Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Irmãos inseparáveis

por josé simões, em 03.05.24

 

CM.jpg

 

 

Quem não quer "uma reforma da Justiça em defesa do Estado de Direito Democrático":

     - O Correio da Manha [sem til], jornal e televisão, porque vive do clickbait, das audiências, do alarmismo social, das fugas cirúrgicas ao segredo de justiça, do linchamento na praça pública, irreversível por causa do mui famoso "tempo da justiça".

     - O partido da taberna, que capitaliza nas urnas a indignação e a revolta das pessoas, açuladas pelo tabloidismo, encaminhadas para o justicialismo do alcatrão e penas que corrói o Estado de direito democrático, "são todos da mesma laia, isto quer é um Salazar".

Os primeiros nunca foram a votos, os segundos têm contra si 82% dos votos em urna.

 

 

 

 

Golpe de Estado

por josé simões, em 18.04.24

 

Thomas Ott.jpg

 

 

Em 50 anos tivemos dois golpes de Estado sem sangue. Um, pelas mãos das Forças Armadas, devolveu a liberdade e a democracia ao povo, o outro, pela acção do Ministério Público, obrigou a eleições antecipadas e reconfigurou radicalmente o Parlamento. Dizem os guardiões da Acrópole que "não se pode avaliar o Ministério Público por uma decisão", afinal só se demitiu um primeiro-ministro, só caiu um Governo, a extrema-direita só ocupou 50 lugares no Parlamento, a cavalgar o descontentamento popular assente numa mentira, tenham lá calma. E além do mais, no país "colonizado pelo Partido Socialista", dos organismos do Estado à comunicação social, da Justiça às empresas, todos temos direito a ter uma cor política e uma preferência partidária. Agora imaginem que isto não era "tudo socialismo".

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A insustentável leveza de Marcelo

por josé simões, em 17.04.24

 

marcelo.jpg

 

 

"É pá, deixem lá isso da mão, a demissão do primeiro-ministro, a queda do Governo, o Costa até vai para Bruxelas, até é um cargo muito melhor".

 

O Presidente de todos os portugueses goza com todos os portugueses? Não se incomodem em responder.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O último que feche a porta e atire a chave ao rio

por josé simões, em 16.04.24

 

 

 

Um deputado absolvido do crime de prestar falsas declarações em tribunal por não se encontrar sob juramento "Juro, por minha honra, dizer toda a verdade e só a verdade" e assim ter toda a liberdade para mentir ao juiz com quantos dentes tem na boca, sem perigo de meter em causa a sua honra nem de comprometer a investigação.

 

A justiça a gozar com gostar dela própria. O último que feche a porta e atire a chave ao rio.

 

Ministério Público arquiva processo contra deputado do Chega

Filipe Melo teria prestado falsas declarações em tribunal, mas, afinal, não estava sob juramento quando o fez.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Piadista-Geral da República

por josé simões, em 11.12.23

 

gelado.jpg

 

 

"O Ministério Público suspeita", "O Ministério Público desconfia", nunca "O Ministério público tem provas". E enquanto o Ministério Público suspeita e o Ministério Público desconfia as notícias vão cirurgicamente pingando para a primeira página do Correio da Manha [sem til]. Escutas, emails, filmagens, dados processuais. Uma mão cheia de anos passados, absolvição, absolvição, absolvição, com o mal já feito. Mas há uma pessoa que "denuncia ataques que visam "menorizar, descredibilizar ou destruir" o MP". Não ter a noção ou piadismo?

 

[Bette Davis na imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A direita a gostar dela própria

por josé simões, em 17.11.23

 

costume.jpg

 

 

Augusto Santos Silva dizer que o Ministério Público deve um esclarecimento ao país sobre as buscas à casa de Rui Rio e à sede do PSD, "sustentando que foi cometido um crime em directo", para o PSD é diferente de Augusto Santos Silva dizer que o Supremo Tribunal de Justiça deve esclarecer depressa, antes das eleições, a situação penal do primeiro-ministro, "frisando que o caso abriu uma crise política". Percebemos todos? O PSD também percebe.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Da credibilidade do Ministério Público

por josé simões, em 12.11.23

 

poster.jpg

 

 

Ministério Público troca Costa e Costa Silva na transcrição das escutas

 

MP atribui a Galamba favorecimento da Start Campus com portaria que afinal nada tinha que ver com o centro de dados

 

 

 

 

Afixe-se!

por josé simões, em 07.11.23

 

comunicado.jpg

 

 

 

 

Circo de Inverno

por josé simões, em 14.12.21

 

Albano_Brothers.png

 

 

O dia a seguir a Marcelo, Costa e restante tropa fandanga, terem saído a terreiro eufóricos com a captura de Rendeiro, a enganarem-se a eles próprios quando misturam confiança do cidadão na Polícia Judiciária com confiança do cidadão e credibilidade da Justiça, sabe-se que no denominado "Caso PPP" os antigos governantes escapam a julgamento por prescrição de crimes. E agora já não há mais nenhum Rendeiro para capturar.

