Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Socialismo bolivariano para o séc. XXI

por josé simões, em 20.04.18

 

maduro.jpg

 

 

"As casas que estejam abandonadas ou injustificadamente devolutas, sobretudo em zonas de maior défice habitacional, poderão vir a ser requisitadas pelo Estado, regiões autónomas e autarquias por forma a serem reconvertidas e passarem a integrar o património habitacional público."

 

PS propõe requisição forçada de casas vazias para habitação

 

 

 

 

Qualquer dia querem que o líder parlamentar do PS ande de Clio

por josé simões, em 18.04.18

 

renault-clio-privilege-2-portas-1.6-16v-jaune-soleil-marca-universal-hobbies-escala-1.43.jpg

 

 

"Os políticos têm de ser bem pagos, blah blah blah, senão qualquer dia isto é só medíocres. blah blah blah, andamos a afastar os melhores com esta conversa de populista, blahblah blah", e qualquer dia ainda querem que o líder parlamentar do PS ande de Clio. Já para os outros, os que elegem deputados e pagam os políticos, é a economia, a produtividade, o crescimento económico, a inflação, a meta do défice, a sustentabilidade da segurança social e o diabo a quatro e quem não quiser pode emigrar.

 

Nem ilegalidade nem falta de ética. O presidente da Assembleia da República Ferro Rodrigues defende os deputados da Madeira e dos Açores no caso do pagamento das viagens entre Lisboa e as ilhas.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Ir para a política para tratar da vidinha

por josé simões, em 16.04.18

 

sammyslabbinck.jpg

 

 

Como levar a sério um político cuja mulher foi escolhida sem concurso pelo Governo regional, do PS, a nora foi nomeada por uma secretária do Governo regional, do PS, o irmão exerce a profissão de jornalista como assessor de comunicação no governo, do PS, e no Parlamento, na bancada do PS, a sobrinha foi contratada por uma empresa municipal de uma Câmara, PS,  e que é reembolsado por viagens de avião que não paga ao serviço do grupo parlamentar, do PS? Tudo legal, nada por onde se possa pegar. Assim como legal é o desinteresse dos cidadãos pela política, reflectido no cada vez maior abstentismo, em standby à espera de um qualquer populista com discurso anti-partidos.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Noções elementares de ética republicana, Capítulo II

por josé simões, em 14.04.18

 

expresso.jpg

 

 

[Capítulo I]

 

 

 

 

Tudo farinha do mesmo saco

por josé simões, em 13.04.18

 

the economist (1).jpg

 

 

O símbolo do PS na 'Geringonça' conduzida por António Costa, segundo o The Economist.

 

 

 

 

Noções elementares de ética republicana

por josé simões, em 31.03.18

 

das caldas.jpg

 

 

"Câmara de Lisboa simula consultas ao mercado para contratar histórico do PS"

 

Joaquim Morão, antigo autarca-modelo e membro da Comissão Política Nacional do PS, foi consultor da Câmara de Lisboa até Setembro. Para o contratar, o município simulou uma consulta ao mercado, recorrendo por duas vezes a duas empresas de um amigo de Morão

 

[Imagem]

 

 

 

 

Olé!

por josé simões, em 16.03.18

 

cortés.jpg

 

 

Esta é uma daquelas notícias que fazem a esquerda PS, e o PS de esquerda, gastar rios de tinta e quilómetros de português em indignações e clamores de revolta, quando o caso é à direita, mas que fazem haver sempre uma boa justificação moral, política, profissional, não necessariamente por esta ordem, quando lhe toca a eles.

 

EMEL contrata por ajuste directo antiga deputada do PS

 

Sofia Conde Cabral, que também já foi assessora de Fernando Medina, vai receber 20 mil euros para fazer a ligação entre a empresa municipal e a Câmara

 

"Faena" para rabo e duas orelhas. Olé!

