Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

“Shirt Mask SOW03” by Nuno Viegas in Lisbon, Portugal

por josé simões, em 16.07.21

 

1 “Shirt Mask SOW03” by Nuno Viegas in Lisbon,

 

 

2 “Shirt Mask SOW03” by Nuno Viegas in Lisbon,

 

 

3 “Shirt Mask SOW03” by Nuno Viegas in Lisbon,

 

 

[Link nas imagens]

 

 

 

 

A nossa baixa exigência cívica

por josé simões, em 29.06.21

 

moedas.jpg

 

 

A imagem que se quer passar, muito cool e descontraído, sentado com os sapatos em cima de um banco de um jardim público da cidade que se propõe governar. Num qualquer país do norte da Europa, naquelas democracias com que enchem sempre a boca por comparação com o nosso "desgraçado atraso" e "falta de cultura democrática", esta fotografia era mortal para qualquer político, por cá é só mais do mesmo, a imagem da nossa baixa exigência cívica.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Coisas com sentido

por josé simões, em 24.06.21

 

avental charroque.jpg

 

 

Pessoas de Lisboa não podem almoçar ou jantar até tarde em restautantes por causa do vírus mas podem meter-se no carro e ir almoçar a restaurantes em Setúbal por causa do vírus. O vírus não carrega no erre.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Tovarich Medina

por josé simões, em 10.06.21

 

Igor Palmin Tashkent, an underground transition, 1

 

Pedir desculpa e seguir em frente, procedimento válido para todos os cidadãos perante qualquer infração à lei.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Ilusionionistas liberais

por josé simões, em 02.06.21

 

Sem Título.jpg

 

 

Iniciativa Liberal vai organizar Arraial dos Santos Populares em Lisboa

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Relatório e Contas. Resumo da Semana

por josé simões, em 20.03.21

 

Paulo Vaz Henriques Instagram.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Cecil B. DeMille, Hollywood, anos 20

por josé simões, em 17.03.21

 

Ten-Commandments-poster.jpg

 

 

 

Os filhos que maltratam os pais. Os pais que sodomizam os filhos

 

Cheio de "substância" política.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Duplicar a melodia

por josé simões, em 05.03.21

 

cante alentejano.jpg

 

 

Diz Marques 'disse-não-disse-tenho-esperança-que-não-se-lembrem-do-que-disse' Mendes que a "ambição política de Moedas pode empurrá-lo para a liderança do PSD". Moedas, o moço de fretes da troika. Até já circula nas redes a versão de que era ele quem punha travão nas ambições. O início de uma construção. Adiante. Moedas que ousou ter vida própria e avançar sem a bênção do Ungido, o Messias, o que vai resgatar a direita, mas prontamente mostrou arrependimento e fez penitência, que fique desde já esclarecido, que não quer cá confusões, que não pensem que quer dar-se ares de qualquer coisa. E a gente olha para a figura e não encaixa na ambição, e olha para a ambição e não encaixa na figura, que isto é o século XXI, o da imagem por mil palavras. Mas depois olhando bem, quer dizer ouvindo bem o tom de voz do ambiciosom que não encaixa na figura, ao contrário do Ungido, o Messias, o que vai resgatar a direita, com o seu barítono, e percebemos que afinal faz tudo sentido em Moedas, o alentejano de Beja, com voz alto, no cante alentejano a voz mais aguda, que duplica a melodia e que, geralmente, a ornamenta.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

É como o Constantino, "a fama que vem de longe"

por josé simões, em 04.03.21

 

Sem Título.jpg

 

 

260.591 € para equipar um centro de imprensa em Lisboa - embora as conferências de imprensa da presidência sejam realizadas online e jornalistas estrangeiros não viajem para a capital portuguesa.

35.785 € em bebidas - num momento em que poucas pessoas se reúnem.

39.780 € na compra de 360 camisas e 180  fatos - com toda a gente em teletrabalho.

Projecto confiado a empresa que não obtém um contrato público desde 2011 e cuja experiência anterior em contratos com o sector público envolveu a organização de eventos para festas de aldeia.

 

Portugal’s ‘ghost’ EU presidency racks up in-person expenses

Lisbon has equipped an empty press center, shelled out thousands of euros for drinks and ordered hundreds of suits.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Sign O' The Times, CXXXIX

por josé simões, em 18.02.21

 

4 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

5 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

2 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

6 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

7 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

3 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

1 jporfirio-reportcemiterio-alto-de-sao-joao-covid

 

 

"Os coveiros do Alto de São João estão a fechar sepulturas tão rápido quanto as abriram. Na secção 18, a segunda aberta desde março, 80% das campas são de vítimas de Covid."

