Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Em último caso a culpa é da separação de poderes entre o Estado e a Igreja

por josé simões, em 11.04.19

 

 

 

Ou do Juliano, O Apóstata, ou do Moisés Maimónides, ou do Marco Polo, ou do Henrique, Infante Dom, ou do Nicolau Copérnico, ou da Casa Médici, ou da teimosia de João, o Segundo, e Manuel o Primeiro, reis de Portugal, ou do Fernão de Magalhães, ou do Martinho Lutero, Doutor, e do Thomas Müntzer, ou do François Rabelais, ou do Luís de Camões, ou do Immanuel Kant, ou do Napoleão Bonaparte, ou até do António Gedeão, que a lista já vai longa. Em último caso a culpa é da separação de poderes entre o Estado e a Igreja.

 

Papa Bento XVI publica documento sobre abuso sexual na Igreja Católica onde culpa a revolução sexual da década de 60

 

 

 

 

Pedofilia, homossexualidade e celibato no sacerdócio

por josé simões, em 25.02.19

 

padre.jpeg

 

 

Porque é que todos os artigos de opinião e análises à doença do abuso sexual de menores de que padece a Igreja Católica que, invariavelmente, ressalvam homossexualidade não ser sinónimo de pedofilia, também invariavelmente concluem, na mesma linha de pensamento e às vezes até na mesmo parágrafo ou frase, que é necessário e urgente rever o celibato dos sacerdotes? Se homossexualidade não é sinónimo de pedofilia, e não é, onde é que o casamento entra nesta equação? Vida marital é vacina anti-pedófilo, estando por demais provado que a grande percentagem dos abusos acontece no seio da própria família,  é isso?

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Mateus 19:14

por josé simões, em 02.09.18

 

erik ravelo los intocables.jpg

 

 

É mais grave uma mulher abortar do que um padre abusar de crianças

 

[Imagem "Los Intocables", Erik Ravelo]

 

 

 

 

||| E que nome é que se dá a isto?

por josé simões, em 23.04.15

 

orelhas de burro.jpg

 

 

«Ministra da Justiça entregou aos deputados estatística da pedofilia já desmentida»


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Espírito Santo de orelha

por josé simões, em 04.09.14

 

 

 

"Queres saber uma?". Ou "Conto-te uma se me prometeres que não dizes nada a ninguém...".

 

Começa assim, Portugal, século XXI,  o novo pelourinho, inaugurado com o acesso à informação sobre a identificação criminal de pessoas condenadas por crimes sexuais contra menores por quem exerça responsabilidades parentais sobre menores de 16 anos. Se não aparecer pespegado no Facebook, com foto e tudo. Ou se não for um qualquer, inocente e alheio a tudo, por vingança. "Como é que sabes?", "Sou pai/ mãe, não sou? Tive acesso ao cadastro". Já vi este filme. "Agarra que é da PIDE!".

 

Porque não também o acesso ao cadastro de condenados por tráfico de droga  ou por assaltos violentos ou por violência de género ou por desfalques a bancos ou políticos que disseram uma coisa e depois fizeram outra? A prioridade não é a segurança das pessoas? E umas milícias de bairro, com patrulhas e com horários de serviço e escalas e tudo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Outras coisas que a excelentíssima senhora ministra podia fazer

por josé simões, em 09.06.12

 

 

 

Restaurar e recuperar os medievais pelourinhos das vilas e cidades [criação de emprego] e, onde não os há, mandar erguer de raiz, com traça arquitectónica futurista e/ ou pós-moderna [também criação de emprego]. Amarravam-se lá os pedófilos e as pessoas vingavam-se a fazer maldades ainda maiores que as maldades. E atraía gente aos despovoados centros históricos. O chamado "turismo de justiça", vá para fora cá dentro [mais emprego e criação de riqueza]. O que é isso dos direitos, liberdades e garantias?

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Inocentes vs. Culpados

por josé simões, em 23.02.12

 

 

 

Culpadas todas as mães e todos os pais que ousam denunciar os abusos sobre os seus filhos quando deviam ficar calados.

