Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

E quando precisávamos de um Presidente sai-nos uma rifa

por josé simões, em 18.03.20

 

please-dont-kiss-me.jpg

 

 

Regressado da clandestinidade em Cascais para onde tinha fugido com medo dos próprios medos, depois de duas semanas a ver pela televisão a vida continuar, dentro das condicionantes, na maior das normalidades, regida pela auto-disciplina a que os portugueses se propuseram e com uma única voz de comando, discreto, na hierarquia do Estado, a do primeiro-ministro, Marcelo, de quem ninguém sentiu a falta, [re]aparece apostado em retomar o seu desporto favorito desde que foi eleito: condicionar a acção governativa, ao mesmo tempo que ensaia uma justificação para a sua fuga, lavar a cara aos olhos dos portugueses com um "estado de emergência" que nada, mas nada, o justificava nesta altura dos acontecimentos. E quando precisávamos de um Presidente sai-nos uma rifa.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 09.03.20

 

The clown Maïss - Louis Maisse - c.1945.jpg

 

 

Quero felicitar o Senhor Presidente da República neste 4º aniversário da sua tomada de posse, com votos de que o ano que agora se inicia seja assinalado pelo mesmo nível de sucesso, aproveitando para o congratular pelos resultados negativos nas análises de saúde hoje efetuadas.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Marcelo da cunha e a vertigem mediática

por josé simões, em 26.02.20

 

silence.png

 

 

Ver e ouvir o Presidente da República dizer publicamente, e com a maior das naturalidades, que foi preciso meter uma cunha para que o português infectado no Japão passasse à frente na lista de espera, como qualquer português que se preze tenta fazer em tudo o que meta lista de espera, da escola para os filhos à consulta no centro de saúde passando pelo centro de dia para o pai ou a mãe, porque manhosos são os ciganos que usam estratagemas para passar à frente na fila do supermercado, como é por todos sabido, nada como a proposta do CDS de pagar para passar à frente na lista de espera para quem não estudou o suficiente para atingir a média para entrar na universidade, onde são raros os ciganos, cruzes canhoto.

 

Marcelo da cunha e a vertigem mediática ou Marcelo calado é um poeta.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Noções elementares de como legitimar um fascista, Capítulo II

por josé simões, em 31.01.20

 

Max Papeschi.jpg

 

 

Marcelo Rebelo de Sousa, mais rápido que o INEM a chegar à queda de uma avioneta em cima do telhado de um hipermercado a dezenas de quilómetros de Cascais; Marcelo Rebelo de Sousa, mais rápido que a própria sombra a chegar ao descarrilamento de um eléctrico numa calçada de Lisboa; Marcelo Rebelo de Sousa, sempre disposto a meter o bedelho onde não é chamado, e onde os poderes presidenciais não são tidos nem achados, para condicionar a acção do Governo; Marcelo Rebelo de Sousa, que se baba todo e que fica com a cara toda babada para beijar tudo o que respira à face da terra e que lhe renda simpatia popular; Marcelo Rebelo de Sousa não comenta o "vai para a tua terra" de André Ventura e "desaconselha escaladas" porque "o radicalismo fomenta o radicalismo, a agressividade fomenta a agressividade". Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente que jurou cumprir e fazer cumprir a Constituição, diz ao deputado do Chega que pode dizer tudo o que lhe vai na real gana e diz aos restantes deputados, partidos políticos, cidadãos anónimos deste país que devem ouvir e calar e se calhar até dar a outra face, fazer o sinal da cruz e dizer "amém!".

