Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Talibans são os outros

por josé simões, em 24.03.15

 

Firingsquad_chambe_Trent Nelson_AP.jpg

 

 

Com a mão sobre a Bíblia, so help me [a eles] God. «Utah resores firing squad as method of execution».

 

 

 

 

||| Faz todo o sentido

por josé simões, em 09.01.15

 

sardinhas cardume.jpg

 

 

Reintroduzir a pena de morte a propósito de alguém que está disposto a, com um colete de bombas à cintura, se explodir num autocarro, num café, num banco, numa instituição pública qualquer e levar consigo dezenas de inocentes;

reintroduzir a pena de morte a propósito de alguém que, barricado num pavilhão dum parque industrial e depois de ter executado 12 inocentes em nome de Alá, sai a disparar contra a polícia, enquanto grita "Alluah Akbar" porque tem no paraíso 70 virgens à espera. Faz todo o sentido e é mais uma prova de que a turba é acéfala e irracional, ao contrário do cardume de sardinhas que, no oceano, se fecha em movimentos aleatórios para iludir o predador.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

|| A Cadeira de São Pedro

por josé simões, em 16.02.13

 

 

 

O mundo tá muito doente, O homem que mata, O homem que mente...

Todos somos filhos de Deus, Todos somos filhos de Deus [*]

 

"Tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha Igreja e as portas do inferno nunca prevalecerão contra ela. Eu te darei as chaves do Reino dos Céus e o que ligares na terra será ligado nos céus. E o que desligares na terra será desligado nos céus". Mateus 16:18-19

 

[*] Roubado a O Mundo

 

[Imagem daqui e notícia via]

 

 

 

 

 

 

|| Californication

por josé simões, em 24.04.12

 

 

 

A pena de morte vai a referendo no Estado da Califórnia, não por causa do Artigo 3° da Declaração Universal dos Direitos Humanos [Todo o indivíduo tem direito à vida ], mas porque assim o contribuinte pode poupar anualmente 200 milhões  de dólares do dinheiro dos seus impostos.

 

Primeira Emenda ao Artigo 3° da Declaração Universal dos Direitos Humanos: Todo o indivíduo tem direito à vida desde que a sua morte não pese nos impostos do todo o contribuinte.

 

Como é nos States, onde os criminosos são condenados depois de uma consulta na Bíblia, se calhar é verdade. E se calhar vem na Bíblia.

 

[Imagem "Executioners Room", Greenhaven Correctional Facility, Greenhaven, New York,1991 by Lucinda Devlin]

 

 

 

 

 

 

|| Amnesty International: Death Penalty

por josé simões, em 16.02.12

 

 

|| Por algum lado se há-de começar para pôr fim à barbárie

por josé simões, em 09.01.12

 

 

 

E apesar das alternativas à disposição dos bárbaros continuarem a ser mais que muitas [desde o gás à corda passando pela electricidade e pelas pedras e pela bala, paga pela família do executado], o que me complica com o sistema nervoso é o haver médicos envolvidos, e com papel preponderante, na execução das penas. Um aval profissional e cheio de humanidade. Como se não houvesse um código deontológico jurado.

 

[Interessante seria saber quantos desses médicos invocam objecção de consciência, alguns por motivos religiosos, para recusarem a interrupção voluntária da gravidez em casos de violação ou má-formação do feto, por exemplo]

 

 

 

 

 

 

|| O retoque que faltava para refinar a barbárie

por josé simões, em 23.09.11

 

 

 

"privilegio extremadamente inadecuado"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| The Last Meals Project

por josé simões, em 28.07.11

 

 

 

- Every prisoner waiting to be executed is granted a last meal. Prisoners waiting to die choose their last meal for different reasons. Some choose for past memories, while others feast on what they crave at the moment. […]. Choosing the last meal is a significant ritual because the accuracy and validity of this choice is the only answer one can ultimately accept. […]

 

(Via)

 

 

 

 

 

 

|| Amnistia Internacional

por josé simões, em 26.06.11

 

 

(I Belive In Advertising)

 

 

 

 

 

|| Não esquecer!

por josé simões, em 27.08.10

 

 

 

É amanhã às 18 horas no Largo Camões em Lisboa.