Culpadas todas as crianças e jovens adultos que ousaram denunciar os abusos de que foram vítimas quando deviam ficado calados.

Inocente o legislador pelo edifício jurídico cheio de portas falsas e alçapões e esconderijos que vai construindo ao longo dos tempos.

Inocente o investigador pela displicência e superficialidade com que alinhava provas.

Inocente o acusador pelo enfado que estas coisas lhe parecem causar.

 

Culpados também todos nós porque um é daqui, o outro é dali, e aquele outro é não sei quem, e mais o outro que é não sei quantos.

Inocentes também todos nós porque um é aquele, o outro é não sei quem, e aquele outro que é dali e mais o outro que é dacolá.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Deixai vir a Mim as crianças, porque delas é o Reino dos Céus, Mateus 19,13-15

por josé simões, em 16.12.11

 

 

 

A casa dos horrores

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 26.11.11

 

 

|| O animal irracional

por josé simões, em 18.05.11

 

 

 

 

|| Corporativismo, boa imprensa e pressões sobre a Justiça

por josé simões, em 29.07.10

 

 

 

 

 

Comparativamente com as vítimas e os outros arguidos, é incrível o tempo de antena que o senhor Carlos Cruz tem nos jornais, nas rádios e nas televisões, todos os dias e a todas as horas.

 

É imaginar o que seria o mesmo lobby a mesma pressão com um líder dum partido ou um primeiro-ministro, por exemplo, numa qualquer outra situação. Haja respeito.

 

(Imagem de autor desconhecido)

 

 

 

 

|| Cada escavadela cada minhoca

por josé simões, em 20.04.10

 

 

 

 

Bom bom era quando não havia televisão nem internet e as notícias de ontem chegavam depois de amanhã, os homens iam para a cama cedo e as mulheres pariam 7, 8 ou 10 filhos como as cadelas, e os padres faziam voto de pobreza, andavam descalços e “chumbavam” umas sopeiras à socapa. Não havia pedofilia nem abusos sexuais.

 

Ou noto aqui um sentimento de inveja para com os talibans no Afeganistão e a proibição de rádio, televisão, cinema, internet, livros, e… Porrada no lombo.

 

 

|| O vómito

por josé simões, em 19.04.10

 

 

 

 

«O colectivo de juízes decidiu pela suspensão da execução da pena por o arguido se ter manifestado arrependido e não ter cadastro (…)»

 

(Em stereo)

 

(Imagem de Jan van de Velde via Welcome Library)

 

 

|| Cada escavadela cada minhoca

por josé simões, em 13.04.10

 

 

 

 

Barbaridades à parte – ignorar por conveniência a pedofilia hetero e no feminino – concentremo-nos no essencial:

 

Esta patologia toca todos os tipos de pessoas e os padres num grau menor, em termos percentuais

 

Se é verdade que em termos percentuais é no seio das famílias que tem lugar a grande parte dos abusos sexuais sobre menores, também não consta que um só pedófilo, numa só família, tenha abusado sexualmente de mais de 200 – duzentas – 200 crianças e tenha morrido sem prestar contas à Justiça terrena. E é só um exemplo entre muitos. As contas têm de ser feitas por número de casos vs. abusador dentro da instituição família Igreja. Ou agora a Igreja não é uma família?!

 

 

|| Mullah Das Neves

por josé simões, em 09.04.10

 

 

 

 

Não explica tudo mas ajuda a perceber a(s) razão(ões) para que a Igreja católica tenha, até aos limites do possível, abafado todos os casos de pedofilia a envolver sacerdotes. Assim como assim vão ser julgados por Deus e vão direitinhos para o Inferno, e as vítimas que se aguentem porque «insondáveis são os Seus juízos e impenetráveis os Seus caminhos!»; não é?

 

«Se a morte terminasse na inconsciência, seria uma boa sorte para todos os malvados»

 

(Na imagem Mullah Nasrudin)