Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Racistas há muitos, seu palerma

por josé simões, em 20.01.20

 

vasco santana (1).jpg

 

 

De manhã tivemos a doutora Joacine em directo na televisão a acusar o Livre de se ter aproveitado duma negra gaga para eleger um deputado, exactamente o argumento usado pelo Livre e pela deputada para classificar de racista e de extrema-direita para cima quem disse o mesmo da doutora Katar-Moreira quando foi eleita.

 

À noitinha tivemos a doutora Isabel dos Santos no Twitter a classificar de racismo e preconceito os casos de corrupção e nepotismo onde aparece envolvida na investigação jornalística "Luanda Leaks".

"Racismo" e "preconceito" é o novo maravilhoso.

 

De caminho a Price Waterhouse Coopers cortou relações com a filha do pai depois de décadas a ser paga para trabalhar na maquilhagem das trafulhices da empresária, dar-lhe um ar decente, aceitável e com "sentido de Estado, enquanto o Cigarette Smoking Man ou Cancer Man dos X-Files, também conhecido por Fórum de Davos ou Forum Económico de Davos, 'desconvidou' a senhora. Tem peçonha, ninguém sabia ou sequer desconfiava. Por causa das carradas de maquilhagem e do cabelo esticado que a fazem quase branca. Uma afirmação claramente preconceituosa e racista, esta.

 

Entretanto vai grande alegria e excitação no jornal do militante n. º 1, também ele sentadinho em Davos e apanhado de surpresa com toda esta embrulhada, enquanto ficamos todos à espera que depois de publicar a prometida lista dos jornalistas avençados do BES nos Panamá Tretas, o Expresso publique também a lista dos jornalistas avençados da cleptocracia angolana que conseguiu roubar e fazer mais mal ao seu próprio povo que o colonialismo, e isto sem qualquer acusação de racismo e preconceito, sublinhe-se.

 

 

 

 

"És liberal e não sabias" *

por josé simões, em 15.01.20

 

Sem Título.jpg

 

 

REPENSAR O SISTEMA FISCAL NA ÓPTICA DO UNIVERSALISMO

(Moção específica proposta ao IX Congresso do LIVRE)

 

 

* "És liberal e não sabias"

 

 

 

 

Da falta de noção no PIEC - Processo de Inchamento em Curso

por josé simões, em 27.11.19

 

rafaelestevesmartinstwitter.jpg

 

 

A confusão entre a "missão" de serviço público, inerente ao cargo de deputado eleito da Nação, e um qualquer emprego na vida privada, por alguém que não sabe, nem quer saber, o que é ser deputado eleito, e por outrem que não sabe, nem quer saber, o que é ser assessor de imprensa de um deputado eleito por uma partido político. Siga a marcha.

 

[Rafael Esteves Martins no Twitter]

 

 

 

 

A caminho do partido tribalista

por josé simões, em 26.11.19

 

                                             

 

 

A doutora Joacine, que não sabia como votar na questão "a culpa é como Israel", absteve-se por dificuldades de comunicação com o partido que mantém mãos cheias de dezenas de militantes activos no Twitter 24 horas por dia. Se isto não é ridículo é no mínimo ridículo. A doutora Joacine, que foi eleita sozinha sem precisar do partido para nada, nem sequer de Rui Tavares, o fundador do partido e a cara do partido, que andou meses com a doutora Joacine ao colo para a mostrar urbi et orbi  e para promover a imagem de alguém que foi não precisa de Rui Tavares nem do partido para nada, não sabe o sentido a dar ao seu voto na questão, a seguir ao futebol, onde toda a gente tem opinião formada - "a culpa é como Israel". "Eu é que sou o presidente da Junta". E a doutora Joacine também não conhece Zeca Afonso, caso contrário a questão do sentido de voto, de quem não precisa de partidos para nada, nem se colocava. Se isto não é ridículo é no mínimo ridículo. A doutora Joacine, entretida em trabalho de campo com a meritória transladação de Aristides de Sousa Mendes para o Panteão Nacional, ó ironia, um facilitador de passaportes a judeus ainda a questão da "culpa de Israel" não se colocava, falhou a entrega do projecto sobre a lei da nacionalidade, em campanha eleitoral uma das bandeiras do partido de que a doutora Joacine não precisa para nada e pelo qual foi eleita. As minorias, "racializadas" ou não, podem esperar pelo ego da doutora Joacine ou que o ego da doutora Joacine vote no projecto de outro partido de esquerda, com ou sem indicação do sentido de voto do partido pelo qual a doutora Joacine foi eleita. Se isto não é ridículo é no mínimo ridículo. A doutora Joacine, que foi eleita sozinha sem precisar do partido para nada, quebrou unilateralmente o blackout decidido entre a sua pessoa e o partido de que não precisa para nada, para o acusar de falta de camaradagem e de promover um golpe contra a sua pessoa, "não sou descartável", estou aqui para ficar, "eu é sou o presidente da Junta". Se isto não é ridículo é no mínimo ridículo.