 

[Imagem]

 

Noções elementares de como legitimar um fascista, Capítulo I

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 05.12.19

 

Peditório da Liga Portuguesa Contra o Cancro há 70 anos.jpg

 

 

Marcelo Rebelo de Sousa, o Presidente armado em o Comentador, aparecer num causa nobre como é a da liga Portuguesa Contra o Cancro com o parlapié do "voluntariado, com tudo o que é dar mais do que receber significa, por tudo o que se dá se receber multiplicado", misturando tudo, causas sociais e ganância, na base do trabalho para aquecer que enche os bolsos dos Álvaros Covões dos Noses Alives, dos Paddys Cosgraves dos Webes Summites, dos Luízes Montezes dos Meos Sudoestes e Mecos, dos donos dos Lisboas Games Weeks e Iberes Animes desta vida, já depois de na Web Summit ter gozado com a inteligência dos portugueses ter atirado areia para os olhos dos portugueses com um "se fosse mais novo era voluntario, adorava ser voluntario num acontecimento mundial, estar de perto a ouvir grandes oradores mundiais" [a partir do minuto 04:50] como se o voluntário num evento desta natureza tivesse mais que uma jornada de sete horas de trabalho de pé, umas sandes como almoço, uma garrafa de água e nem tempo para se coçar quanto mais o "receber em triplicado" que fica nos bolsos de quem tem de ficar. Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 02.12.19

 

Jean-Marie_Cairoli.jpeg

 

 

"Marcelo não vai cumprimentar Greta Thunberg para evitar "aproveitamento político""

 

Pensei duas vezes, estar a misturar podia ser considerado um aproveitamento político por mim de uma realidade mais ampla e mais vasta e acho que não tenho esse direito

 

[Imagem]

 

 

 

 

A direita portuguesa a gostar dela própria

por josé simões, em 17.10.19

 

ISL.jpg

 

NC.jpg

 

 

Corria o mês de Abril do ano de 2010 quando Pedro Passos Coelho no congresso de Mafra decide ter uma conversa à porta fechada no backstage do pavilhão com bloggers [eu estive lá] provocando grande sururu e até mal-estar entre os jornalistas, que foram deixados de fora, e rasgados elogios e aplausos entre os aios e escudeiros do futuro primeiro-ministro, alguns, à época, bloggers, que mais à frente viriam a ser recrutados como "técnicos" e "especialistas" pelo Governo da Troika para todas as áreas do estado e da administração pública. Visão de futuro e "sign o' the times" como cantava o outro. Não viram o Obama lá nos States?!

 

Corre o mês de Outubro do ano de 2019 e Marcelo Rebelo de Sousa, Presidente da República, chama 40 'influencers' ao Palácio de Belém e "invade as redes sociais", sem provocar espanto de por aí além nos jornalistas e perante a indignação dos "técnicos" e "especialistas" do anterior Governo da Troika, agora à paisana na vida civil por via da porta giratória público-privado-público, já com currículo ou com currículo enriquecido depois da passagem pelo Governo ou pela administração pública e que contribuíram eles próprios para a eleição de Marcelo com uma cruzinha no boletim de voto contra o esquerdista Sampaio da Nóvoa. Querem lá ver o populista do Marcelo?! Só pensa na reeleição, a transformar o Palácio de Belém num circo de youtubers e instagramers.

 

Dizem que a direita está em crise...

 

Adenda: ao contrário do que tuitou Natália Carvalho da Antena 1 não eram TODOS apoiantes de Passos Coelho, antes pelo contrário.

 

 

 

 

Não gosto de ser gozado. Muito menos por políticos. E ainda menos se o político for o Presidente da República

por josé simões, em 11.10.19

 

palhacinho.jpg

 

 

"Incêndios. Marcelo não se recandidata se falhar tudo outra vez"

Presidente não demite o Governo se houver nova tragédia, mas tira uma consequência: “Voltasse a correr mal o que correu mal no ano passado, nos anos que vão até ao fim do meu mandato, isso seria, só por si, impeditivo de uma recandidatura”.

 

"Marcelo admite recandidatar-se. Encontro no Panamá foi "um grande empurrão""

Marcelo confessa que os encontros com o Papa Francisco durante a Jornada Mundial da Juventude e a perspectiva de Lisboa poder receber o evento em 2022 foram "um grande empurrão psicológico" para "pensar mais seriamente numa recandidatura".

 

"Marcelo condiciona recandidatura a Belém a exames médicos que fará em breve"

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, condicionou a sua recandidatura a Belém ao seu estado de saúde, numa entrevista à SIC na qual admitiu sofrer de problemas cardíacos.

