Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 17.07.20

 

Rocco.jpg

 

 

Pandemia pode ser oportunidade para resolver problemas no acesso à habitação em Lisboa.

Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa

 

[Imagem]

 

 

 

 

Portugal dos pequenitos

por josé simões, em 18.06.20

 

samar baiomy.jpg

 

 

O nacional-parolismo de um Presidente da República que convoca um Conselho de Ministros extraordinário para o palácio presidencial, com a presença dos representantes do pontapé-na-bola nacional, para celebrar a conquista de uma final da Champions na capital, e com a exaltação de um dos instrumentos da meritocracia nacional de uso corrente - a cunha, o presidente da Federação é vice na UEFA e o organizador da prova um tuga de gema, Marcelo dixit, o edil Medina aplaude, a companhia aérea de bandeira já está a bombar às portas de Portugal enquanto sobrevoa a paisagem.

O nacional-parolismo do primeiro-ministro que a dedica aos profissionais de saúde, "um prémio merecido" por se terem sacrificado, a vida, a família, as férias, as folgas e os tempos livres, na luta contra a pandemia em defesa da saúde pública, amanhã as pitonisas do Costa explicam a relação entre uma coisa e outra, entre o dever do distanciamento social e manadas de hooligans a consumir álcool e a cuspirem-se uns aos outros;

A nacional-irresponsabilidade da Direcção-Geral de Saúde, convertida em Direcção-Geral do Poder Político, "quantos mais visitantes, melhor será para o país", que venham muitos, os civilizados da bola, que já fechámos os bares do Jamaica e andamos em cima de festas privadas e ajuntamentos nas ruas com pessoas que não sejam da mesma família.

 

Do que é que nos queixamos concretamente?

 

[Imagem]

 

 

 

 

#Covidiots

por josé simões, em 06.06.20

 

lisboa II.jpg

 

 

Na imagem a manif "contra o racismo e a intolerância em nome de Floyd". No Twitter e no Instagram há uma hastag específica para isto: é #Covidiots.

 

 

 

 

O Estado da daNação, Capítulo II

por josé simões, em 06.01.20

 

Raymond Hains.JPG

 

 

Um grupo de guineenses é suspeito de ter morto um português à facada em Lisboa e um grupo de portugueses é suspeito de ter morto um cabo-verdiano à paulada em Bragança. Um é objecto de comunicados de partidos políticos a preto-e-branco e de organizações de combate ao racismo e de manifs várias convocadas e várias cidades do país. O resto do pagode vai trabalhar de manhã para chegar à noite a casa e espera que a justiça seja feita, funcione, e que a ida e o regresso do trabalho continue a ser um trajecto seguro.

 

[Imagem de Raymond Hains]

 

O Estado da daNação, Capítulo I

 

 

 

 

Web sumiço

por josé simões, em 04.11.19

 

fans-of-osmonds-chris-djukanovic.jpg

 

 

Esta histeria coisa no século XXI da Web Summit mais dez em Lisboa Portugal são os anos 60 e 70 do século passado com os países do norte da Europa nos têxteis, com as marcas pré-globalização, na indústria do norte do país pelos baixos salários e incentivos ficais dados pelo Estado. Antes pelo contrário, espero que finados os dez anos negociados a Summit leve sumiço daqui para fora e não fique por aqui mais cinquenta.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Movida no cu dos outros para mim é refresco

por josé simões, em 28.10.19

 

kores.JPG

 

 

Os gajos que nos 80s gastavam rolos de fita Kores a escrever nas suas máquinas Adler, Brother, Olivetti, Olympia, etc,  textos para páginas inteiras do O Independente e o Se7e com a loucura que era o "Madrid me mata" e que rapidamente deram de frosques para Madchester, mais inacessível, não havia low cost, que as elites não se dão com as manadas de povo que leu o que escreveram, e que de lá teclavam os fins-de-semana no La Haçienda, são exactamente os mesmos gajos que em 2019 enchem páginas do Gmail, para as redacções dos jornais que restam, com a Lisboa insuportável dos turistas. Como diriam os camaradas brasileiros, movida no cu dos outros para mim é refresco.

