Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Quando o primeiro-ministro goza com os cidadãos

por josé simões, em 03.02.20

 

Sem Título (3).jpg

 

 

Quando o Partido Socialista em 2013, na oposição e em pleno consulado da troika, propõe a descida do IVA da electricidade de de 23% para 13% e, chegado ao Governo, uma das primeiras medidas que toma é baixar o IVA da restauração em 2016, na exacta percentagem dos 23% para 13% que anos antes tinha proposto para a electricidade, causando um prejuízo ao Estado avaliado em 385, 3 milhões de euros, e que chegado 2020, quatro anos depois, com o boom do turismo e  o aumento de volume de negócios que a restauração teve, opta por manter o IVA, de um bem não essencial, tal e qual como está, em prejuízo de um bem de primeira necessidade - a electricidade. Governar é feito na base de opções, o primeiro-ministro e o Partido Socialista escusavam era de gozar com os cidadãos, além de feio paga-se caro nas urnas.

 

[Na imagem print screen da conta Twitter do PS]

 

 

 

 

||| Visto daqui

por josé simões, em 19.08.15

 

Stan Wayman, Stock brokers at Merrill Lynch office

 

 

E uma vez que não podemos [conseguimos?] pensar em duas ou mais coisas ao mesmo tempo e uma vez que o tempo das presidenciais não é o tempo das legislativas e uma vez que e que não se deve falar em presidenciais antes das legislativas, uma regra definida por alguém que não se sabe quem e cumprida por [quase] todos, e uma vez que atrás dos tempos vêm tempos e outros tempos hão-de vir, visto daqui, a minha dúvida é se Henrique Neto e Maria de Belém Roseira, Sampaio da Nóvoa não sei porque em princípio não anda metido nestas alhadas dos clãs partidários, vão votar no Partido Socialista nas legislativas de 4 de Outubro ou antes pelo contrário, e daí o não se poder falar das presidenciais antes das legislativas, não vão os sujeitos aproveitar o tempo de antena para apelar ao voto em sabe-se lá quem, ou mesmo apelando ao voto no Partido Socialista as pessoas acabem por não votar no Partido Socialista por anti-corpos com os candidatos e confundidas com quem vai a votos, se Henrique Neto, se Maria de Belém Roseira, se António Costa e o Partido Socialista, já que não conseguem [podem?] pensar em duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Coitadas.


E isto dos tempos eleitorais é, como sói dizer-se, conversa de ir ao cu, infantilizar o eleitor.


[Imagem]

 

 

 

 

||| A brincar com coisas sérias

por josé simões, em 09.04.15

 

 

 

Quer-me parecer que neste momento o problema do Partido Socialista não é contribuir para a eleição de um Presidente da República, neste momento o problema do Partido Socialista parece ser o de encontrar um candidato que satisfaça todas as quintas e quintais, capelas e capelinhas que existem dentro do partido, é a Presidência da República, não como um órgão de soberania fundamental para a coesão da Nação e para o regular funcionamento das instituições, mas como o camarada amigo sentado no cadeirão. A brincar com coisas sérias.


[Imagem]

 

 

 

 

||| E andamos nisto

por josé simões, em 17.05.14

 

 

 

O Partido Socialista de António José Seguro vírgula que "tem uma imensa ternura e um imenso carinho pelo doutor Mário Soares" vírgula não convidou Mário Soares abrir parêntesis que nunca foi panhonha nem nunca foi à bola com panhonhas fechar parêntesis para participar na campanha de Francisco Assis vírgula que defende uma aliança do PS com a direita que vírgula assim que a troika se for embora vírgula deixa de cair em tentação neoliberal e passa a ser uma direita decente e vírgula principalmente vírgula com Paulo Portas vírgula que tem defendido "um diálogo profundo e permanente com o Partido Socialista" ponto

 

O Paulo Portas do CDS da luta contra o Rendimento Mínimo Garantido vírgula do CDS do fim do salário mínimo e da progressividade do sistema fiscal vírgula do CDS da redução do valor e do tempo do subsídio de desemprego vírgula do CDS da retirada de competências às funções sociais do Estado e entrega aos privados e à Igreja Católica vírgula do CDS contra a despenalização da interrupção voluntária da gravidez vírgula do CDS contra a educação sexual nas escolas vírgula do CDS contra a procriação medicamente assistida vírgula do CDS contra o casamento entre pessoas do mesmo sexo vírgula do CDS do voto contra a co-adopção ponto

 

Meanwhile vírgula que é entretanto em amaricano vírgula o tal do Assis vírgula que defende aquelas coisas todas e que até é um gajo com coragem porque foi a Felgueiras levar umas sopapadas em directo na abertura do telejornal e viram logo ali um novo Mário Soares vírgula na sua caminhada triunfal para Bruxelas vírgula onde vamos deixar de o ouvir falar em alianças com a direita decente e livre da tentação vírgula amém vírgula neoliberal vírgula até as coisas acalmarem por aqui e o pagode se esquecer do que o Francisco Assis disse vírgula ou até o Tribunal de Justiça da União Europeia mandar apagar todos os links para o que o Francisco Assis disse abrir parêntesis eu assim como assim vou fazer uns print screen como quem não quer a coisa fechar parêntesis vírgula recebe o apoio de António Capucho vírgula que já foi tudo no PSD e tralha cavaquista e fez o pino e o mortal encarpado à retaguarda vírgula mas que não apoia Passos Coelho que já admitiu governar com os socialistas vírgula malgrado o despesismo e a irresponsabilidade dos ditos e desde que seja ele a mandar vírgula dando uma assim uma biqueirada no traseiro de Paulo Portas o tal vírgula parceiro de coligação que e tem defendido "um diálogo profundo e permanente com o Partido Socialista" ponto

 

E depois vem o camarada Jerónimo dizer que é tudo a mesma coisa a contar desde 1975, vem a miss simpatia do Bloco dizer que é tudo a mesma coisa desde sempre, vem o alter-ego de pêra, do cabeça rapada do PNR, dizer que é tudo a mesma coisa desde 1974 e mais os pretos e os ciganos e o rendimento mínimo e o caralho, vem o Marinho Pinto, com um fato da Cortefiel, dizer em português o que Philippe Legrain, com um fato Yves Saint Laurent, diz em francês e leva muitas palmas por causa disso, vem um maluco qualquer, do partido do José Manuel Barroso quando andava na Faculdade a fazer saneamentos de fascistas com o Livro Vermelho do camarada Zedong na mão, dizer que é tudo a mesma coisa e que devemos voltar ao escudo, já que se faz tarde, vem a dona Carmelinda para a porta da Autoeuropa dizer que é tudo a mesma coisa desde que ela foi corrida do Partido Socialista e que é candidata mas que não quer ser eleita e que por ela até se acaba já com aquilo e não se fala mais nisso, vêm uns malucos que, como não arranjaram emprego na World Wildlife Fund, fundaram um partido e dizem coisas que o pessoal não ouve, mas devia ouvir porque são de rebolar pelo chão a rir e tristezas não pagam dívidas.

 

E andamos nisto a tratar os eleitores em 2014 como os tratavam em 1974 esquecendo-se de que pelo meio há 40 anos de calo político.

 

[Imagem de Paul Hackett]

 

 

 

 

 

 

|| In Memoriam

por josé simões, em 01.02.10

 

 

 

Manuel Serra

 

1932 – 2010