Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| 1972 – 2015

por josé simões, em 09.06.15

 

Albert Woodfox.jpg

 

 

Albert Woodfox

 

 

 

 

||| Daqui por uns anos

por josé simões, em 03.02.15

 

404-error.gif

 

 Quando daqui por uns anos, muitos e longos que as anedotas são de alentejanos mas quem tem o proveito é a justiça do Minho ao Algarve, José Sócrates ganhar uns milhões de euros de indemnização depois de recurso atrás de recurso que, invariavelmente, termina no Tribunal Europeu, por causa de um processo mal-amanhado, mal fundamentado, mal investigado e que não deu em nada a não ser em dores de cabeça para o próprio e mais um ror de gente e os tempos que passou à sombra atrás das grades, quem é que paga o pilim? O erário público aka o bolso do contribuinte aka o Estado, ou o bolso do juiz Carlos Alexandre, a meias com o bolso do Procurador Rosário Teixeira, com uma "vaquinha" de ajuda dos meritíssimos Agostinho Torres, Mouraz Lopes e outros?

 

 

 

 

||| Doctor Doom

por josé simões, em 03.01.15

 

doctor doom.png

 

 

Até para os mais distraídos e naifs é cada vez mais óbvio que, culpado ou inocente, a ideia subjacente à prisão preventiva de José Sócrates é ir fritando o dito em lume brando, com a fuga controlada e cirúrgica para a opinião pública, via jornais do costume, de detalhes da "investigação", de "suponhamos" da "investigação", de "se por hipótese" da "investigação" e de "suponhamos" da "investigação" mais "se por hipótese" da "investigação" as conclusões "obvias" da "investigação" são "obvias" para a "investigação", sem lhe dar a mínima hipótese de defesa ou de rebater as acusações.


Este intitulado super-juiz está cada vez mais próximo de encarnar o papel de super-vilão.


«Ex-primeiro-ministro deu entrevista à TVI, na qual voltou a afirmar estar inocente dos crimes de que é acusado. Desobediência, depois de ter sido negada a entrevista ao Expresso, pode valer pena de multa.»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Não foi no Expresso

por josé simões, em 29.12.14

 

 

 

Nem no Correio da Manha, que já está a arriscar a cabazada com duas no saco sem resposta:


Isto da correspondência trocada entre José Sócrates e Mário Soares escarrapachada nas páginas do Jornal de Notícias só é comparável ao e-mail de Maria Luís Albuquerque para Luís Marques Guedes no Expresso, certo?

 

 

 

 

||| Mata e esfola

por josé simões, em 15.12.14

 

Saratov, Russia.jpg

 

 

A justiça que deixa cair a conta-gotas, e cirurgicamente, pedaços do "segredo" para o Correio da Manha e o Sol fazerem primeiras páginas e para a televisão do Correio da Manha abrir "telejornais", para a fritura em lume brando da condenação vox pop na praça pública, é a mesma justiça que prende preventivamente um cidadão sem explicar porque o prende e retira ao cidadão, preso preventivo sem saber porquê, um dos direitos fundamentais do ser humano numa sociedade moderna e democrática: o direito à palavra.


Já faltou mais para reintroduzir os julgamentos sumários e os trinunais plenários.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Pediu dinheiro a um amigo

por josé simões, em 13.12.14

 

hearing and seeing machine.jpg

 

 

«José Sócrates escutado a pedir dinheiro a amigo» e devia, logo logo logo de seguida, ter pedido pareceres a dois juristas da Faculdade de Direito de Coimbra [dois doutores de Coimbra, meu Deus!], se próximos do PSD de Passos Coelho tanto melhor, a escudar-se no "bom princípio geral de uma sociedade que quer ser uma comunidade – comum unidade –, com espírito de entreajuda e solidariedade", e se fosse escutado a pedir os pareceres tanto melhor ainda.


Querem que a gente acredite na justiça? Nem que peçam "por favor!".


[Imagem]

 

 

 

 

||| Prision break, conhecidos e é de vista

por josé simões, em 07.12.14

 

Prison_Break.jpg

 

 

Francisco Balsemão não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Rui Machete não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Cavaco Silva não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Marcelo Rebelo de Sousa não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Durão Barroso não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Santana Lopes não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Marques Mendes não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Luís Filipe Menezes não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão.


Manuela Ferreira Leite não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão, pelas mesmas razões de todos os outros e porque uma senhora não entra numa prisão para homens.


Pedro Passos Coelho não foi visitar os amigos e camaradas de partido à prisão, pelas mesmas razões de todos os outros, de Manuela Ferreira Leite, e porque a vaga memória que deles tem dos tempos da jota e de quando era 'porteiro' na Tecnoforma só dela dá notícias se a Procuradoria-Geral da República esclarecer se há nisso algum ilícito.


Francisco Balsemão, Rui Machete, Cavaco Silva, Marcelo Rebelo de Sousa, Durão Barroso, Santana Lopes, Marques Mendes, Luís Filipe Menezes, Manuela Ferreira Leite e Pedro Passos Coelho nem sequer são amigos dos amigos que têm e tiveram na prisão, militantes do mesmo partido e que só atingiram a notoriedade que atingiram, que só criaram as relações e teias de cumplicidades que criaram, que só moveram as influências que movem e continuam a mover, graças ao partido de que foram e são militantes.


