Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| "Temos no Parlamento forças revolucionárias de esquerda"

por josé simões, em 17.10.13

 

 

 

«Banif negoceia pela primeira vez abaixo de 1 cêntimo»

 

Diz o banqueiro "socialista" confortavelmente sentado em cima de 1,1 mil milhões de euros do dinheiro dos impostos dos contribuintes injectados no banco.

 

[Imagem de The Red Menace]

 

 

 

 

 

 

|| Os idiotas úteis

por josé simões, em 08.10.13

 

 

 

Luís Amado pertence àquela estirpe de idiotas úteis à extrema-direita, que na Grécia, enquanto viam os bancos a que presidem recapitalizados com o dinheiro dos contribuintes na exacta proporção em que eram aplicadas doses maciças de austeridade sobre a população, vinham para a praça pública com gritos de "Alerta!" e "Perigo!" que o Siryza podia chegar ao governo pela via eleitoral, enquanto, de mansinho e também pela via eleitoral, os fascistas do Aurora Dourada tomavam lugares no Parlamento, infiltravam a polícia e as forças armadas, e enchiam as ruas de "camisas castanhas" e os opositores, os emigrantes, os sem-abrigo, ou simplesmente aqueles que pensam de maneira diferente, de bordoada.

 

"Temos no Parlamento forças revolucionárias de esquerda"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Amar a Deus de beiço caído

por josé simões, em 23.03.13

 

 

 

"E o diabo, levando-o a um alto monte, mostrou-lhe num momento de tempo todos os reinos do mundo.

E disse-lhe o diabo: Dar-te-ei a ti todo este poder e a sua glória; porque a mim me foi entregue, e dou-o a quem quero.

Portanto, se tu me adorares, tudo será teu"

 

Lucas 4:5-7

 

"Se o primeiro-ministro tiver condições para manter a coligação e manter o Governo não vejo razão nenhuma para que não possa manter a figura do ministro das Finanças. Substituir Vítor Gaspar seria um erro".

 

O presidente do conselho de administração do intervencionado Banif.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| E talvez entregar o comando das tropas a um qualquer neo Amin al-Husayni

por josé simões, em 20.06.11

 

 

 

O inteligente Luís Amado em entrevista ao programa Sociedade das Nações diz qualquer coisa como entregar a defesa das fronteiras do Estado de Israel a uma força internacional de manutenção da paz. E ninguém se riu. È grave. Não as barbaridades ditas pelo inteligente Luís Amado - vivemos num país livre e até um ministro é livre de dizer coisas da boca para fora - mas o ninguém se ter rido.

 

(Imagem)

 

 

 

 

 

|| 101 anos de República e laicidade

por josé simões, em 01.05.11

 

 

 

 

 

MNE: Luís Amado representa o Estado Português na cerimónia de Beatificação do Papa João Paulo II. Itália, Roma

 

(Na imagem "Jesus Ice Cream Truck", autor desconhecido)

 

 

 

 

 

 

 

|| Avatar

por josé simões, em 21.02.11

 

 

 

 

 

José Sócrates e Luís Amado, despidos do avatar “ministro”, vão conseguir viver, até ao fim dos dias das suas vidas, de bem com a suas consciências, por terem alinhado a Força Aérea Portuguesa ao lado da força aérea que bombardeou o seu próprio povo?

 

(Imagem)

 

 

 

 

 

 

 

|| Há espaço neste debate para o Egipto e para os egípcios?

por josé simões, em 31.01.11

 

 

 

 

 

«É fundamental para a estabilidade e para a segurança da Europa (…) em termos políticos mas também em termos de segurança e estabilidade para a Europa (…) um debate coerente sobre toda a problemática que está em causa neste momento para a Europa, para o Ocidente, mas também para a estabilidade do sistema internacional (…)» A partir do minuto 03:36

 

Pois. A uropa, o Ocidnte e o Sistma Intrnacional.

 

Nós [Ocidente] temos dois problemas graves: o primeiro é sermos burros, o segundo é não querermos aprender.

 

(Imagem)

 

 

 

 

 

 

|| CCleaner

por josé simões, em 13.12.10

 

 

 

 

 

A instalar com urgência (até ver e enquanto se aguardam os loops dos editoriais nos jornais e dos posts nos blogues sobre "traição" e "irresponsabilidade" do senhor australiano ) no BCP e no Ministério dos Negócios Estrangeiros. (Download gratuito).

 

(Em stereo)

 

 

 

 

 

|| Façam favor de se dobrar (*)

por josé simões, em 05.11.10

 

 

 

 

 

Sobre as deformações da coluna vertebral do Governo, vulgo realpolitik, já não há muito mais para dizer (e escrever) depois do apoio dado ao egípcio anti-semita e queimador de livros, Farouk Hosni, na eleição para o cargo de director-geral da UNESCO. Portanto, ninguém se admire se quando amanhã Hu Jintao aterrar em Lisboa com as malas cheias de yuans, à frente da junta chinesa para a salvação da economia nacional, o ministro Luís Amado aparecer a dizer «lo inoportuno que seria (la presencia de Portugal en el) al acto de entrega del galardón».

 

Doutras colunas vertebrais deformadas, também ninguém se admire que o que antes era ingerência externa na política interna de um país soberano deixe agora de o ser, idem as “pressões económicas”, e que o princípio do “poder económico submetido ao poder político” seja mandado às malvas com éme grande.

 

(Título roubado ao Inimigo Público)

 

 

 

 

 

 

|| Viscondessas, viscondes, e barões

por josé simões, em 14.07.10

 

 

 

Os vários Pê-Ésses dentro do Pê-Ésse e respectivas legiões de viscondessas, viscondes, e barões, ou como quando, desde Mário Soares a José Sócrates, se fala num PS "plural":

 

«A razão está em que Serrano deu em Outubro o lugar de Monteiro a José Apolinário, ex-presidente socialista da Câmara Municipal de Faro, que acabara de perder a autarquia para Macário Correia, do PSD.»

 

Como diria Teixeira dos Santos: “Money for the boys”

 

(Na imagem Il Barone Thyssen, maggiordomo e cane, Svizzera, 1996, autor desconhecido)

 

 

 

 

 

|| Die Bücherverbrennung

por josé simões, em 22.09.09

 

 

 

Poucos meses depois da chegada de Adolf Hitler ao poder são organizadas em várias cidades alemãs gigantescas queimadas de livros entre os dias 10 de Maio e 21 de Junho de 1933. É a Bücherverbrennung.

 

No dia 21 de Setembro de 2009 o embaixador português na UNESCO, Manuel Maria Carrilho, contrariando as orientações do ministro dos Negócios Estrangeiros Luís Amado, recusou votar em Farouk Hosny, candidato egípcio ao cargo de secretário-geral da organização, «acusado de praticar abertamente a censura no seu país, e que ainda recentemente afirmou que queimaria pessoalmente todos os livros israelitas que encontrasse na Biblioteca de Alexandria».

 

No dia 1 de Setembro de 2009, Luís Amado, ministro dos Negócios Estrangeiros, assiste em Tripoli «às comemorações do 40º aniversário da Revolução do Grande Al-Fateh», com a chegada ao poder do ditador-terrorista-reabilitado Muammar Khadafi, e leva consigo a Força Aérea Portuguesa para participar no desfile comemorativo.

 

Tão simples quanto isso.