Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

A vidinha custa todos

por josé simões, em 10.04.18

 

goya.jpg

 

 

Entre 2014 e 2018, a sociedade de advogados Sousa Pinheiro & Montenegro (detida em 50% pelo deputado do PSD) obteve 10 contratos por ajuste direto das câmaras municipais de Espinho e Vagos, ambas lideradas pelo PSD, perfazendo um valor total de 400 mil euros.

 

Montenegro faturou 400 mil euros em ajustes diretos de autarquias do PSD

 

[Imagem]

 

 

 

 

"O dinheiro dos pobres"

por josé simões, em 03.04.18

 

steve.jpg

 

 

Gozar com a inteligência alheia é argumentar que o dinheiro das Misericórdias empatado no Montepio é "dinheiro dos pobres", é "apanhar dinheiro dos pobres para pagara imparidades da banca". Uma família de pobres, de pobres mesmo pobres, a ganhar o salário médio nacional, sublinho médio, que tente meter o pai ou a mãe com uma pensão ou reforma mínima num asilo para velhos, perdão, num lar da terceira idade propriedade de uma Misericórdia, sem ter de dar como entrada uns milhares de euros, uma casa ou uma propriedade, e sem ficar a pagar uma mensalidade no valor de muitos salários mínimos nacionais. Nas Misericórdias administradas por militantes do PSD e do CDS, nas Misericórdias centro de emprego para militantes do PSD e do CDS. São estas as alturas perfeitas para o zapping, mudar de canal para uma série qualquer onde a ficção é mesmo ficção.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 21.03.18

 

circus clown (1).jpg

 

 

Luís Montenegro sugere que surto de sarampo é culpa do Governo

 

[Imagem]

 

 

 

 

Da profundidade do comentário político

por josé simões, em 19.03.18

 

Benny_Hill.JPG

 

 

Transmontanos normalmente são boa gente e não fazem malabarismos

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Adolfo de Sant'Ana à Lapa

por josé simões, em 19.03.18

 

psd.jpg

 

 

Faz meses que todos os dias cai na timeline do Instagram este "PSD conteúdo patrocinado" com o senhor de mosquinha e olhar alucinado. Não é fake nem montagem é mesmo o Adolfo de Sant'Ana à Lapa em pele e osso.

 

 

 

 

A questão que se coloca

por josé simões, em 18.03.18

 

Passos Coelho.jpg

 

 

A questão que se coloca é: quantos mais doutores Felicianos Barreiras Duarte, tenham ou não sido chefes de gabinete do líder, tenham ou não sido secretários de Estado ou  ministros or ever, tem o PSD na carteira em stand by à espera do momento certo para caírem de bandeja nas redacções do jornais e televisões?

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Doutor da Mula Ruça

por josé simões, em 14.03.18

 

conclusao tese mestrado barreiras duarte.png

 

 

Olhando para a conclusão da tese de mestrado [na imagem] do Doutor Feliciano José Barreiras Duarte, não fora o virgulismo a eito, que leva a que ao fim de três linhas de leitura já ninguém saiba como começou o texto nem tampouco o que está a ler, e que parece ser um mal de que padece o PSD, vide os primeiros textos do Doutor Duarte Marques no Expresso, diríamos que a mesma foi escrita pelo Fabuloso Gerador de Lero-Lero, instruções aqui, [eu próprio fiz em menos de um fósforo uma "Estratégia para a defesa do choco frito dos ataques de caracóis voadores"]. A culpa até nem é do senhor doutor, agora mestre, em última instância é de que lhe atestou o grau e lhe orientou a tese sem sequer ter lido a conclusão. Doutor da Mula Ruça, dizia-se dantes. 

 

 

 

 

E andamos nisto...

por josé simões, em 27.02.18

 

lukasz_wierzbowski.jpg

 

 

Marques Mendes, Conselheiro de Estado e moço de recados, ex-líder do PSD, o partido que durante décadas de Governo fechou escolas, postos de saúde e hospitais, tribunais, repartições do Estado no interior do país, aparece na homilia semanal que tem na televisão do militante n.º 1 mui imbuído de "sentido de Estado" a dar uma dica a Rui Rio, líder do PSD, o partido que durante décadas de governo fechou escolas, postos de saúde e hospiutais, tribunais, repartições do Estado no interior do país: que deve trazer para a agenda a desertificação humana do interior país. Mais, que Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente-comentador, ex-líder do PSD, o partido que durante décadas de governo fechou escolas, postos de saúde e hospitais, tribunais, repartições do Estado no interior do país, deve mover influências, mexer cordelinhos, juntar à mesa o actual líder do PSD e o primeiro-ministro, António Costa, líder do PS, o partido que durante décadas, no governo ou na oposição, implementou políticas ou assinou de cruz políticas implementadas pelo PSD, o chamado entendimento entre os partidos estruturantes da democracia para as reformas estruturais do Estado, que levaram ao fecho de escolas, postos de saúde e hospitais, tribunais, repartições do Estado no interior do país. E andamos nisto...

