Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Irmãos Inseparáveis

por josé simões, em 01.02.23

 

1.jpg

 

 

Fn3fh0IWIAY-R5a.jpg

 

 

 

 

A tropa-fandanga do "sentido de Estado"

por josé simões, em 23.01.23

 

Sem Título 2-merged.png

 

 

Estas duas notícias, lado a lado no online do Correio da Manha [sem til], durante a vigência de um Governo PS, alegadamente de esquerda e a governar com o "Orçamento de Estado mais à esquerda" desde que há esquerda, é aquilo que a tropa-fandanga do "sentido de Estado" classifica como "populismo".

 

 

 

 

O que eles não percebem

por josé simões, em 20.01.23

 

1.jpg

 

 

No meio da enxurrada de notícias plantadas, com o nome de "investigação jornalística", sobre casos, esquemas, matrafisgas, de corrupção, suborno, más práticas governativas, ausência de espinha dorsal, a envolverem autarcas, ministros, secretários de Estado, ex ou actuais, do PS, com o imediato contra-ataque de mais notícias plantadas, com o nome de "investigação jornalística", sobre casos, esquemas, matrafisgas, de corrupção, suborno, más práticas governativas, ausência de espinha dorsal, a envolverem autarcas, ministros, secretários de Estado, ex ou actuais, do PSD, o que eles não percebem é que o que menos importa ao povo é quem é que gamou, quem é que se abotoou, quem é que governou a vidinha, quem é que, na vox pop, "encheu o cu", se mais ou menos que o outro, o "não fomos só nós, eles ainda fizeram pior", que o que importa é que colonizaram o Estado e a coisa pública com familiares, amigos, camaradas de partido, se "encheram", falharam como governantes, traíram o povo, insultaram os compatriotas, desrespeitaram a democracia. E genuinamente não percebem, como o provam a enxurrada de notícias plantadas, casos desenterrados, a não assumpção da culpa, a fuga para a frente.

 

[Imagem de autor desconhecido] 

 

 

 

 

RIP Mário Nogueira

por josé simões, em 14.01.23

 

senhora.jpg

 

 

No dia quem que o novel STOP encheu Lisboa de profs desde o Marquês ao Cais das Colunas ouvimos António Costa na reunião da Comissão Nacional do PS em Coimbra dizer pela enésima vez com indisfarçável orgulho "assinámos um acordo com a UGT". E o que é que o título do post tem a ver com o conteúdo?

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

"O afastamento das pessoas mais qualificadas"

por josé simões, em 13.01.23

 

s-l1600.jpg

 

 

Esse mecanismo deve ser equilibrado para não agravar um problema que o país tem já hoje, que é o recrutamento de pessoas qualificadas para a administração pública. Não só o governo, mas também para as empresas públicas e administração pública. Não devemos afastar as pessoas mais qualificadas, não devemos agravar este problema que já temos.

 

Em que medida é que o escrutínio e a transparência contribui para afastar os mais qualificados do governo, das empresas públicas, da administração pública, do que quer que seja? Maior qualificação é sinónimo de maior apetência para a vigarice e a trafulhice? E se o é devemos olhar para o lado, fingir que não vimos, desculpar qualquer coisinha, para que assim os mais qualificados aceitem vestir a camisola do governo, das empresas públicas, da administração pública, do que quer que seja? O senhor Silva espalhou-se ao comprido, reset e nova entrevista.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

50 anos depois do 25 de Abril os filhos da puta começam a sair dos buracos

por josé simões, em 12.01.23

 

FmTFdlPXEA04cAz.jpg

 

 

"O 25 de Abril foi a maior desgraça de Portugal" lê-se num cartaz na manif "apartidária" frente à sede do Partido Socialista no Largo do Rato em Lisboa. 50 anos depois do 25 de Abril os filhos da puta começam a sair dos buracos.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

 

Manobras de diversão

por josé simões, em 09.01.23

 

usaq-bagca-nahar.jpg

 

 

Para levar a sério era o PCP deixar de vez a palhaçada Os Verdes, aquela coisa que não se sabe quanto vale por nunca ter ido a votos em modo próprio, e desafiar o Bloco de Esquerda para um coligação eleitoral que podia duplicar a representação parlamentar das actuais bancadas. Cada qual ia às suas a seguir ao encerramento das urnas e cada partido continuava com o seu programa e agenda política, mas iam juntos a votos. Agora o PCP aparecer a propor-se solução governativa, prenha de adjectivação a lembrar a Rússia em 1917 ou Venezuela de 2002 do "socialismo bolivariano para o século XXI",  uma "alternativa patriótica e de esquerda", com ministérios e secretarias de Estado distribuídas, depois de nos idos da 'Geringonça' a ter recusado liminarmente, não é para levar a sério, é mais do mesmo, manobras de diversão.  

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Não há nada a que um ser humano não se habitue

por josé simões, em 06.01.23

 

the-rose-elephant-1440x946.jpeg

 

 

Um secretário de Estado com negócios ligados a empresa de lixos e resíduos, incluindo importação de lixo radioactivo, depois de um ministro do Ambiente que autorizou um outlet em reserva natural, depois de um ministro do Ambiente que autorizou o abate de sobreiros para construção de um campo de golfe, para depois aparecer a pedir que o preço da água reflicta a escassez do recurso, por curiosidade, e só por curiosidade, todos do Partido Socialista. Não há nada a que o ser humano não se habitue.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

As putas

por josé simões, em 06.01.23

 

anonimo.jpg

 

 