 

Ler e participar

 

 

 

 

|| Barakah (بركة) *

por josé simões, em 28.12.09

 

Irão: População salva 2 homens da morte pela forca e é baleada pela polícia do regime - *

 

 

 

                                                  (Via)

 

 

 

 

|| Do peru que não é comido e de quem não vai comer peru; no Natal

por josé simões, em 04.12.09

 

 

 

O país onde o Presidente absolve um peru da degola no Dia de Acção de Graças e o condena a viver na Disneylândia até que a morte o leve, é o mesmo país onde um homem com deficiência mental e com um QI de 70 é condenado à morte por injecção letal.

 

 

 

|| Palavra do Senhor

por josé simões, em 16.10.09

 

 

 

No ano da Graça de Deus de 1999 um homem foi condenado à morte no estado do Texas, USA, depois dos jurados terem consultado a Bíblia para decidir o veredicto.

 

"And if he smite him with an instrument of iron, so that he die, he is a murderer: the murderer shall surely be put to death."

 

Isto acontece no século XXI e na maior potência do mundo, naquela América “profunda” que voluntaria os seus filhos para combater o fundamentalismo islâmico no Afeganistão. Fundamentalismo quê?

 

(Imagem de autor desconhecido)

 

 

 

|| A Morte sobre rodas

por josé simões, em 26.03.09

 

A propósito do relatório da Amnistia Internacional que coloca a China como detentora do recorde mundial de execuções pela Pena de Morte (72%, 1718 execuções em 2008, podendo os números ser maiores), recupero aqui nas páginas do blogue o Autocarro dos Condenados, na foto).

 

A China inventou o autocarro das execuções, para poupar tempo e dinheiro e, sobretudo, para recuperar os preciosos órgãos dos condenados, que são imediatamente retirados, para de seguida voltarem a ser vendidos para transplantes. Para isso, havia a necessidade de os corpos dos condenados serem transportados imediatamente para uma sala de cirurgia. A solução encontrada, como forma de rentabilizar todo o processo, foi aplicar a injecção letal num autocarro enquanto é percorrido o caminho para o hospital.

 

Asséptica – A notícia da existência destes autocarros não é nova e já foi falada há uns anos atrás na imprensa chinesa. São fabricados pela Jinguan Auto que desde 1992 constrói ambulâncias, veículos policiais, mini bus para o transporte de valores e carros blindados, e vendeu até agora uma dúzia destes mini bus de 7 metros de comprimento e 17 lugares. O condenado é colocada numa cama, mãos e pés amarrados, em seguida é-lhe aplicada a injecção letal. Existe também um sistema de vídeo para filmar a execução e para certificar que tudo é feito legitimamente.

 

Vantagens – A outra "vantagem" do autocarro é que pode chegar à mais remota aldeia chinesa onde haja a necessidade de executar alguém, sem ter que transportar o condenado para a prisão provincial, com custos acrescidos e tempo extra dispendido. A execução por injecção letal foi solicitada pelos carrascos. Anteriormente os condenados à morte eram executados com um tiro de pistola no pescoço (por vezes mais que um). O executor tinha de vestir fato de macaco e calçar botas de borracha para evitar ser atingido pelo sangue das vítimas. Além disso, com o aumento das execuções de traficantes de droga (muitas vezes eles próprios toxicodependentes), os carrascos receavam doenças como a SIDA.

 

Qualquer semelhança com a “indústria da morte” do regime nazi na Alemanha do III Reich é pura coincidência.

 

Via Corriere Della Sera

 

A Life or Dead decision

por josé simões, em 06.03.08
Mehdi Kazemi é um jovem homossexual iraniano que pediu asilo à Grã-Bretanha após o seu companheiro ter sido enforcado pelo crime de homosexualidade. O pedido foi recusado. O passo seguinte é a sua repatriação. De volta a Teerão o seu destino mais certo é a pena de morte por enforcamento.
 
Era a isto que Ahmadinejad se referia, quando o ano passado em visita à Universidade de Columbia disse que no seu país não haviam homossexuais?
 
 “Brutal land where homosexuality is punishable by death”
 
“According to Amnesty International, more than 200 people were executed last year in Iran, although the exact number of gays is difficult to determine because the accusations are often bound up with other charges. Proving a sexual act has happened is difficult because it requires four male "righteous witnesses" to confirm the transgression.
Lesbian sex is punishable by 100 lashes, with the death penalty being imposed after the fourth offence.”
 
Desenvolvimento aqui