Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Como desmontar um pantomineiro, noções elementares

por josé simões, em 11.02.19

 

 

 

Miguel Sousa Tavares não só desmonta um pantomineiro em directo com uma só pergunta como obriga o pantomineiro a fazer jus ao epíteto de pantomimeiro quando, ao ver-se encurralado, apanhado com as calças nas mãos, como soi dizer-se, e sabendo do gosto do entrevistador pela caça, tenta introduzir o tema na conversa, como elemento de distracção que lhe dê tempo para respirar, recuperar o controlo e direccionar a entrevista para onde mais lhe convém. E este Circo Santana, com televisões em prime time, já dura pelo menos desde 1976.

 

[Vídeo]

 

 

 

 

Da profundidade do comentário político

por josé simões, em 19.03.18

 

Benny_Hill.JPG

 

 

Transmontanos normalmente são boa gente e não fazem malabarismos

 

[Imagem]

 

 

 

 

Estas coisas acontecem

por josé simões, em 22.02.17

 

 

 

[Daqui]

 

 

 

 

 

|| Da série "A Nossa Imagem No Estrangeiro"

por josé simões, em 24.05.13

 

 

|| "O coelhinho foi com o pai natal e o palhaço no comboio ao circo"

por josé simões, em 24.05.13

 

 

 

É justo, é justíssimo. O senhor Silva e a Procuradoria que avancem com o processo que é mais uma para juntar ao rol das condenações do Estado português no Tribunal Europeu dos Direitos do Homem. Siga o circo!

 

"Estava o peixinho, veio o gato… e comeu-o! Mas veio o cão e o gato teve de se esconder!"

 

[Imagem de autor desconhecido, o título e o epílogo roubados aqui]

 

 

 

 

 

 

|| Ouch!

por josé simões, em 24.05.13

 

 

 

 

 

 

 

|| No name boys

por josé simões, em 23.09.12

 

 

 

Miguel Sousa Tavares escreve esta semana no Expresso sobre o óbvio, e que é exactamente sobre aquilo que muita gente vem desde sempre a escrever - este blog incluído, na blogocoisa, coisa que ele abomina. Tanto melhor, como é mais lido, chega a mais gente, pode ser que assim entre nalgumas cabecinhas benevolentes, secretário-geral do PS incluído, mais o seu "o Governo errou" e "o Governo não cumpriu". Mas esqueceu-se Miguel Sousa Tavares de nomear o "sujeito", de chamar os bois pelos nomes na parte do "rever a legislação laboral". É que a legislação laboral, depois de revista, foi assinada, repito foi assinada, em sede de concertação social. Até percebo que a ideia agora seja malhar no Governo com força, "vassourada!" e "andor!", mas a culpa não pode morrer solteira, ou pode?

 

«[…] primeiro, rever a legislação laboral, para tornar os despedimentos fáceis e baratos; por essa via, criar um batalhão de desempregados que pressionem o mercado de trabalho, fazendo baixar os custos salariais; assim, potenciar os lucros de algumas empresas de mão-de-obra intensiva; e, assim, garantir o sucesso do “ajustamento” da nossa economia, “so help them God”.»

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Frase da semana

por josé simões, em 05.06.10

 

 

 

«(…) o Estado português é como um chefe de família que passa o dia na taberna e no casino e depois rouba o ordenado à mulher e aos filhos para se sustentar!»

 

Miguel Sousa Tavares no Expresso

 

(Imagem Tocco di Kalsa, Mimi Mollica)

 

 

 

 

|| Sinais de Fogo

por josé simões, em 22.02.10

 

 

 

“Uma história depende essencialmente do modo como é contada”.

Foi com esta frase de Jorge de Sena que terminou a entrevista de Miguel Sousa Tavares a José Sócrates no programa que dá nome ao post.

 

(Jorge de Sena na imagem)

 

 

 

Somos todos estúpidos?

por josé simões, em 14.02.09

 

Ou dito de outra maneira: Somos todos «politicamente tolos»?

Escreve Miguel Sousa Tavares hoje no Expresso:

 

«Se não pode impedir o crescimento do desemprego, se não quis e não quer enfrentar o poder do grande capital, resta ao socialista Sócrates rapar no caldeirão da demagogia: eutanásia, casamento de homossexuais, Robin Hood fiscal, Regionalização. Eu penso que José Sócrates está a ver mal as coisas: os portugueses têm muitos defeitos, mas nunca foram politicamente tolos».

 

Pois eu penso que Miguel Sousa Tavares está a ver mal as coisas. E está a embarcar no discurso da Direita que é contra o denominado “casamento homossexual”, com o papão de  que Sócrates está a ocupar o espaço vital da também denominada “extrema-esquerda” como forma de compensar possíveis perdas de votos a bombordo.

 

Alguém no seu perfeito juízo acha que um católico praticante vai deixar de ir à missa ou deixar de votar no PS por causa dos casamentos homossexuais?

 

Alguém no seu perfeito juízo acha que um eleitor do Bloco de Esquerda vai deixar de votar no Bloco e passar a votar no PS só por causa dos casamentos homossexuais?

 

Somos (são) todos estúpidos?

Apesar de eu nem por um segundo hesitar em colocar no grupo dos «politicamente tolos» José Sócrates logo seguido de Miguel Sousa Tavares por considerarem essa probabilidade.

