Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Curioso...

por josé simões, em 11.04.24

 

deniro.jpg

 

 

O taberneiro, mais rápido que a própria sombra a pedir a cabeça de ministros, secretários de Estado, deputados, autarcas, na mais leve suspeita de corrupção ou qualquer coisa que mesmo de raspão rime com ão, não ouviu falar em Miguel 'Sim, a aliança com o Chega é possível' Pinto Luz, nem na "cambra" de Cascais, que é como agora, que não é preciso saber falar português para ser jornalista, locutor ou apresentador, se diz câmara nas televisões. Se calhar não viu os telejornais, ou a nova ainda não chegou ao TikTok... You talkin' to me?

 

 

 

 

Arroz outra vez?!

por josé simões, em 25.07.23

 

The other side of the red carpet.jpg

 

 

Aqui, como em Espanha, a esquerda especializou-se em desvalorizar e passar por cima dos resultados das eleições quando lhe convém. Especializou-se em não respeitar a vontade expressa nos votos dos eleitores. No fundo, a não respeitar o funcionamento da democracia. E essa atitude não podemos deixar de lamentar e condenar.

 

Respeitar o funcionamento da democracia e a vontade expressa nos votos dos eleitores é governar quem tiver maioria parlamentar, tenha ou não ganho as eleições. Como nos Açores, como convinha ao PSD. E chama-se democracia parlamentar constitucional. Parece haver especialistas mais especialistas que os especialistas. Especializaram-se. Diz que este senhor é vice-presidente do PSD.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A infantilização do eleitorado

por josé simões, em 03.07.23

 

1 (15).jpg

 

 

Luís Montenegro, para não lhe estarem sempre a apontar que o seu PSD não tem nada para apresentar sobre coisa alguma, mandou Miguel Pinto Luz à televisão do militante n.º 1 para uma entrevista onde conseguiu dizer tudo e o seu contrário, dizer tudo a que o PSD se propõe para a saúde, mesmo que vá contra a tudo a que o PSD sempre defendeu para a saúde, e não dizer nada a entrevista toda, além de invocar uma proposta que o PSD tinha em 1979 para o SNS que, tirando o ter votado contra, ninguém sabe qual foi. 50 anos depois do 25 de Abril os pantomineiros continuam o seu caminho.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

A comunicação social condicionada pela agenda da direita

por josé simões, em 31.05.23

 

1 (2).jpg

 

 

Pedro Marques, ex-ministro do Planeamento e Infraestruturas, foi ao Parlamento dizer que o Governo do "aliviar o peso do Estado na economia", à imagem da resolução do BES, que não ia ter custos para o contribuinte, assinada pela leveza de uma ministra de férias no Algarve com os pés de molho numa piscina, usou da mesma leveza com a TAP, privatizada à pressa, na 25.ª hora, com a nacionalização do prejuízo e a privatização do lucro, que uma das ideias era "retirar o peso da TAP do bolso do contribuinte", papagueada à época por quem esteve por detrás de toda a operação, e hoje papagueada pelos mesmos, como se não fosse nada com eles. E isto que foi dito no Parlamento é extremamente grave, tão grave que se tivesse sido com um Governo PS dava um mês de conversa fiada nas televisões e mais uma Comissão Parlamentar de Inquérito. E isto diz muito do condicionamento e subordinação da comunicação social à agenda da direita.

 

[Imagem de autor desconhecido] 

 

 

 

 

Os normalizadores do fascismo, II

por josé simões, em 30.04.21

 

miguel pinto luz tvi.jpg

 

 

Miguel Pinto Luz, ex-candidato à liderança do PSD, vice-presidente da Câmara de Cascais. E não é um matarruano qualquer.

 

Os normalizadores do fascismo, Capítulo I

 

 

 

 

Um pantomineiro desmonta-se a ele próprio

por josé simões, em 30.12.19

 

Colin Chillag (2).jpg

 

 

Estas eleições não são para ver quem é mais passista“. Passista, de Passos Coelho. “Não coloco linhas vermelhas a alianças, nem com o Chega”. O Chega, de André Ventura, apoiado por Passos Coelho para a Câmara de Loures. “Acordo com o PS é difícil, porque este PS está muito radicalizado”. Passos Coelho, o Chega e a radicalização do PS. “Quero uma social-democracia à portuguesa“. Um pantomineiro desmonta-se a ele próprio.

 

[Imagem de Colin Chillag]