Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Coisas que só costumam acontecer nos filmes amaricanos

por josé simões, em 01.12.14

 

international.jpg

 

 

Daqueles com muita porrada e tiros e encontros à socapa entre colarinhos brancos e criminosos sem escrúpulos em tabernas esconsas frequentadas pelo lumpemproletariado, prostitutas, artistas underground na antecâmara do salto para o mainstream e idealistas vários da luta anti-capitalista.


O camarada Kahdafi financiava as FP25 do camarada Otelo que queriam destruir o Estado e fazer a folha aos banqueiros que ajudaram o cliente Kahdafi a pôr o dinheiro que não tem cor nem ideologia a salvo e que por sua vez financiavam os partidos e as campanhas dos partidos da responsabilidade e do "sentido de Estado" e da luta contra a esquerda e o extremismo de esquerda.


[Imagem]

 

 

 

 

|| OMO lava mais branco… vê-se logo!

por josé simões, em 27.10.11

 

 

 

Quando o ‘colonel’ montou um circo no “parque de campismo” de S. Julião da Barra e depois quando «quatro F16 da Base Aérea Nº5, em Monte Real» voaram para Tripoli para prestar honras à bancada VIP, nunca se lhe ouviu um piu. Ou porque desconhecia a realidade dos factos, ou porque andava atarefado a comprar viaturas blindadas para a Unidade Especial de Polícia para prevenir motins e atentados terroristas, ou porque estava a dormir a sesta.

 

«ditador cruel e megalómano, apoiante confesso do terrorismo internacional»

 

 

 

 

 

 

|| Uma má opção

por josé simões, em 25.10.11

 

 

 

Como é do conhecimento geral, todas as religiões nasceram no deserto.

 

[Imagem The Others, Roderick Hietbrink]

 

 

 

 

 

 

|| Pior que morrer é morrer sozinho

por josé simões, em 20.10.11

 

 

 

A ver passar o apagador da História e a revolução a mudar de campo:

 

"Anunciamos ao mundo inteiro que Khadafi foi morto às mãos das forças revolucionárias"

 

 

 

 

 

 

|| War! huh-yeah, What is it good for? [*]

por josé simões, em 26.09.11

 

 

 

«Without sounding too corny, I guess it’s just how terrible war is for the people that are just trying to go on with their lives. And the amount of death and destruction and suffering that this conflict has brought for many people.»

 

Exploring a New, But Cautious,Tripoli

 

[*] - Absolutely nothing

 

 

 

 

 

 

|| O mundo é uma caixinha de surpresas

por josé simões, em 08.09.11

 

 

 

Ou no dia em que os jornalistas descobriram que afinal o Kadhafi é humano e até tem família.

 

 

 

 

 

 

|| Tempos que correm

por josé simões, em 06.09.11

 

 

 

 

Where is Gaddafi? Selling life insurance inAustralia

 

 

 

 

 

|| Quinta-feira o Avante! faz mais um “grosseiro insulto à inteligência”, perdão, explica

por josé simões, em 03.09.11

 

 

 

Os inflamados editoriais e os artigos de agit-prop manhosa opinião em defesa do ditador líbio Muammar al-Gaddafi e da repressão a que pomposamente chama de revolução líbia e contra as “hordas contra-revolucionárias” e o imperialismo amaricano [com a].

 

«CIA entregou presos para interrogatório a Khadafi»

 

«Moussa Koussa's secret letters betray Britain's Libyan connection»

 

«CIA agents tortured me and then sent me to Gaddafi prison hell, claims Libyan rebel commander negotiating with West»

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 02.09.11

 

 

O fim do regime de Muammar Kadhafi na Líbia foi "uma espécie de 25 de Abril"

 

[Imagem A Clown in the Hagenbeck, Wallace Circus, autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

|| Da série “Grande Primeiras Páginas”

por josé simões, em 02.09.11

 

 

A primeira página do The Independent de hoje, apenas com duas fotos do anão que governa a França [e não me estou só a referir à estatura física], dá uma lição de política internacional e da submissão do poder político ao poder económico a que, pomposamente, se convencionou chamar realpolitik

 

Havia muitas mais primeiras páginas a fazer com outros anões em outras latitudes.

 

 

 

 

 

 

 

|| “grosseiro insulto à inteligência”

por josé simões, em 27.08.11

 

 

De quem escreve [já que de que de quem lê tenho as minhas sérias dúvidas], é o anti-amaricanismo [com a, de amaricano] e anti-ocidentalismo primário a aproveitar despudoradamente os erros de palmatória, que os houve/ há, da NATO e da ONU na intervenção líbia, associados à questão who are you/ they, para defender e fazer a apologia de um ditador. Agit-prop manhosa, muito manhosa.

 

[Não, a imagem não é retirada de Apocalipse Now, do espectáculo com as coelhinhas Playboy em plena selva. Assim como esta não é retirada de Mad Max]

 

 

 

 

 

 

|| Da série “Grandes Primeiras Páginas”

por josé simões, em 26.08.11

 

 

[Via]

 

 

 

 

 

 

|| Mistériooooo

por josé simões, em 26.08.11

 

 

Não constando que Muammar al-Gaddafi, apesar das visitas de e a Portugal, tenha implementado na Líbia algum programa de generalização do inglês no ensino básico, é um mistério que a grande maioria dos “rebeldes” entrevistados para as televisões seja fluente na língua de Shakespeare, alguns até com sotaque do norte de Inglaterra.

 

[Imagem Wanted! Poster advertising £1million bounty if Libyan dictator Gaddafi is caught]

 

 

 

 

 

 

|| Da série “Grandes Primeiras Páginas”

por josé simões, em 25.08.11

 

 

Tim O’ Brien para a Time. O  making-of aqui.

 

 

 

 

 

 

|| Colonel Gadhafi, “The Tweets”

por josé simões, em 29.06.11

 

 

 

(I Believe In Advertising)