 

[O facto de no Portugal de 2019 serem os mesmos dos 80s a escrever nos jornais, agora velhos e ressacados, diz muito sobre o reino do jornalismo nacional]

 

[Imagem]

 

 

 

 

A coerência fica-vos tão bem...

por josé simões, em 29.07.19

 

torrinha.jpg

 

 

Otelo Saraiva de Carvalho, que tem legalizada casa de construção clandestina com torre Walt Disney em pleno Parque Natural da Arrábida, assina manifesto contra os desmandos urbanísticos que descaracterizam a cidade de Lisboa. A coerência fica-vos tão bem...

 

Declaração de princípios: subscrevo na íntegra o manifesto e acho que a dupla Fernando Medina - Manuel Salgado a longo prazo vai ser mais perniciosa para a cidade que a de má memória Krus Abecasis - Tomás Taveira.

 

[A imagem é minha, assim como a bike]

 

 

 

 

Nascem mais bebés em Agosto?

por josé simões, em 20.06.19

 

James Gallagher.jpg

 

Só fecha para férias em Agosto quem tem obrigatoriamente de fechar em Agosto. Por exemplo as fábricas, as famosas "paragens", para manutenção, substituição e reparação. Assim é só um caso de administração, gestão e organização. Má.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Ora vamos lá a saber

por josé simões, em 05.09.18

 

boris.jpg

 

 

Fernando Medina, presidente da Câmara de Lisboa, sempre com a boca cheia do peso do transporte pessoal privado na cidade e nas emissões de carbono e do incentivo ao transporte público e nos passes sociais subsidiados pelo contribuinte seja ou não morador e/ ou trabalhador na cidade e na defesa do planeta e da qualidade de vida das cidades, utiliza que meio de transporte para chegar diariamente ao trabalho?

 

Jorge Sampaio, por exemplo, ia de autocarro e ainda devem haver por aí reportagens nos arquivos das televisões onde é visto a ir  a pé da Rua Padre António Vieira para a Praça do Município, e Boris Johnson, também por exemplo, imagem de marca de bike para a Mansion House em Walbrook.

 

[Imagem]

 

 

 

 

O senhor contribuinte roubado

por josé simões, em 04.09.18

 

o senhor roubado (3).jpg

 

 

E depois, ao dia útil e à data em que escrevo, Sesimbra tem 27 ligações por autocarro a Lisboa [13 idas e 14 voltas] e Palmela tem 34 [17 idas e 17 voltas]. Fazendo as contas a uma média de 55 passageiros por bus e, partindo do princípio que vão todos cheios e atendendo a que Sesimbra não tem comboio [o resto do país também não mas isso é outro capítulo] e ao peso que esses passageiros têm no bolo global das dezenas de milhar de passageiros que se movimentam diariamente na Área Metropolitana de Lisboa, a gente percebe a "bondade" do valor a pagar pelos respectivos passes aparecer a abrir as notícias. Meter as pessoas de Sesimbra, Palmela e Pinhal Novo a subsidiar os transportes públicos de Lisboa em nome do valor do passe pago pelas pessoas de Sesimbra, Palmela e Pinhal Novo é uma ideia simplesmente genial.

 

Não lhes ocorreu avançar com o preço de um passe de autocarro entre Alcácer do Sal e Setúbal, ou entre Mértola e Beja, ou entre Montemor-o-Novo e Évora, que a "paisagem" não é para aqui chamada a estragar a imagem de Lisboa.

 

Mas se calhar há uma explicação lógica para tudo isto. Não passando pela cabeça de ninguém que a ideia não tenha sido previamente concertada entre António Costa e Fernando Medina, como a reacção foi adversa às reacções dos avençados de serviço às redes e que foram desde as auto-estradas, hospitais, escolas e universidades no resto do país pagas por Lisboa [juro, está no Twitter], até à solidariedade que é exigida aos países ricos do norte da Europa para com os pobres do sul e que não tem correspondência neste caso concreto que é o de meter os miseráveis do Alentejo a pagar o passe social aos ricos de Lisboa [juro, está no Twitter], até à Lisboa, criadora de 70% da riqueza produzida pelo país, mãos largas a distribuir por Setúbal, Aveiro, Braga, distritos onde as empresas desenvolvem a sua actividade económica e que, para o bem ou para o mal, arcam com as consequências ambientais e o desemprego provocado pelas sucessivas crises, económicas e sociais, o dinheiro que Lisboa arrecada por ser a cidade onde as empresas têm a sua sede fiscal [juro, está no Twitter], entrou em campo o ministro do Ambiente, magnânimo e abrangente.