 

Há uma coisa que gostava de dizer ao senhor Presidente: não gosto de ser gozado. Muito menos por políticos. E ainda menos se o político for o Presidente da República. Como diria o senhor general Pinheiro de Azevedo, "não gosto, é uma coisa que me chateia, pá".

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Simplicidade de raciocínio

por josé simões, em 26.09.19

 

 

 

Se o ministro da Defesa sabia, António Costa, primeiro-ministro, tinha obrigatoriamente de saber. E se não sabia é grave. Se o chefe da Casa Militar da Presidência da República sabia isso não pode implicar o Presidente, que está acima de qualquer suspeita.

 

 

 

 

O vómito

por josé simões, em 26.09.19

 

Jan van de Velde-welcome library (1).jpg

 

 

Papagaios-mor, papagaios-ajudantes, primeiros-papagaios, segundos-papagaios, papagaios-furriéis, papagaios-arvorados e papagaios rasos.

O espanto, a admiração é um qualquer André Ventura não surgir destacado na frente nas intenções de voto.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Tudo isto é triste

por josé simões, em 25.09.19

 

Insonias.jpg

 

 

Um dos arguidos do gamanço em Tancos disse que o "papagaio-mor do reino" sabia de tudo. O Ministério Público acredita que se referia a Marcelo, Presidente da República. E Marcelo, Presidente da República, desde Nova Iorque, mais rápido que a própria sombra, "é bom que fique claro que o Presidente não é criminoso".

 

Portanto, fala-se em "papagaio-mor do reino" e toda a gente automaticamente associa a Marcelo. É triste. Até o próprio Marcelo, que se vê na obrigação de vir a público clamar inocência, de esclarecer que não é ele o "papagaio-mor do reino". É triste. E, como cantava a "voz-mor do reino", tudo isto é triste, tudo isto é fado.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O respeito do Presidente da República pela República

por josé simões, em 04.09.19

 

marcelo.png

 

 

No dia em que se comemora a revolução que instituiu a República e consagrou, oficialmente, a separação de poderes entre Estado e Religião, o Presidente do Estado laico requer à Assembleia da República autorização para uma deslocação ao Vaticano para um beija-mão papal. Muito bem.

 

[Via]

 

 

 

 

Quando não tens nada para dizer

por josé simões, em 11.07.19

 

wc rol Arnout van Albada.jpg

 

 

Quando não tens nada para dizer mas tens de o fazer porque é mais forte que tu, não é defeito é feitio, tem gosto o burro em ouvir o seu zurro, mas ao dizeres tens de o dizer de forma embrulhada e a jogar com as palavras para que pareças muito sensato, e acima de tudo pietas para a gravitas do núcleo duro da tua base política de apoio, que pensa em privado o que os radicais que não podem ser vítimas de anti-radicalismo ousam dizer em público, e que até tem órgãos de comunicação social, e acesso ao prime time da televisão, para o dizer menos embrulhado que tu, com argumentos de revisionistas doutorados em História e de filósofos estruturantes do pensamento . Mais valia estares calado.

 

Marcelo pede pedagogia contra a xenofobia e desaconselha "radicalismo anti radical"

 

[Imagem]

 

 

 

 

A direita radical no seu melhor

por josé simões, em 27.06.19

 

Sem Título (8).jpg

 

Deputada ao Parlamento num país que está 11 pontos abaixo de Portugal no Índice de Percepção da Corrupção pergunta a Marcelo Rebelo de Sousa "¿Qué hará para que el Gobierno socialista se tome en serio la lucha contra la corrupción?"

 

[Gráfico na imagem]

 

 

 

 

942, I Just Called To Say I Love You

por josé simões, em 16.06.19

 

stevie wonder.jpg

 

 

Comissário Nogueira, presidente de uma parte dos professores, acusa Marcelo de não ser o Presidente de todos os portugueses. Piadas feitas à parte, depois de ter saído a ameaçar o Governo e de se ter empenhado numa campanha eleitoral que lhe ditou uma estrondosa derrota nas urnas. Quando não percebes que já ninguém te pode ver nem com molho de tomate e insistes em aparecer a saltitar alegremente de nenúfar em nenúfar...