 

Este espaço bastaria para um ano de enterros no Alto de São João. Já vai a meio em 50 dias

 

[Link nas imagens]

 

Sign O' The Times, Capítulo CXXXVIII

 

 

 

 

O alegado ministro da Administração Interna

por josé simões, em 12.02.21

 

tamarastoffers.jpg

 

 

Em 30 de Maio de 2020, estava o país com 11 621 casos activos e a contar 1 396 mortes por Covid, foram as televisões avisadas, com a antecedência necessária para o circo dos directos poder ser montado, da "operação musculada" na mina da Covid ao Jamaica no Fogueteiro, com o delegado de saúde vestido de astronauta a meter cadeados em tudo o que era estaminé de venda de mines, curiosamente todos desertos, devidamente protegido pela polícia de choque.

 

Em 12 de Fevereiro de 2021, com 118 362 casos activos, 14 885 mortes confirmadas e o Serviço Nacional de Saúde a rebentar pelas costuras com 4 734 internados em enfermaria e 836 em UCI, um restaurante em Lisboa, repetente no desrespeito pela lei, transmite um jantar em directo pelo Facebook e recebe a visita da PSP para "levantamento de treze autos de contraordenação".

 

É o suposto levar a sério, e ter um mínimo de respeito cidadão pelo alegado ministro Eduardo Cabrita?

 

[Imagem]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 17.07.20

 

Rocco.jpg

 

 

Pandemia pode ser oportunidade para resolver problemas no acesso à habitação em Lisboa.

Fernando Medina, presidente da Câmara Municipal de Lisboa

 

[Imagem]

 

 

 

 

Portugal dos pequenitos

por josé simões, em 18.06.20

 

samar baiomy.jpg

 

 

O nacional-parolismo de um Presidente da República que convoca um Conselho de Ministros extraordinário para o palácio presidencial, com a presença dos representantes do pontapé-na-bola nacional, para celebrar a conquista de uma final da Champions na capital, e com a exaltação de um dos instrumentos da meritocracia nacional de uso corrente - a cunha, o presidente da Federação é vice na UEFA e o organizador da prova um tuga de gema, Marcelo dixit, o edil Medina aplaude, a companhia aérea de bandeira já está a bombar às portas de Portugal enquanto sobrevoa a paisagem.

O nacional-parolismo do primeiro-ministro que a dedica aos profissionais de saúde, "um prémio merecido" por se terem sacrificado, a vida, a família, as férias, as folgas e os tempos livres, na luta contra a pandemia em defesa da saúde pública, amanhã as pitonisas do Costa explicam a relação entre uma coisa e outra, entre o dever do distanciamento social e manadas de hooligans a consumir álcool e a cuspirem-se uns aos outros;

A nacional-irresponsabilidade da Direcção-Geral de Saúde, convertida em Direcção-Geral do Poder Político, "quantos mais visitantes, melhor será para o país", que venham muitos, os civilizados da bola, que já fechámos os bares do Jamaica e andamos em cima de festas privadas e ajuntamentos nas ruas com pessoas que não sejam da mesma família.

 

Do que é que nos queixamos concretamente?

 

[Imagem]

 

 

 

 

#Covidiots

por josé simões, em 06.06.20

 

lisboa II.jpg

 

 

Na imagem a manif "contra o racismo e a intolerância em nome de Floyd". No Twitter e no Instagram há uma hastag específica para isto: é #Covidiots.

 

 

 

 

O Estado da daNação, Capítulo II

por josé simões, em 06.01.20

 

Raymond Hains.JPG

 

 

Um grupo de guineenses é suspeito de ter morto um português à facada em Lisboa e um grupo de portugueses é suspeito de ter morto um cabo-verdiano à paulada em Bragança. Um é objecto de comunicados de partidos políticos a preto-e-branco e de organizações de combate ao racismo e de manifs várias convocadas e várias cidades do país. O resto do pagode vai trabalhar de manhã para chegar à noite a casa e espera que a justiça seja feita, funcione, e que a ida e o regresso do trabalho continue a ser um trajecto seguro.

 

[Imagem de Raymond Hains]

 

O Estado da daNação, Capítulo I