Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Anatomia de um golpe

por josé simões, em 06.06.24

 

foto.jpg

 

 

Numa fuga ao segredo de justiça, onde o Correio da Manha [sem til] não foi tido nem achado, um parágrafo vem a público no dia 7 de Novembro de 2023 entre as dez e meia da manhã, hora da saída de António Costa, primeiro-ministro, da audiência com o Presidente da República, e o meio-dia e vinte, hora da saída de Lucília Gago, Procuradora-Geral da República, 50 minutos depois de ter entrado para falar com Marcelo, e faz cair um Governo de maioria absoluta.

 

Duas gémeas próximas do doutor Nuno, com cunha do doutor Nuno, despachadas pelo pai do doutor Nuno para a Casa Civil da Presidência do pai do doutor Nuno, constituem um ex -secretário de Estado arguido por abuso de poder, e alvo de buscas cinco anos depois do caso e passados 3 meses depois de ter vindo a público, a três dias de umas eleições para o Parlamento Europeu, perante a inocência do doutor Nuno, a inimputabilidade do pai do doutor Nuno, e a Casa Civil do pai do doutor Nuno que só faz aquilo que lhe mandam fazer.

 

Portugal ainda é uma democracia?

 

[Imagem de autor desconhecido] 

 

 

 

 

O velhaco

por josé simões, em 31.05.24

 

A capa da revista do Expresso.jpg

 

 

Atormentado pelo gozo e pela culpa, o Presidente chega a ir a Fátima de 15 em 15 dias para rezar. As sondagens menos positivas voltam a mergulhá-lo na solidão [...].

 

Todas as manigâncias são possíveis, todas as intrigas e jogadas de bastidores são admissíveis, todas as mentiras e meias verdades são ética e moralmente aceitáveis, porque a seguir estamos perante Deus para o perdão, saímos como novos, voltamos às manigâncias, às intrigas e às jogadas de bastidores, às mentiras e às meias verdades, assim sucessivamente num eterno retorno. O Presidente beato católico, do recalcamento da culpa, que obedece à Igreja e responde a Deus, em vez de à Constituição e ao povo, de quem só quer massagens no ego. Temos o que merecemos.

 

[Na imagem a primeira página da revista do Expresso]

 

 

 

 

Uma cambada de cornos

por josé simões, em 06.05.24

 

1.jpg

 

 

Marcelo encontrou-se por acaso com Teresa Leal Coelho num semáforo de Lisboa; Marcelo encontrou-se por acaso com Carlos Moedas na Feira do Livro ao Parque Eduardo VII; Marcelo encontrou-se por acaso com Sebastião Bugalho na Ovibeja; Marcelo só não se encontrou por acaso com Luís Montenegro na FIL ao Parque das Nações porque por acaso um climático despejou uma lata de tinta. Somos uma cambada de cornos, é a conclusão óbvia a retirar.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Passar vergonhas

por josé simões, em 29.04.24

 

merkel-marcelo.jpg

 

 

Marcelo foi eleito 20.º Presidente da República em Março de 2016. E ainda só vamos em Maio de 2024. Entretanto Marcelo foi e veio, andou por aí à roda do mundo, e recebeu em casa, tudo em representação do país. E das conversas que teve à mesa das refeições, que não tiveram o azar de ver a luz dos media, só Deus sabe, como diz o povo.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

O Supemo Inimputável da Nação

por josé simões, em 25.04.24

 

marcelo.jpg

 

 

Marcelo diz que Montenegro tem "comportamentos rurais" e que Costa era "lento" por ser oriental

 

[Imagem]

 

 

 

 

Dia 24 de Abril

por josé simões, em 24.04.24

 

rebelo-de-sousa.jpg

 

 

Rebelo de Sousa, para se limpar, quer que os portugueses acreditem fez saber que cortou relações com o filho por causa do affair gémeas brasileiras. A seguir vai cortar relações com a Casa Civil por ser indmissível esta ter vida própria e independente da Presidência. Ainda não o disse mas é o que vai acontecer. Uma notícia do dia 24 de Abril, de 2024, mas ainda assim não deixa de ser 24 de Abril.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Definitivamente perdeu a vergonha

por josé simões, em 20.04.24

 

KH.jpg

 

 

O Presidente de facção confessou o seu sonho desde 2016. Definitivamente perdeu a vergonha.

 

[A dissolução do Parlamento] era um sonho antigo da direita portuguesa, desde 2016

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A insustentável leveza de Marcelo

por josé simões, em 17.04.24

 

marcelo.jpg

 

 

"É pá, deixem lá isso da mão, a demissão do primeiro-ministro, a queda do Governo, o Costa até vai para Bruxelas, até é um cargo muito melhor".

 

O Presidente de todos os portugueses goza com todos os portugueses? Não se incomodem em responder.

 

[Imagem]

 

 

 

 

A Ordem da Liberdade

por josé simões, em 10.04.24

 

GW.jpg

 

 

Otelo Saraiva de Carvalho, o estratega do 25 de Abril, foi a enterrar sem funeral de Estado nem luto nacional, quase às escondidas, por causa das FP25, do terrorismo e coise.