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Meter a carneirada a discutir aquilo que interessa discutir

por josé simões, em 08.03.18

 

carneirada.jpeg

 

 

Corria o ano de 2000 e o mui socialista e mui à esquerda Jorge Coelho, então ministro do Equipamento Social, renegoceia a concessão das pontes sobre o Tejo com a Lusoponte, passando para o Estado, que é como quem diz para os contribuintes, o ónus da manutenção das ditas, com o Tribunal de Contas a concluir que "As contrapartidas directas à concessionária ascendem, a preços descontados das taxas de inflação, a cerca de 180 milhões de contos (900 milhões de euros), isto é, o equivalente a uma nova travessia sobre o Tejo".

 

Ao PS interessa que se discuta se a ponte é ou não é segura, se as obras começam hoje, amanhã, ou em dia de São Nunca à Tarde sem pôr em risco os milhares que todos os dias cruzam a 25 de Abril. À direita radical, PSD e CDS, interessa  que se discuta se a ponte é ou não é segura, se as obras começam hoje, amanhã, ou em dia de São Nunca à Tarde sem pôr em risco os milhares que todos os dias cruzam a 25 de Abril, porque enquanto se fala nisso não ficam entalados entre a opinião pública e os interesses das empresas privadas que sempre defendem em prejuízo do erário público. E a isto chama-se meter a carneirada a discutir aquilo que interessa discutir.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

E andamos nisto...

por josé simões, em 27.02.18

 

lukasz_wierzbowski.jpg

 

 

Marques Mendes, Conselheiro de Estado e moço de recados, ex-líder do PSD, o partido que durante décadas de Governo fechou escolas, postos de saúde e hospitais, tribunais, repartições do Estado no interior do país, aparece na homilia semanal que tem na televisão do militante n.º 1 mui imbuído de "sentido de Estado" a dar uma dica a Rui Rio, líder do PSD, o partido que durante décadas de governo fechou escolas, postos de saúde e hospiutais, tribunais, repartições do Estado no interior do país: que deve trazer para a agenda a desertificação humana do interior país. Mais, que Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente-comentador, ex-líder do PSD, o partido que durante décadas de governo fechou escolas, postos de saúde e hospitais, tribunais, repartições do Estado no interior do país, deve mover influências, mexer cordelinhos, juntar à mesa o actual líder do PSD e o primeiro-ministro, António Costa, líder do PS, o partido que durante décadas, no governo ou na oposição, implementou políticas ou assinou de cruz políticas implementadas pelo PSD, o chamado entendimento entre os partidos estruturantes da democracia para as reformas estruturais do Estado, que levaram ao fecho de escolas, postos de saúde e hospitais, tribunais, repartições do Estado no interior do país. E andamos nisto...

 

[Imagem]

 

 

 

 

In Memoriam

por josé simões, em 27.01.18

 

edmundo pedro.jpg

 

 

Edmundo Pedro

 

1918 - 2018

 

 

 

 

Ainda que mal pergunte

por josé simões, em 02.01.18

 

hurricane.jpg

 

 

Se é necessária a autorização da Assembleia de Condóminos para abrir um consultório - médico, advogados, etc. , num prédio de habitação, porque é que há-de ser diferente com o "alojamento local"?

 

[Imagem]

 

 

 

 

MIssão cumprida

por josé simões, em 20.12.17

 

chapa-placa-esmaltada-dos-correios-montijo.jpg

 

 

António Borges já cá não está, Deus tenha piedade da sua alma. Sérgio Monteiro anda por aí a tratar da vidinha. José Luís Arnaut é o José Luís Arnaut. E Pedro Passos Coelho está de abalada. Se os CTT tivessem sido privatizados por um Governo PS, como estava previsto no Plano de Estabilidade e Crescimento de José Sócrates para 2010, os deputados da bancada parlamentar socialista hoje não tinham 800 razões para fazer prova de vida em defesa dos postos de trabalho e do serviço público. De fazer chorar as pedras da calçada.