 

E se fossem gozar com quem vos talhou as orelhas?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 27.07.18

 

gripfac3.jpg

 

 

O PSD, de Cavaco Silva da escritura, nunca aparecida, da casa na Urbanização da Coelha, paredes meias com Oliveira Costa e Fernando Fantasia, das mais-valias em acções da SLN, pede a demissão do vereador do Bloco de Esquerda na Câmara de Lisboa, Ricardo Robles, "por manifesta falta de ética, de seriedade e de credibilidade política para permanecer no cargo de vereador na cidade de Lisboa" num affair onde não há mais nada do que uma contradição, se não mesmo hipocrisia, entre aquilo que se apregoa e aquilo que se pratica. Não ter a puta da vergonha na cara é isto.

 

[Imagem Grip Face no Instagram]

 

 

 

 

Ricardo Iglesias vs. Pablo Robles

por josé simões, em 27.07.18

 

pablo-iglesias.jpg

 

 

O vereador do Bloco, a votos contra o "carrossel da especulação imobiliária", vai ganhar milhões com prédio em Alfama.

 

O vereador vai ganhar milhões com a venda de um prédio, que em 2014 comprou por 347 mil euros. Hoje o edifício totalmente reabilitado vale 5,7 milhões de euros.

 

[Así es, por dentro y por fuera, la nueva casa]

 

 

 

 

Descubra as diferenças

por josé simões, em 03.07.18

 

Stefanie Moshammer.jpg

 

 

Câmara de Lisboa cede parque de estacionamento a Madonna


A Câmara Municipal de Lisboa cedeu um terreno que serve de parque de estacionamento à maior estrela da pop. Madonna, a morar na Rua das Janelas Verdes, precisava de se um lugar para guardar os 15 carros que ela e a equipa usam.

 

 

"Acabando a sede, não temos onde pôr os atletas"


"Clube de Carnide luta contra ação de despejo da sede onde está há 90 anos."


A direção do clube mobilizou-se para tentar evitar o despejo e levantou o problema junto da Presidência da República, Governo, partidos políticos e na comissão de Desporto, Comunicação e Cultura, da Assembleia da República. "O que nos disseram foi para tentarmos que a câmara faça a expropriação por interesse público do espaço".

 

[Imagem]

 

 

 

 

O sonso arrumador de carros

por josé simões, em 02.07.18

 

arrumador.jpg

 

 

O sonso, que se queixa do êxodo provocado pelo alojamento local que, a pouco e pouco, vai transformando Lisboa num parque temático, depois de muito esmifrado e apertado por toda a gente, deixa cair que é o arrumador de carros de Madonna, pelas moedas que recebe em troca do serviço prestado, privilégio que não concede aos indígenas que ainda resistem ao êxodo, porque a rainha da pop é bom cartaz, que atrai mais turistas a Lisboa, que fomentam o alojamento local, que pressiona o êxodo. O nacional-parolismo em todo o seu esplendor.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Lisboa vista da paisagem

por josé simões, em 28.06.18

 

casa das manteigas setubal.jpg

 

 

Dois dias seguidos de telejornais e de primeiras páginas e de reportagens e de entrevistas de rua sobre uma pastelaria histórica de Lisboa que vai deixar de vender a bica a 1 €, em pé ao balcão, e imperial a 3 €, na esplanada. Coisas que passam ao lado de 10 milhões e meio de portugueses, quando não se estão mesmo a borrifar, a marimbar, a lixar, com éfe grande, lisboetas incluídos, para a dita Suíça, mesmo aqueles que alguma vez tinham ouvido falar dela. A seguir vão fazer reportagens e abrir telejornais e fazer primeiras páginas e entrevistas de rua sobre, por exemplo, as dezenas de lojas históricas que fecharam na baixa de Setúbal nas duas últimas décadas.

 

[Na imagem de Américo Ribeiro a "Casa das Manteigas" na Rua Doutor Paulla Borba, antiga Rua dos Ourives, em Setúbal]