Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Quando não tens nada para dizer

por josé simões, em 11.07.19

 

wc rol Arnout van Albada.jpg

 

 

Quando não tens nada para dizer mas tens de o fazer porque é mais forte que tu, não é defeito é feitio, tem gosto o burro em ouvir o seu zurro, mas ao dizeres tens de o dizer de forma embrulhada e a jogar com as palavras para que pareças muito sensato, e acima de tudo pietas para a gravitas do núcleo duro da tua base política de apoio, que pensa em privado o que os radicais que não podem ser vítimas de anti-radicalismo ousam dizer em público, e que até tem órgãos de comunicação social, e acesso ao prime time da televisão, para o dizer menos embrulhado que tu, com argumentos de revisionistas doutorados em História e de filósofos estruturantes do pensamento . Mais valia estares calado.

 

Marcelo pede pedagogia contra a xenofobia e desaconselha "radicalismo anti radical"

 

[Imagem]

 

 

 

 

Só os pretos têm autoridade para falar dos pretos, os ciganos dos ciganos e assim sucessivamente

por josé simões, em 10.07.19

 

DFMalan.jpg

 

 

Em dias de tempestade verbal como esta, se me sobra algum respeito (ainda assim muito) reservo-o a brancos que falam em nome próprio, em defesa da sua identidade branca, como Maria de Fátima Bonifácio.

 

Não vejo qualquer problema moral, bem pelo contrário, na aproximação entre a direita moderada e ideias e movimentos que uns apressados rotulam de extrema-direita.

 

[Também podia ser uma imagem do Jonas Savimbi, por exemplo]

 

 

 

 

O drama das Bonifácios desta vida

por josé simões, em 10.07.19

 

 

 

Faz hoje precisamente três anos que Portugal se sagrou campeão da Europa em futebol com uma equipa de pretos, ciganos e brasileiros, estranhos à "entidade civilizacional e cultural milenária que dá pelo nome de Cristandade", não herdeiros dos "Direitos Universais do Homem decretados pela Grande Revolução Francesa de 1789", e isto, como diz o povo, é do caralho!

 

 

 

 

O ódio dos sabujos e o revisionismo histórico

por josé simões, em 27.09.16

 

Fragment_du_Discours_sur_l’origine_de_l’inéga

 

 

Pessoas que apontam o ódio contra a liberdade nascido do fanatismo igualitário inspirado por Rousseau e materializado na mãe de todos os males do mundo moderno - a Revolução Francesa, também nos explicam que antes da dita cuja Revolução Francesa e antes do maldito-seja-o-seu-nome Rousseau tudo corria às mil-maravilhas na Europa, em geral, e em França, no particular; liberdade, igualdade e fraternidade, justiça social, educação e qualidade de vida, carga fiscal justa, tratamento digno para todos os súbditos [cidadãos é modernice revolucionária e adjectivo que se quer substantivo, logo subversivo], a normalidade a que os revolucionários vieram pôr termo, os revolucionários nascidos do nada, de geração espontânea, sem causas, só com efeitos e acima de tudo obstáculo epistemológico à evolução na continuidade.


Na imagem "Fragment du manuscrit du Discours sur l'origine et les fondements de l'inégalité parmi les hommes"]