Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Martin Scorsese

por josé simões, em 30.11.21

 

scorsese.jpg

 

 

Uma equipa patrocinada por uma casa de apostas que joga numa liga patrocinada por uma casa de apostas.

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Outras religiões

por josé simões, em 11.05.20

 

Catherine Balet.jpg

 

 

Fosse na América rica, a do norte, ou no vizinho pobre do sul, o Brasil, e andavam manadas de grunhos nas ruas de bandeiras às costas a gritar contra o ataque às liberdades: comunismo e criatividade; a "indústria" do pontapé-na-bola a transpirar saúde por todos os poros, sem contacto físico nos livres e cantos, sem cargas de ombro e entradas de carrinho; touradas dentro dos requisitos, picar o animal com toda a higiene e limpeza e o rabejador de mascara cirúrgica. Quem diria que um dia Fátima havia de ficar fora da equação? 

 

[Imagem]

 

 

 

 

Golo de bandeira

por josé simões, em 23.04.20

 

Blackpool goalkeeper Gordon West is rendered agog by his own miraculous save during a match against Arsenal at Highbury 1961.jpg

 

 

Diz o Correio da Manha, sem til, que a lotação dos estádios de futebol vai ser reduzida para 16,7% da capacidade total como forma de meter novamente o circo a "indústria" no activo em tempos de Covid-19. Ou seja, vai passar a letra de lei o que na realidade já acontece em todos os estádios, de norte a sul do país mais ilhas adjacentes, onde não joga o Benfica: o deserto do Saara em betão e a pasmaceira só interrompida pela meia-dúzia de fanáticos indefectíveis que insistem em martelar nas peles de bombos desafinados.

 

[Imagem]

 

 

 

 

|| Lovelace

por josé simões, em 19.09.10

 

 

 

Um jogo de futebol disputado em alta rotação consegue ter o árbitro como vedeta principal.O síndroma Linda Lovelace: sempre de apito na boca. Apitar por nada e por nada e por mais nada, a quebrar o ritmo de jogo. Um conselho, se me é permitido, ao sôr Xistra: vá ver uns jogos do campeonato inglês.

 

 

 

 

Estádios vazios

por josé simões, em 29.01.07

A Liga Portuguesa de Futebol está preocupada com as fracas assistências aos jogos do campeonato; com os estádios vazios.

Vai daí, Hermínio Loureiro decidiu pedir opinião a um painel de experts para dar a volta à situação. Desenganem-se os que pensam que se foi aconselhar com os seus homólogos espanhóis, italianos ou ingleses.

Não! O homem recorreu aos serviços de Manuel Moura Santos – para o mais distraídos, era aquele personagem que no programa Ídolos se dedicava a achincalhar os concorrentes – e a Rui Veloso; tudo gente entendida na matéria, como está bem de ver.

 

Não lhe passou pela cabeça que as soluções estão mesmo debaixo do nariz, e que passam, por exemplo, por mais transparência e menos compadrio, por bilhetes mais baratos, por não marcar jogos para o domingo ou segunda-feira a horas impróprias, as divisões com menos clubes para aumentar a competitividade e o espectáculo; ou a mais radical de todas as soluções, mas a não menos acertada: simplesmente ele e todo o seu elenco directivo, arrumarem as malas e deixarem o lugar a quem realmente se interesse e perceba do assunto.

 

Post-Scriptum – Luís Filipe Vieira foi na passada sexta-feira ilibado pela Polícia Judiciária, de toda e qualquer suspeita de corrupção ou tráfico de influências, na transferência de Pedro Mantorras do Alverca para o Benfica.

Os jornais que fizeram manchete de primeira página, ou as televisões que abriram os telejornais com a “bomba”, quando a suspeita se levantou, onde estão para informar do sucedido?

 

Post-Scriptum 2 – Acabo de ver Pinto da Costa, no telejornal das 19 horas na SIC Noticias, sair das instalações da Judiciária do Porto onde foi prestar declarações. Sem a guarda de honra dos cabeças rapadas. Fica-lhe bem e dá-lhe um ar civilizado.