 

Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade, parece-me adequado à quadra e a quem vai passar o Natal com a família.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Joana Marques Vidal na capa da revista Sábado

por josé simões, em 14.01.21

 

revista_sabado.jpg

 

 

Joana Marques Vidal na capa da revista Sábado ou quando as coisas mesmo sendo direitas trazem sempre truque.

 

 

 

 

A lógica da batata

por josé simões, em 13.01.21

 

The other side of the red carpet.jpg

 

 

O bufo, o chibo, o garganta funda, o informador, pago ou por desporto, que viola o segredo de justiça e dá as primeiras páginas ao Correio da Manha [sem til] e aberturas de telejornais à televisão do dito, está dentro do Ministério Público. Não há notícias de jornalistas homem-aranha a escalar paredes e a arrombar secretárias, como nos filmes 'amaricanos', para obtenção de provas. E o que faz o Ministério Público? Persegue e fotografa jornalistas à socapa, vasculha o correio electrónico e as contas bancárias, também como nos filmes 'amaricanos', sem o crivo de um juiz. No Estado de direito democrático isto tem um nome: ataque à liberdade de imprensa.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Uma chatice

por josé simões, em 28.09.18

 

serenela.jpeg

 

 

Ditou o sorteio que a instrução do processo caiba a um juiz que acredita que os arguidos têm direitos e que não vale tudo ao Departamento Central de Investigação e Acção Penal na investigação nem ao Ministério Público na organização dos processos. Se fosse na América era a democracia no Estado de direito dos checks and balances a funcionar, como é em Portugal é só mais uma chatice [do caralho], com os profissionais de serviço às "redes" no próprio minuto do sorteio a lançarem rajadas de suspeitas sobre a idoneidade do juiz. Depois de meses em campanha eleitoral pela reeleição de Joana Marques Vidal. Isto nunca pára. Habituem-se.

 

 

 

 

Joaninha voa voa... Capítulo II

por josé simões, em 01.02.18

 

Bousquairol's Gallery.jpg

 

 

"Na sequência da publicação nos órgãos de comunicação social de notícias" o Departamento de Investigação e Ação Penal ordenou a instauração de processo-crime para depois os órgãos de comunicação social fazerem notícias sobre o processo-crime instaurado pelo Departamento de Investigação e Ação Penal. Entretanto os jornais venderam, os telejornais tiveram picos de audiência, os cafés venderam mais ao balcão das conversas, o nome do ministro andou pela lama, o nome de Portugal andou pela lama e amanhã os órgãos de comunicação social vão publicar mais notícias sobre quem lhes der na real gana, sobre aquele que achem mais feio, que vão ser a ignição para o DIAP instaurar um processo-crime que vai fazer grandes primeiras páginas e grandes directos e espaços de análise nas televisões. E dura, dura, dura. E ninguém é responsabilizado. E ninguém é punido.

 

Diz a direita radical que Joana Marques Vidal foi a melhor Procuradora-geral da República de todos os tempos. 

 

[Imagem]

 

 

Joaninha voa voa... [Capítulo I]

 

 

 

 

Notícias do justicês

por josé simões, em 25.01.18

 

justice.jpg

 

 

A notícia de que o julgamento, em 2018, de um caso ocorrido no ano de 2013 foi adiado porque em 5 - cinco - 5 anos o tribunal não conseguiu descobrir o paradeiro de três dos ofendidos, devia ser dada naquela língua, o justicês, que aqueles senhores e aquelas senhoras, todos vestidos de preto e enfeitados como as árvores de Natal, usam na "Abertura do Ano Judicial" para falarem uns com os outros com transmissão televisiva.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Sócrates acusado

por josé simões, em 14.10.17

 

 

 

Escrevem os jornais, todos, e dizem as televisões, todas, que o Ministério Público quer que o Sócras seja impedido de exercer cargos públicos durante 5 anos "depois" de condenado. Não é "se", é "depois".

 

[Vídeo]