 

[Imagem]

 

 

 

 

A captura

por josé simões, em 18.12.17

 

 

 

No país onde um ex-primeiro-ministro antes de o ser foi porteiro ["O Pedro é que abria as portas todas"] e onde a porta giratória privado-público-privado continua bastante oleada, dá muito jeito ao ex-actual-futuro deputado, ministro, secretário de Estado, fazer uma espécie de voluntariado da elite político-partidária que é o de dar o nome para enfeitar os órgão sociais de clubes, colectividades, associações diversas, Misericórdias e IPSS, ser visto e fotografado ao lado de personalidades relevantes e mediáticas da dita sociedade civil, que chega onde o Estado se demitiu de chegar. Daí as famosas selfies e fotos que estas raríssimas personagens de clubes, colectividades, associações diversas, Misericórdias e IPSS usam para enriquecer o portfólio que lhes permite conhecer mais porteiros que lhes abram mais portas que lhes facilitem o acesso ao pote do dinheiro do contribuinte ou que, mais tarde, as façam girar da sociedade civil para o Estado e do Estado para a sociedade civil. Como diria Jaime Pacheco, "é uma faca de dois legumes". Uma faca de dois legumes que mete um ministro prestigiado e competente a fazer figura de papalvo e que mete os partidos da marcha do balão e do "arco da governação" a mexer no assunto com pinças, que é como quem diz, mete o PSD e o CDS a chegarem à frente dois palermas de segunda linha, Clara Marques Mendes e António Carlos Monteiro, respectivamente, dos raros com assento nas bancadas parlamentares sem ligação declarada a clubes, colectividades, associações diversas, Misericórdias e IPSS, com alguma autoridade moral e sem telhados de vidro para abordarem a questão.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Socialista de Esquerda

por josé simões, em 14.12.17

 

 

Francisco Assis, o verdadeiro socialista de esquerda, que ficou para a história pelo desabafo "qualquer dia querem que o presidente do Grupo Parlamentar do PS ande de Clio, quando se desloca em funções oficiais", curiosamente o mesmo princípio defendido pela senhora presidente da associação Raríssimas que se deslocava em BMW a expensas do contribuinte - o estatuto e a dignidade do cargo, o que é que os outros pensam das nossas gravatas [ou da falta delas] e se nos deslocarmos num qualquer chaço velho?

Francisco Assis, o verdadeiro socialista de esquerda e escudeiro da honra do Partido Socialista, contra os desmandos e a falta de respeito do Bloco de Esquerda.

Francisco Assis, o verdadeiro socialista de esquerda e escudeiro da honra do Partido Socialista e impermeabilizador do PS, contra os negócios e interesses corporizados em António Costa, como acusou o líder do Partido Socialista, que Francisco Assis apoiou contra António Costa, da 'Geringonça' com o Bloco de Esquerda, acusado pelo Bloco de Esquerda de ser permeável ao poder económico.

Francisco Assis, a ele ninguém o cala, sobretudo se o pretexto da defesa da honra do Partido Socialista for um bom pretexto para atacar o líder do Partido Socialista, fazer prova de vida e um frete à direita.

 

[Imagem]

 

 

 

 

"Acabou-se o argumento", dizem eles

por josé simões, em 05.12.17

 

now what.jpg

 

 

É por estes dias o argumento puxado para os fóruns e para os espaços de comentário nas rádios, jornais e televisões pela "direita unitária", que é aquela direita que oficialmente não é de direita mas do centro, que tanto pode ser do PS como do PSD ou até do CDS, cheia de boas maneiras e de responsabilidade e com luvas brancas e falinhas mansas, que tem boa timeline de esquerda no Twitter e no Facebook, encartada na direcção de televisões ou com avença e lugar cativo no comentário pago, que com a eleição de Mário Centeno para a presidência do Eurogrupo acaba de vez o argumento da direita, que não eles, do TINA por oposição à irresponsabilidade e ao despesismo esquerdista, inimigo das boas contas, da consolidação orçamental, da diminuição do défice e do Estado cumpridor, pagador a tempo e horas, eficaz e longe da economia o mais possível, como se fosse isso que alguma vez tivesse estado em cima da mesa e não a transferência de rendimentos do trabalho para o capital, só, e a coberto da mentira da "gordura" e do "viver acima das possibilidades", do sofrimento terreno para alcançar a glória dos mercados, nestes últimos dois com uma reversão, mínima, só possível por uma conjugação de factores, irrepetíveis: a ambição de António Costa em ser primeiro-ministro e o pavor do PCP e BE por mais 4 anos de Governo da direita radical. O resto é história e Mário Centeno faz parte dela.

 

[Imagem]