António de Spínola, Presidente da República por recusa da primeira escolha para o cargo - Costa Gomes, presidente da Junta de Salvação Nacional pela necessidade de um general para receber o poder das mãos do poder deposto, conspirador-mor contra a revolução e líder de uma organização terrorista-bombista, foi medalhado às escondidas por causa do MDLP, do terrorismo e coise.

Para a história era Marcelo Rebelo de Sousa Presidente da República, cargo que ocuparia com ou sem revolução, se calhar até mais cedo se o regime não tivesse sido derrubado.

 

 

 

 

Pela calada da noite

por josé simões, em 21.03.24

 

Retrato_da_família_do_Governador-Geral_de_Moçamb

 

 

Houve um tempo em que as coisas eram feitas pela calada da noite, foi no tempo do pai de Marcelo, como Marcelo muito bem sabe disso. Indigitar um primeiro-ministro pela calada da noite, a sério?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Dia do Pai

por josé simões, em 19.03.24

 

marcelo.jpg

 

 

Marcelo tinha mandado dizer na véspera das eleições que com ele o taberneiro não entrava no Governo. Eleições feitas e o taberneiro vai a casa de Marcelo com mais de um milhão de votos no bolso e à saída diz que o Presidente não se importa que ele faça parte do Governo. Ainda o taberneiro estava a passar a língua pelas beiças para pontuar o discurso como é seu timbre e já Marcelo fazia sair uma nota a dar conta de que "Como tem repetidamente afirmado, o Presidente da República não comenta declarações de partidos políticos nem notícias de jornais.". E aqui é que reside a arte do artista Marcelo. Marcelo não diz que afinal já quer o taberneiro no Governo, "aquilo antes das eleições foi no gozo, lol, caíram que nem patinhos", ou "disse aquilo para o pagode não ter medo de votar na minha facção, não resultou, temos pena", ou ainda "o que disse antes das eleições não fui eu quem o disse, foi "a fonte"", não, Marcelo diz que não comenta o comentário do taberneiro. É o que está lá escrito, escusam as pitonisas, comentadeiros e paineleiros vir com efabulações, Marcelo não desmentiu, Marcelo não confirmou, Mar-ce-lo não co-men-ta. Pon-to.

 

[Link na imagem]

 

Podia Marcelo ter acrescentado duas alíneas ao "o Presidente da República não comenta declarações de partidos políticos nem notícias de jornais:

a) Excepto no Governo da 'Geringonça'

b) Excepto no Governo da maioria absoluta do Partido Socialista

 

 

 

 

O Golpe, segunda parte

por josé simões, em 12.03.24

 

correio_da_manha.jpg

 

 

Os votos dos emigrantes valem zero, vamos começar a ouvir os partidos, schnell, schnell, mesmo em coligação, que essa coisa das coligações terminarem no dia a seguir às eleições é coisa que não dá jeito a Marcelo. Até dia 20, o dia em que são apurados os votos que não valem nada, os dos emigrantes, tem de ficar o assunto despachado, schnell, schnell. Os cofres estão cheios àespera de Montenegro. Afinal somos um país rico. Viva!

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 08.03.24

 

marcelo barreiro.jpg

 

 

Depois do regresso ao passado do que de pior a política portuguesa teve nestes 50 anos de democracia, um freak show de carreiristas oportunistas e outros incompetentes e medíocres, montado na campanha eleitoral de Montenegro; depois de ter falhado um encontro acidental com Montenegro na Bolsa de Turismo de Lisboa por causa de uma lata de tinta verde despejada por um imbecil climático, Marcelo faz saber pela habitual fonte da Presidência que tudo fará para evitar o partido do taberneiro no Governo, podem os indecisos ficar descansados e ir à cruzinha sem receio. Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Ele há coisas do caralho

por josé simões, em 28.02.24

 

marcelo.jpg

 

 

Corria a campanha eleitoral para as Autárquicas de 2017 e Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente de todos os portugueses, num semáforo encontrou-se por acaso com Teresa Leal Coelho, candidata do seu partido, o PSD, à Câmara Municipal de Lisboa.

 

Estávamos para saber das prometidas antecipadas legislativas por Marcelo, caso o Orçamento do Estado viesse a ser chumbado, e Marcelo, o Presidente de todos os portugueses, recebia na residência oficial o líder da oposição interna ao líder do seu partido, o PSD, para tratar da data das eleições antecipadas, condicionada pela data das eleições para a liderança do PSD.

 

Corria a campanha eleitoral para as Autárquicas de 2023 e Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente de todos os portugueses, encontrou-se por acaso na Feira do Livro com Carlos Moedas, candidato do seu partido, o PSD, à Câmara Municipal de Lisboa.

 

Corre a campanha para as Legislativas de 2024 e Marcelo Rebelo de Sousa só não se encontrou por acaso com Luís Montenegro, líder do seu partido, o PSD, na Bolsa de Turismo de Lisboa, porque um imbecil climático se meteu pelo meio.

 

Como se diz em português corrente, ele há coisas do caralho.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

O regresso do circo

por josé simões, em 16.02.24

 

cao.jpg

 

 

Marcelo foi ao teatro e Marcelo antes de sair de casa para ir ao teatro mandou uma nota de imprensa para todas as rádios, televisões e jornais a dar conta de que Marcelo ia ao teatro. É mais forte que ele.

 

[Link na imagem]