A verdade é que pessoas do PS, anónimos, conhecidos, militantes, avençados, que por estes dias passam o dia nas redes a recuperar casos e casinhos, com barbas de antigos, para apontarem o dedo à direita em matéria de corrupção, compadrio, incompatibilidades, amiguismos, ganhos indevidos, condenações, currículos martelados, etc, se despendessem o mesmo tempo, e tivessem o mesmo grau de exigência, com a classe dirigente do partido, a vida política era muito mais transparente, respeitável, e respirável.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O PS e o chá Li-Cungo

por josé simões, em 05.01.23

 

licungo.jpg

 

 

Não foi ela, foi o marido. Alguém que vive com outrem em comunhão de adquiridos, que sabem quanto é que cada um ganha por mês e a proveniência da retribuição, passado algum tempo o nível de vida e os gastos associados disparam exponencialmente sem que ninguém faça a pergunta "ouve lá de onde é que vem tanto dinheiro assim de repente para levarmos a vida que levamos?".  Um gajo que trabalhou comigo e acabou despedido após aturadas investigações em que se descobriu que roubava 350 litros de gasóleo por dia à empresa para revender a amigos e conhecidos a preço abaixo do praticado na bomba, era tudo lucro, para ele e para o comprador, empresa onde a mulher também trabalhava. Via os jerricans de 50 litros no quintal e, pela cor, devia pensar que era chá Li Cungo para alguma cura de emagrecimento do marido. Não foi ela, foi o marido. E depois há o populismo, a presunção da inocência, agora não se pode fazer nada que se é logo culpado, o afastamento dos melhores da política, ninguém quer ser enxovalho, os profissionais da política, o ónus da prova, os partidos como irmãos metralha, o partido como escolha para a progressão na carreira onde a ideologia é o que nada importa, a coluna vertebral de plasticina, o Ventas a subir nas sondagens, se calhar por culpa do populismo.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Os artistas de variedades

por josé simões, em 04.01.23

 

sax.jpg

 

 

Antes de haver Iniciativa Liberal havia blogues, que foi onde eles se conheceram todos antes de fundarem a colectividade, e nos idos dos blogues, os agora ilusionistas liberais, vilipendiavam o Partido Comunista por apresentar uma moção de censura no Parlamento por dá cá aquela palha, ainda para mais se o Governo era de maioria absoluta.

 

E antes de haver blogues havia o Partido Comunista, o tal das moções de censura  por dá cá aquela palha, o Partido Comunista que agora, pela voz de Paulo 'operário' Raimundo, diz fazer zero sentido apresentar uma moção de censura a um Governo com maioria absoluta no Parlamento.

 

Deve ser a isto que estes artistas de variedades chamam coerência.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Born to lose

por josé simões, em 03.01.23

 

car.jpg

 

 

António Costa, que tinha o Presidente da República no bolso por via da maioria absoluta, conquistada de mão beijada, numas eleições convocadas por Marcelo com a esdrúxula explicação do chumbo do Orçamento do Estado, de modo a facilitarem o calendário eleitoral na corrida à liderança do PSD, está refém do Presidente Marcelo, por um misto de trapalhadas, amiguismos resultantes em incompetências, checks and balances dentro do PS, sobranceria e arrogância de quem vive desligado do dia-a-dia do comum dos portugueses. Como cantava o Johnny Thunders em 1977,  "Baby I'm born too loose, Oh baby I'm born too loose". Cavaco, no sarcófago da Coelha, deve estar morto [outra vez] de riso.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Os 3 macacos de António Costa

por josé simões, em 30.12.22

 

Screenshot 2022-12-30 at 14-00-33 3 MONKEYS Art Pr

 

 

António 'Mizaru' Costa não viu nada; António 'Kikazaru' Costa não ouviu nada; António 'Iwazaru' Costa não disse nada. António Costa não tem de saber o que se passa nos ministérios e nas secretarias de Estado, é para isso que existem ministros e secretários de Estado. E não foi António Costa quem fez, deixou de fazer, se portou mal ou abotoou com o que não lhe era devido. Mas há uma coisa a que António 'três macacos sábios' não pode fugir: é ele quem, alegadamente, escolhe os seus ministros e secretários de Estado.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Bukkake

por josé simões, em 28.12.22

 

hotel-bukkake-party.jpg

 

 

E sim, é de pornografia que se trata. Alguém que vai à tomada de posse do governo, de um partido alegadamente socialista, com sapatos de 645 paus o par nos chispes, é bukkake na cara de milhares de portugueses que auferem isso mensalmente e levam a vida direitinha, de sol a sol, transportes públicos incluídos.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

E ainda gozam com o pagode

por josé simões, em 28.12.22

 

Sem Título.png

 

 

Como muito bem escreve o Pedro Amorim no Twitter, «"Período pessoalmente difícil" é aquele por que milhões de portugueses passam constantemente para viverem de forma digna e honesta, educar os filhos e pagar contas. E curriculum de enorme mérito é fazer tudo isto sem nunca ter recebido 500.000 duma indemnização indevida.»

 

Os saltitões de cartão do partido no bolso, de empresa em empresa com intervalos na política, vão acumulando currículo, é um facto indesmentível, um currículo não ao alcance, e na maioria dos casos vedado, a quem faz uma anónima carreira profissional, sem espírito trampolineiro, assim como indesmentível é a lata destes gajos, doutores gajos, apontados e nunca desmentidos à sucessão do líder. E foi precisa mais uma trampolinice para ficarmos todos a saber que em Portugal só há um partido que não é populista: o PS. PSD = populista; Chaga = populista; Bloco = populista; PCP = populista; PAN = populista; Livre = populista, assim como não populista é todo aquele que, fardado ou à paisana, veste a camisola do PS nas redes e passa o dia de pacote de OMO na mão na aldeia da roupa branca, tudo o resto é de populista para cima, eventualmente fascistas cheganos. Venham mais 500 k.

 

[Link na imagem]