Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Santo Natal

por josé simões, em 22.12.16

 

ken-barbie.png

jesus.jpg

 

 

[Aqui]

 

 

 

 

 

||| Natal, o tal

por josé simões, em 24.12.14

 

presépio.png

 

 

Já que a Coca-Cola inventou o Natal. Vermelho. Tão amaricano que até parece antigo. E vermelho. E as músicas de Natal. Vermelhas. Com muitas vozes e muitos violinos e muitos sininhos. Vermelhos.  Já que a Coca-Cola inventou o Natal em família. Vermelho de quentinho e de fraternidade e de paz na terra aos homens de boa vontade e neve a cair lá fora e luzes a cair cá dentro e grandes sorrisos a cair da boca para fora. Façam um favor a vós próprios e não comam o bacalhau e as couves acompanhadas de Coca-Cola.

 

E para vocês também, não se incomodem.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| Minimal, que os tempos não estão para grandes gastos

por josé simões, em 24.12.13

 

 

 

E em madeira, já que o Homem era carpinteiro [aprendi com a Última Cruzada do Indiana Jones].

 

Para todos os que aqui vêm, e para as suas famílias, um bom Natal.

 

[Na imagem "Minimal Nativity Set made of plain wooden blocks" by Emilie Voirin]

 

 

 

 

 

 

|| Um conto de Natal ou o olhar c[l]ínico de uma criança

por josé simões, em 20.12.12

 

 

 

Estavam os 3 a montar um presépio, uma coisa antiga da/ na família com peças com mais de 50 anos, e eis senão quando se parte um pastor pelo pescoço. Diz o mais novo, 7 anos de idade, "deixa estar assim, faz de conta que foram os talibans".

 

[A história é verídica, aconteceu hoje, a imagem é daqui]

 

 

 

 

 

 

|| Desculpem, mas só tenho uma maneira de dizer isto

por josé simões, em 21.11.12

 

 

 

Acabaram de me lixar uma tradição com mais de 100 anos na família.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Um burro carregado de livros é um doutor [*]

por josé simões, em 26.12.11

 

 

 

Nos idos de 1650 John Selden escreveu em “De synedriis et prefecturis juridicis veterum Ebraeorum” qualquer coisa como “os Turcos falam ao seu povo de um Paraíso onde existe Prazer sensível, mas de um Inferno cujas penas desconhecem. Os Cristãos invertem totalmente esta ordem; falam-nos de um Inferno onde sentiremos Dor sensível, mas de um Paraíso onde desfrutaremos algo que não conhecemos». Lembrei-me disto ao ler hoje uma descabelada estória de burros e cavalariças.

 

[*] E é provável que acabe a leccionar numa Universidade e a escrever crónicas num jornal nacional “de referência”.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Rescaldo natalício

por josé simões, em 11.01.10

 

 

 

Não faz muito sentido andar a enfeitar presépios com musgo. O filho de Deus não andou propriamente “à boa vida” pelo Jardim do Éden em terras da Mesopotâmia - esse personagem pertence a outro cenário, ainda que do mesmo filme – mas a pregar pela Galileia e pelo deserto da Judeia.

 

(Imagem de autor desconhecido)