 

[Imagem]

 

 

 

 

O melhor é fazer um intervalo para publicidade

por josé simões, em 22.02.18

 

ambitions.jpg

 

 

O partido que pede aos portugueses a confiança nas urnas para formar um Governo alternativa à 'Geringonça' das "esquerdas unidas" é o mesmo partido que tem como líder da bancada parlamentar alguém eleito com 35 votos num universo de 88 deputados numa lista com 37 nomes, 32 votos brancos e 21 nulos. O melhor é fazer um intervalo para publicidade.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O partido das bastonárias

por josé simões, em 22.02.18

 

Sotrondio, Asturias, 1948. By photographer Valentín Vega..jpg

 

 

"A Ordem dos Enfermeiros (OE) adiantou entretanto que apoia esta greve". Ou, como nos disseram durante 4 anos Pedro Passos Coelho, Luís Montenegro, Teresa Leal Coelho, Duarte Marques, Hugo Soares, Duarte Pacheco e que me perdoem os que ficaram esquecidos, o PSD, o partido que sem respeito por ninguém se entretêm a convocar greves, por interpostas pessoas nos sindicatos [médicos] e nas ordens profissionais, alcandoradas em organizações sindicais, causando prejuízos imensos ao país e à economia e contratempos aos cidadãos cumpridores, que não vivem debaixo do guarda-chuva do Estado e que não se revêm nestas "malabarices" político-partidárias.

 

[Imagem "Sotrondio, Asturias, 1948", Valentín Vega]

 

 

 

 

Um cancro pelas costas

por josé simões, em 20.02.18

 

Julien Magre.jpg

 

 

A anedota do cigano "aiii, merreu o Zureeede... E merreu do quêee? Merreu com um cancro das costas... Aiii, logo vi cu malandre não era homem para ir para ele pela frenteee!" materializada no PSD, logo no dia a seguir aos apupos e às assobiadelas como por artes mágicas aparece a notícia da ex-bastonária da Ordem dos Advogados e Hugo Soares, que há mais de um mês vinha a receber desenhos de Rui Rio e de Marcelo, via Mindinho Mendes nas noites de domingo na SIC, caiu na real, como dizem os brasileiros, e não gostou, só se pode queixar de ser de compreensão lenta e de tentar esticar a corda quando do lado dele é só ele a puxar. Partido do Cancro nas Costas, por acso até nem é um mau nome.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Qual é a pressa?!

por josé simões, em 19.02.18

 

Brabara Krueger.jpg

 

 

Rui Rio, depois de 48 minutos de vacuidades e lugares-comuns [salvou-se a parte do consumo interno consequência e não leitmotiv do crescimento económico] que podiam muito bem ter sido ditos por qualquer líder de qualquer partido político em qualquer congresso, e depois de 10 anos de preparação, remata "depressa e bem há pouco quem". Fica registado.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Malucos do riso

por josé simões, em 18.02.18

 

congresso psd.jpg

 

 

Best of Congresso do PSD [via]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 17.02.18

 

clown (1).jpg

 

 

Depois de três anos a acusar António Costa de desrespeito pela tradição ao aceitar ser primeiro-ministro com base no exercício democrático no Parlamento, Pedro Passos Coelho, que durante quatro anos governou, ignorando e menosprezando a oposição, suportado por uma maioria parlamentar, acusa António Costa de "falta de respeito pelo exercício democrático" no Parlamento por governar assente numa maioria parlamentar e ignorando a oposição minoritária. Confusos?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Mesmo na hora da despedida

por josé simões, em 08.02.18

 

insect.jpg

 

 

Pedro Passos Coelho, dos cortes nas pensões e reformas, definitivos em Bruxelas mas provisórios em Portugal, acusa o Governo da 'Geringonça' de ambiguidade, de "vários discursos: há um discurso para Bruxelas [...] e outro para o país, eles não coincidem, são todos os diferentes". Mesmo na hora da despedida o modus operandi continua o mesmo, a mentira e o acusar os outros dos males de que padece.

 

[Imagem]