Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Jacinto Leite Capelo Rego

por josé simões, em 09.04.17

 

PhantomBlot.gif

 

 

A Mota-Engil com Paulo Portas como "consultor" ganhou o concurso internacional para a construção da Escola da NATO em Oeiras com o diretor-geral de Recursos da Defesa Nacional, Alberto Coelho, responsável pelo lançamento do concurso, presidente do Conselho de Fiscalização do CDS.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Coincidências

por josé simões, em 06.06.16

 

Paulo Portas.jpg

 

 

Seixas da Costa foi o embaixador português na UNESCO responsável por convencer aquela entidade de que a Barragem de Foz ‪Tua‬ era compatível com o ‪Alto Douro Vinhateiro, Património Mundial. Um ano depois foi trabalhar para a Mota-Engil, uma das construtoras da obra. Hoje é administrador da ‪EDP‬ Renováveis.


‪Paulo Portas‬, na altura líder do CDS/PP, foi o Ministro dos Negócios Estrangeiros que nomeou Seixas da Costa para o cargo. Paulo Portas vai agora para a ‪Mota-Engil.


‪Assunção Cristas, do mesmo partido, era a Ministra do ‪Ambiente‬ quando autorizou o abate de 1104 sobreiros e 4134 azinheiras. Prestou declarações erradas ao Parlamento, em 2011, dizendo que o paredão estaria feito, quando nada havia no terreno. Podia ter parado a barragem. Assunção Cristas, hoje presidente do ‪‎CDSPP‬, vinha do escritório de advogados ‪‎Morais Leitão‬, Galvão Teles, Soares da Silva e Associados, onde trabalhou antes de ir para o Governo. Este firma de advocacia tem como cliente a concessionária da barragem de Foz Tua, a EDP.

 

Coincidências.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Ainda a embaixada do vice-pantomineiro ao Astecas

por josé simões, em 29.10.14

 

mexican skull.jpg

 

 

Ficámos todos a saber que a Mota-Engil «ganhou mega projecto turístico no México de 1.500 milhões de dólares», e que está a construir uma linha de metro em Guadalajara orçada em «cerca de 400 milhões de euros» e que mais isto e que mais aquilo e que no balanço final a «Mota-Engil tem já em obra pública, concessões e adjudicações públicas, na ordem dos 1.500 milhões de dólares (cerca de 1.330 milhões de euros), distribuídos por 11 estados», tudo sem que fosse preciso o vice-pantomineiro ir à frente, numa missão de bandeirante e de cruz de Cristo na lapela, desbravar caminhos e estabelecer contactos e relações comerciais, foi o que os telejornais não disseram


E depois? Vão daqui para o México meia dúzia de engenheiros de confiança da Mota-Engil tomar conta da obra e dos nativos - baratos, a empregar na obra que vai usar matéria-prima nativa - barata, e receber uma pipa da massa, não em MXN peso mexicano - barato, mas em USD dólares amaricanos - caros e bons, para distribuir pelo patrão e pelos accionistas, cá.


E depois desta ginga-joga toda e de saldadas estas contas e pagas as mais-valias o que é que sobra para a economia nacional, quais são as melhorias que os nativos, baratos, cá, vão sentir na seu dia-a-dia, cá?


E a menos que sejamos membros do Governo e que após terminada a [co]missão de serviço em 2015 ingressemos nos quadros da Mota-Engil como doutores e engenheiros especialistas e qualificados, o que é que a gente ganha com isso? O que é que a gente tem a ver com a Mota-Engil ter ganho uma obra não-sei-quantas no México ou na Patagónia ou fim do mundo?


[Imagem]

 

 

 

 

||| É o que se chama série notável de coincidências

por josé simões, em 19.09.14

 

 

 

Pagámos, nós, o Estado, o bolso do contribuinte, pela mão do Governo PSD que administra temporariamente o Estado, milhões de euros ao 'angolano' Mira Amaral, ilustre militante do PSD,  para ficar com o banco do PSD - o BPN, além do que já pagámos e vamos continuar a pagar pelo buraco que outros ilustres militantes do PSD - Dias Loureiro e Oliveira e Costa, deixaram como herança, para que o banco do 'angolano' Mira Amaral, e ilustre militante do PSD, financie a compra da Empresa Geral do Fomento, desde que nós, o Estado, o bolso do contribuinte, assumamos o risco da operação, na privatização ganha pela 'major' Mota-Engil que está embrulhada em negócios por esclarecer com o ex-presidente da câmara de Vila Nova de Gaia e ilustre militante do PSD, Luís Filipe Menezes e com o PSD ele próprio. É o que se chama série notável de coincidências.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

 

|| Qual é a pata direita do cavalo de D. José?

por josé simões, em 14.11.12

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 22.05.12

 

 

 

A menos que seja para enriquecer o currículo e ganhar know-how que lhe permita depois desempenhar cargos de direcção numa grande empresa com negócios à sombra do chapéu-de-sol, e ao abrigo do chapéu de chuva, do Estado, "Só um indivíduo que não está bom da cabeça é que vai exercer uma função pública"

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

 

 

|| O Testamento do Dr. Mabuse

por josé simões, em 27.12.11

 

 

Era disto que Marinho Pinto falava?

por josé simões, em 03.04.08

 

Ao dar de caras com a notícia que Jorge Coelho vai assumir a “presidência executiva do maior grupo de construção civil de Portugal, o grupo Mota-Engil”, não consigo evitar recordar-me do programa A Quadratura do Círculo.
Das palavras de Jorge Coelho, de cada vez que se falava de quem quer que fosse; desde a personalidade mais mediática do país, ao anónimo sem-abrigo: “Fulano de tal é uma pessoa que eu conheço; Sicrano é uma pessoa de quem aliás sou amigo; de Beltrano tenho como pessoa íntegra; e a quem aliás aproveito para saudar e enviar um forte abraço”.
 
(Foto roubada ao Daily Telegraph)