Francisco Balsemão, Rui Machete, Cavaco Silva, Marcelo Rebelo de Sousa, Durão Barroso, Santana Lopes, Marques Mendes, Luís Filipe Menezes, Manuela Ferreira Leite e Pedro Passos Coelho não são amigos dos amigos que têm e tiveram na prisão, são conhecidos e é de vista.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Os amigos são para as ocasiões

por josé simões, em 04.12.14

 

Oddly Head.jpg

 

 

Eu, no lugar de António Costa, [também] ia, [também] já tinha ido, visitar José Sócrates à prisão, e tornava a ir as vezes que muito bem entendesse.


À chegada dizia à bataria [*] de jornalistas posicionada à porta que serviço é serviço e cognac é cognac e que tinha muito orgulho de ter pertencido a um Governo que deixou marcas importantes na sociedade, como a aposta na educação e na requalificação do parque escolar, a aposta na educação e qualificação de adultos, a aposta nas energias renováveis, o Complemento Solidário para Idosos, a despenalização da Interrupção Voluntária da Gravidez, a Educação Sexual nas escolas, os apoios à procriação medicamente assistida, o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a refinaria da Galp, a aposta e os incentivos às exportações, a aposta nas novas tecnologias, a promoção de Portugal como destino turístico de excelência, e que não eram umas alegadas suspeitas de corrupção e de branqueamento de capitais que iam apagar isso do mapa e que, mesmo que as suspeitas se venham a dar como provadas, também não é isso que vai apagar esses marcos da governação do mapa.


À saída, quando a bataria [*] de jornalistas voltasse à carga, entrava no carro, abria o vidro, ligava o som e arrancava ao som da Dionne Warwick, do Elton John, da Gladys Knight e do Stevie Wonder em That's What Friends Are For.


[Imagem]

 

 

 

 

||| É um pássaro?.. É um avião?.. Não... é um Super-Juiz!

por josé simões, em 28.11.14

 

superman.png

 

 

O que nenhum super-juiz ainda explicou, de viva voz ou através dos gabinetes de comunicação do Tribunal de Instrução Criminal – Correio da Manha e Sol, mas devia, digo eu que não percebo nada disto mas que gosto de tudo muito explicadinho, até por causa dos "alarmes sociais" e tais, é porque é que com José Sócrates foi tiro e queda, da manga do avião para a choça e da choça para as buscas e rebuscas na "casa dos segredos" na Rua Bran Can como dizem na televisão, logo meia dúzia de horas depois e com Ricardo Salgado foi tiro e vá lá V. Exa. , comendador, não é mas podia ser, descansado, que a gente vai fazer uma busca e uma rebusca daqui por 120 dias, se é que aquele hiato entre a detenção para falar com o meritíssimo e as notícias do aluguer de um espaço num hotel da linha para encher de caixotes e papelada diversa não foi suficientes. Se calhar é porque os tostões do Banco Espírito Santo “não são um risco para o contribuinte” e os alegados 20 milhões de Sócrates, esse pulha, vão ser pagos até ao último avo com o dinheiro de todos nós.


[O título do post fanado ao João Pires e a imagem encontrada aqui]

 

 

 

 

|| "Estou preparado para morrer"

por josé simões, em 27.06.13

 

 

 

"I have fought against white domination, and i have fought against black domination. I have cherished the ideal of a democratic and free society in which all persons live together in harmony and with equal opportunities."

 

"It is an ideal which i hope to live for and to achieve. But if needs be, it is an ideal for which i am prepared to die."

 

A 12 de Junho de 1964, o discurso de um estadista para o mundo, no dia em que foi condenado a prisão perpétua conjuntamente com Mlangeni, Walter Sisulu, Ahmed Kathrada, Govan Mbeki , Denis Goldberg [o único branco], Raymond Mhlaba e Elias Motsoaledi. Para ouvir aqui.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Como a dupla Pedro & Paulo gosta de dizer, "a imagem que no estrangeiro têm de nós"

por josé simões, em 24.11.12

 

 

 

Ainda assim «as perspectivas para aqueles que deixam a cadeia são bem mais sombrias»

 

[A imagem é um slideshow no Guardian intitulado "Dentro de uma prisão sobrelotada em El Salvador". Não precisavam ter ido tão longe…]

 

 

 

 

 

 

|| Accidentalia negotii

por josé simões, em 07.09.10

 

 

 

Excluída que parece estar a piedade cristã do “dar a outra face”, resta como prémio de consolação a aprendizagem, a posteriori e por actio in personam, da velha máxima “não faças aos outros aquilo que não gostas que te façam a ti”. Menos sorte tiveram as suas vítimas, pela ausência de prerrogativa em pedir transferência para longe do agressor.

 

(Imagem de autor desconhecido)

 

 

 

 

|| O Triângulo Cor-de-Rosa

por josé simões, em 20.05.09

 

«Un módulo para gays que evita las violaciones en la cárcel»

 

«Asociaciones españolas critican este proyecto experimental porque supone crear nuevos guetos y estigmatiza a los homosexuales»»

 

(The Pink Triangle)