 

(Foto fanada no El Mundo)

 

 

The Containergate

por josé simões, em 30.10.08

 

 

Ou há uma inversão radical de azimutes, ou muito me engano mas ontem foi dado o tiro de partida do processo que vai acabar na derrota eleitoral do PS e de António Costa em Lisboa. Com adversários assim, Santana Lopes nem precisa de “andar por aí”. Basta-lhe ficar sentado e calado.

 

(E parece que Miguel Sousa Tavares foi apupado e insultado e teve de sair com escolta policial por causa dos piquetes espontâneos convocados por sms pelo PCP de cada vez que há uma reunião do PS ou do Governo. O quê?!.. O Sousa Tavares não é do PS?!.. Nem do Governo?!.. Ah!)

 

 

 

Contentor do lixo?

por josé simões, em 20.10.08

 

 

Na generalidade (e na especialidade) subscrevo as suas cruzadas contra as inúmeras tentativas de expropriar os cidadãos – e não só de Lisboa –, do seu património comum, em favor de obscuros interesses privados e na maior das promiscuidades com o poder político. Mas desta vez acho que não está a ver bem o filme. Então um 1, 5 km de frente de rio ocupados com um muro de contentores empilhados até 15 metros de altura, roubam o rio à cidade, é prejudicial a Lisboa, mas já fica muito bem em Setúbal, onde «existe um perfeito para isso e cuja capacidade não aproveitada é de 95%!».

 

Por acaso o Miguel sabe da polémica que envolveu a construção do terminal de contentores de Setúbal? (Curiosamente com uma administração PS na Câmara; esta apetência do PS pelos terminais de contentores…). Da contestação que gerou; do impacte ambiental negativo; e que a juntar a outras polémicas decisões ditou o fim do reinado Mata Cáceres na cidade.

 

Setúbal é o contentor para o lixo que Lisboa não quer?

 

Por falar em lixo; aqui há tempos circulou aí pela blogocoisa a possibilidade de Santana Lopes ser candidato à presidência da Câmara de Setúbal. Aproveitando a boleia do Daniel: “Foi presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz, deixou a Figueira da Foz falida e foi-se embora para ser presidente da Câmara Municipal de Lisboa. Deixou Lisboa falida e foi-se embora (…)”. Uma certeza eu tenho: se o cromo decidir avançar para Setúbal não vai deixar a Câmara falida. Esse prazer foi-lhe retirado há 8 anos atrás.

 

(Na imagem The Container City, uma urbanização de luxo à base de contentores na frente ribeirinha de Londres. Aqui)

 

 

 

 

O bisbilhoteiro anónimo

por josé simões, em 12.08.08

 

“(…) não alimento e não leio blogues. Terão, certamente, muitas vantagens e utilidades, mas eu não me habituo a viver em territórios onde vivem o anonimato, a calúnia, a usurpação de autorias e a impunidade.”

 

Miguel Sousa Tavares (MST) no Expresso

 

Por falar em anónimos; e porque há anónimos e anónimos, e uns mais anónimos que outros:

 

Todas segundas / terças-feiras (já aconteceu a uma quarta) sou informado pelo Statcounter que alguém que via Google Blogsearch entra no Der Terrorist atrás da Query Miguel Sousa Tavares.

Após efectuar a respectiva clicadela em cima da lupa (Magnify User) constato que: IP Adress é desconhecido; Country não refere; Region e City, idem idem aspas aspas; ISP também não consta. Esta é uma situação recorrente também noutros blogues, conforme já tenho tido oportunidade de comentar com amigos, também eles donos de blogues.

 

(Casos como este há mais; atrás de outras Querys. E outros, mais espertalhões, que nem a Query é possível identificar)

 

Já agora boas férias para o MST.

 

  

Como não acredito nessa coisa da “transmissão de pensamentos”,

por josé simões, em 20.04.08
limito-me - e por ser verdade -, a assinar por baixo. Os dois últimos parágrafos.
 
«O senhor não precisa de elogios, a obra que realizou ao longo destes 30 anos fala por si».
Palavra do Senhor; Silva.
 
“O que eu gostava que um Presidente da República do meu país fosse fazer à Madeira era que, em lugar de se juntar ao coro dos elogios à ‘obra’ do dr. Jardim, tivesse um elogio para os portugueses que, trabalhando e pagando impostos ao longo de trinta anos, contribuíram para que a ‘obra’ se fizesse e para que o dr. Jardim fosse sucessivamente reeleito à conta disso. Que tivesse a coragem de resgatar a divida de gratidão que a Madeira tem para com Portugal e que tem sido paga pelo dr. Jardim com intermináveis insultos e provocações, como se fosse nosso dever pagar e calar em troca do privilégio de a Madeira continuar portuguesa.”
(…)
“Esta viagem de Cavaco à Madeira serviu para me explicar, se eu não soubesse já, qual a razão pela qual jamais votei ou votarei neste homem.”
 
Cavaco No Estrangeiro” por Miguel Sousa Tavares no Expresso.
 
 

Dito

por josé simões, em 24.11.07
“É certo que vai (Hugo Chávez) fazer plebiscitar uma emenda constitucional que lhe permitirá fazer-se reeleger e perpetuar indefinidamente no poder – coisa que não é bonita, mesmo se plebiscitada, mas que tantos outros fazem, sem necessidade de emendas constitucionais: veja-se Alberto João Jardim na Madeira ou Jardim Gonçalves no BCP.”
 
Miguel Sousa Tavares hoje no Expresso