Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Nazis em Israel?!

por josé simões, em 10.09.07

 

Quando pensava que já tinha visto tudo e que já nada me surpreenderia, dou de chofre com a notícia que a polícia israelita desmantelou um grupo de neonazis com ligações internacionais.
Que mais virá a seguir? Que o FBI desmantela célula da Ku Klux Klan formada por negros?!

Defender ideais

por josé simões, em 26.04.07

Não concordo com as ideias – dando de barato que aquilo são ideias – defendidas pelo PNR. O cartaz no Marquês mete-me asco. Mas também não concordo com a atitude de ontem de alguns manifestantes em arremessar tomates ao cartaz. Não foi para isto que os capitães saíram dos quartéis no dia 25 de Abril. O poder foi devolvido ao povo e, viver em democracia, implica viver com ideias e pontos de vista diferentes dos nossos. Mesmo que advoguem a eliminação pura e simples da própria democracia. É por isso que é preciso estar sempre alerta. Como diria a minha avó – politicamente incorrecta – “estar com um olho no burro e outro no cigano”.

 

Já agora, onde estavam ontem os carecas trogloditas que ultimamente montavam guarda ao cartaz? De ressaca pela noite passada em comemorações do 24 de Abril? Ou a sua coragem é directamente proporcional à quantidade de cabelo exibida? Ou seja: zero = cobardia. Quando temos ideais e acreditamos na sua justeza, damos a cara e vamos à luta por elas. C’os diabos! Vivemos em democracia e ninguém vai preso por defender os seus pontos de vista. No verão quente de 75 vi muito boa gente sem cara para apanhar uma estalada, aguentar firme murros e pontapés, por essa mesma razão, defender um cartaz que tinha acabado de colar. É muito mais fácil andar a perseguir pretos isoladamente no Bairro Alto, não é?

 

Post-Sciptum: Ando com esta “atravessada” desde a célebre conferência de imprensa dada pelo PNR em substituição da cancelada reunião de nazis, perdão, de nacionalistas. Perante uma plateia de “jornalistas” – assim mesmo, entre aspas, fui aluno de jornalismo e não foi isto que me ensinaram na escola – completamente amorfa e apática, o senhor que dá a cara pelos fascistas, perdão, pelos nacionalistas disse que o seu partido era aberto a todos os sectores da sociedade, e que não olhava às origens dos militantes. Poderiam aderir republicanos ou monárquicos que isso não interessava. E não houve um “jornalista” – um único! – presente na sala que perguntasse: E Judeus? E Muçulmanos? E Pretos? Também podem aderir ao PNR?

Perseguições policiais

por josé simões, em 19.04.07

Rita Vaz, líder da Juventude Nazi, perdão, Juventude Nacionalista, a propósito da operação levada a cabo ontem pela Direcção Geral de Combate ao Banditismo e que levou à detenção de 27 pessoas ligadas à extrema-direita, manifesta esperança que a reunião nazi-fascista, perdão, nacionalista, agendada para o próximo sábado se venha a concretizar. Lembra a Ritinha que, os partidos nazi-fascista, perdão, nacionalistas, na Europa «são alvo de constantes perseguições policiais».

 

Interessante ponto de vista sobre as perseguições – policiais para o caso – vinda daqueles que apregoam o ódio e a morte; que perseguem em bando transeuntes pretos no Bairro Alto e os pontapeiam até à morte; que ameaçam o Gato Fedorento e as suas famílias por uma acção de humor (a este propósito ler Contra o Fanatismo de Amos Oz e a incapacidade do fanático se rir dele próprio); que profanam cemitérios judaicos em França e na Alemanha, que utilizam um espectáculo lúdico e de família – o futebol – para, e através das claques, semear o ódio e a violência.

Li e registei. Para memória futura.

 

Post-Scriptum: A este propósito das direitas, extremas-direitas, liberdades, democracias, perseguições e o coiso e tal; proponho-vos um exercício simples de fazer. Seleccionemos um blog, dos mais linkados na blogosfera, O Insurgente http://www.oinsurgente.org/. Assumidamente de Direita, defensores do liberalismo, iniciativa privada, liberdade e democracia, menos Estado na vida dos cidadãos, tolerância e por aí.

Todas as semanas no O Insurgente há um blogue em destaque. Há umas semanas atrás o destacado era o Observatório da Jihad, que entre outros mimos contêm este:

                                                  

Depois de entrarem no Observador da Jihad http://observatoriodajihad.blogspot.com/, continuem a linkar outros blogues anexados e vejam até onde isto nos leva, por exemplo este: http://combustoes.blogspot.com/ ou este: (Centurião) http://liberal.blogs.sapo.pt/ ou ainda este: http://jansenista.blogspot.com/ que por sua vez nos levam a este: (Aliança Nacional) http://nacionalismo-de-futuro.blogspot.com/, a este: http://novafrente.blogspot.com/, mais este: (Pasquim da Reacção) http://lusavoz.blogspot.com/ e assim sucessivamente. Um círculo promíscuo onde a extrema-direita é acolhida e tolerada, senão mesmo venerada. O extremismo, o terrorismo, o fanatismo e outros ismos, aqui, só são condenáveis à esquerda.

Esta chamada é especialmente para aqueles que se Insurgiram contra um post meu, em que classificava a direita do PREC de trauliteira e caceteira, intolerante e desrespeitadora das liberdades, tanto ou mais que a esquerda – A Geração de Paulo Portas. Era e continua a ser.

Marcha dos Vivos (II)

por josé simões, em 16.04.07

Ritinha, uma menina muito saudável que só gosta do fumo dos crematórios de Auschwitz.

 

"Pessoalmente, apoio algumas ideias do nacional-socialismo. Uma das primeiras campanhas anti-tabágicas foram feitas no III Reich. Os agentes da SS não podiam ser vistos a fumar em lugares públicos porque já havia essa consciência de que era preciso preservar o povo alemão dos seus malefícios..."

 

Rita Vaz, líder da Juventude Nacionalista ao Público.

Via Arrastão.

 

 

Cartazes

por josé simões, em 06.04.07

 

“O Diário Económico de ontem, num notável trabalho estatístico, explica do que os autores do cartaz (PNR) estão a falar: basta de 7% da riqueza nacional (que é quanto valem os trabalhadores estrangeiros e Portugal). Esses 5% da população em Portugal e que são de 9 a 10 % dos trabalhadores em Portugal (quer dizer, trabalhando o dobro dos cidadãos nacionais) geram uma riqueza de 11 milhões de euros por ano, tanto quanto a Portugal Telecom, a maior empresa nacional. Portanto, diz o cartaz (PNR): “Boa viagem PT, vai-te embora!”

 

(…)

 

“Há um senhor emproado que ousou dar a cara por essa ignorância e maldade. Há dias, ao DN, ele disse que um imigrante só poderia ser português ao fim de cinco gerações. Isto é, ele expulsaria el-rei D. Duarte, D. Pedro, o infante D. Henrique, D. João e o Infante Santo, filhos da imigrante D. Filipa de Lancaster… Boa viagem, Ínclita Geração!”

 

Editorial do Diário de Notícias, hoje.