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 24.11.19

 

Paul_Jung.jpeg

 

 

Fui eu que ganhei as eleições, sozinha, e a direcção quer ensinar-me a ser política

 

[Imagem]

 

 

 

 

A Incrível líder

por josé simões, em 10.11.19

 

poster rétro hulk.jpg

 

 

Por mérito próprio e por convicção o Livre ficou encostado exactamente onde a direita radical o queria ver encostado: às questões étnicas e de identidade de género. Parabéns pois ao Livre, que tem a maior brigada de serviço ao Twitter e Facebook e que lhe serviu para nada ou precisamente para isso, para confirmar o "nicho de mercado".

 

O Incrível Hulk também era bastante irritadiço [entrevista de Joacine Katar-Moreira ao Expresso].

 

[Imagem]

 

 

 

 

Um homem de saias, onde é que já se viu?!

por josé simões, em 27.10.19

 

curt kobain.jpg

 

 

curt kobain II.jpg

 

 

É a pergunta que se faz em Portugal nos 25 anos da morte de Curt Kobain.

 

 

 

 

Todo o poder aos imbecis!

por josé simões, em 10.10.19

 

bat.jpeg

 

 

Os imbecis que vibraram com o golo do Éder na final do Europeu, com as medalhas de Nelson Évora no atletismo, com Jorge Fonseca campeão do mundo a levar os adversários ao tapete, com as jogadas e os golos de Eusébio no top 10 das melhores da história do futebol, com Cristiano Ronaldo na final da Champions a receber a medalha de campeão da Europa com a bandeira nacional a servir de capa ao lado dos colegas de equipa, também cada um deles com a bandeira do país de origem, que enche o Pavilhão Atlântico para cantar "Ó Gente da Minha Terra" com a Mariza e que anda na rua a "Chamar a Música" da Sara Tavares são já nove mil a assinar uma petição pública para impedir a tomada de posse de Joacine Katar Moreira, primeira afro descendente a chegar ao Parlamento, porque na noite da celebração alguém empunhava uma bandeira da Guiné-Bissau.

 

Todo o poder aos imbecis!

 

 

 

 

Mais do mesmo, é o novo normal

por josé simões, em 01.10.19

 

Members of the street-performance troupe Macnas participate in their Halloween parade called Out of the Wild Sky in Galway, Ireland, on October 28, 2018.jpg

 

 

Depois de terem passado as duas últimas semanas com o discurso do ódio apontado à miúda Greta Thunberg os imbecis, anónimos ou nem por isso, inundam agora as "redes" com o mesmo discurso, desta vez apontado à gaguez da cabeça de lista por Lisboa pelo Livre, Joacine Katar-Moreira. Mais do mesmo, é o novo normal.

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| Por falar em políticos influentes

por josé simões, em 31.03.15

 

zeca se7e.jpeg

 

 

«Rui Tavares é o político mais influente no Twitter, revela estudo»

 

 

 

 

||| O carro à frente dos bois

por josé simões, em 05.10.14

 

 

 

«Livre [...] com disponibilidade “muito clara” para governar com PS»


[Imagem]

 

 

 

 

||| O ciclo

por josé simões, em 12.05.14

 

 

 

Desde os idos da FUR, com mais ou menos vermelho, com mais ou menos cor de rosa, que a coisa se repete como se repetem as estações do ano e, como o eleitorado não estica, antes pelo contrário, a tendência é para encolher, o Livre, para impedir um governo de bloco central em 2015, vai roubar votos ao PS para haver um governo PSD/CDS. Certinho como o destino.

 

"O objectivo do Livre é impedir um governo de bloco central a partir de 2015"