado que foi de combater na Guerra Colonial e colocado num quartel da ilha adjacente da Madeira, departamento Acção Psicológica Militar, graças a uma vaga caída do céu e que lhe permitia dar aulas no liceu [há gente com muita sorte na vida], como ia a dizer, o sobrinho-afilhado quer fazer com as greves o que se deixou de fazer com as greves logo a seguir ao dia 25 de Abril de 1974, quando os sobrinhos-afilhados e os seus tios e pais e mães foram metidos no devido lugar.

 

[Na imagem Alberto João Jardim com a t-shirt da organização terrorista FLAMA]

 

 

 

 

 

 

 

|| "Não podemos permitir que uma região como a Madeira fique sem 75% do financiamento" [*]

por josé simões, em 28.11.12

 

 

 

«Uma portaria conjunta das secretarias do Turismo e das Finanças, publicada no Jornal Oficial de 19 de Novembro, reparte os encargos com o fogo pelos orçamentos de 2012 e 2013, remetendo para o do próximo ano a quase totalidade (739 mil) desta despesa.»

 

[*]

 

[Imagem de Marcia Resnick via Copenhagen Photo Festival]

 

 

 

 

 

 

|| Insultar a inteligência dos portugueses

por josé simões, em 25.11.12