Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Lembram-se do slogan "és liberal e não sabias" do Iniciativa Liberal nas legislativas?

por josé simões, em 23.10.19

 

1 (33).jpg

 

 

2 (33).jpg

 

 

3 (32).jpg

 

 

4 (25).jpg

 

 

5 (23).jpg

 

 

6 (13).jpg

 

 

7 (14).jpg

 

 

8 (7).jpg

 

 

9 (6).jpg

 

 

10 (2).jpg

 

 

11 (2).jpg

 

 

As fotos da revolta popular na capital do Chile contra o aumento do preço da tarifa de metropolitano na hora de ponta que levou a que o liberal presidente Sebastián Piñera mandasse para as ruas o exército como força repressora, algo que já não acontecia desde os idos do sanguinário Augusto Pinochet, o ditador que chamou os também liberais Chicago Boys a Santiago do Chile.

 

In Chile, what began as a protest late last week against a 3.5 percent subway-fare hike quickly evolved into a widespread and sometimes violent set of demonstrations in a dozen cities. Although Chile’s President Sebastián Piñera has now suspended the fare hike, the protests grew, fueled by wider complaints about the rising cost of living and social and economic inequality. Piñera has declared a state of emergency, including overnight curfews, as some demonstrations have devolved into looting and arson. Authorities say 15 people have lost their lives so far amid clashes with riot police and chaotic scenes in damaged and burning buildings.

 

 

 

 

O liberalismo explicado às criancinhas e outros analfabetos

por josé simões, em 11.10.19

 

IL (1).jpg

 

 

[Via]

 

 

 

 

O pai da criança

por josé simões, em 09.10.19

 

passos salazar.jpeg

 

 

Ainda na noite do rescaldo eleitoral o fascista Ventura aparece nas televisões a celebrar o "país que pela primeira vez em 45 anos não teve medo de votar num partido verdadeiramente de direita". Quarenta e cinco anos. É fazer as contas, descontando os anos em que os deputados da União Nacional eram eleitos em votações marteladas, se calhar o fascista Ventura pecou por defeito nas contas, é a primeira vez que é eleito um.

 

No dia a seguir, quando se soube que "a ciganada toda", como diz o senhor do CDS, votou no Chega, para que o Ventura soubesse que os ciganos não têm medo dele, o cabeça de lista por Beja, com aspecto de cigano e nascido nos últimos 35 anos, aparece com a mesma cartilha dos "45 anos", o tempo que andam a tratar mal o interior do país e o Alentejo. Ele que nasceu sem candeeiro a petróleo, bilha da água e penico na mesa de cabeceira, a ir calçado para a escola, até à faculdade se preciso for, e sem os fundilhos remendados, sem pão com azeitonas na praça da jorna, e sem a carga da GNR a cavalo para reprimir reivindicações de quem queria 5 tostões por dia de ceifa ou de apanha da azeitona ao contrário dos 4 que o latifundiário se dispunha a pagar e, com um bocado de sorte, via pela primeira vez o mar quando fosse metido dentro de um barco para ir combater numa guerra colonial a milhares de quilómetros no outro lado do oceano, em África.

 

Mas isto é a conversa dos coitados que não têm capacidade de raciocínio para lá do resumo da jornada futeboleira nas páginas do Record ou da telenovela a seguir ao telejornal, antes da Casa dos Segredos.

 

Cinco anos antes do fascista Ventura se ter sentado no Parlamento pelo voto popular o mui liberal e culto e instruído secretário de Estado de Pedro Passos Coelho, tão instruído que só usava o Twitter em 'amaricano', tinha tuitado que vivíamos há 35 anos em hegemonia socialista, sem a coragem, ou a falta de vergonha, que o fascista Ventura teve em assumir a contagem integral do tempo, como Pacheco Pereira muito bem desmontou

 

Mas não é por aqui, que a relação entre fascismo e liberalismo é uma história de amor antiga, ainda mais antiga que os rapazes de Chicago a aplicarem no Chile de Pinochet a teoria económica que os rapazes de Passos Coelho pretendiam aplicar em Portugal, agora asilados no Iniciativa Liberal depois da vassourada de Rui Rio e do stand by a que Miguel Morgado se remeteu.

 

Passos Coelho um dos vencedores da noite eleitoral ao ter conseguido sentar dois deputados no Parlamento, André Ventura pelo Chega e João Cotrim de Figueiredo pelo Iniciativa Liberal, um "peru menor" que escapou aos jornalistas e comentadeiros com lugar cativo nas televisões.

 

[Imagem]

 

 

 

 

A culpa é da falta de "liberdade económica". A sério?

por josé simões, em 09.10.19

 

"Desde a década de noventa privatizaram quase tudo o que havia para privatizar - empresas industriais, bancos, seguradoras, empresas de transportes e de energia, até o tratamento de resíduos.

 

Liberalizaram o sistema financeiro e a circulação de capitais, resultando no aumento explosivo do endividamento privado.

 

Desregulamentaram por três vezes as leis do trabalho, facilitando os despedimentos, os horários flexíveis e os contratos atípicos.

 

Escancararam as portas aos privados na saúde e na educação.

 

Abdicaram de uma moeda própria, deixando o financiamento do Estado nas mãos de especuladores internacionais.

 

Agora vêm dizer que o mau desempenho da economia portuguesa nas últimas décadas se deve a falta de "liberdade económica" e ao excesso de intervenção do Estado. A sério?"

 

 

               Ricardo Paes Mamede no Ladrões de Bicicletas

 

 

 

 

O day after

por josé simões, em 07.10.19

 

02.jpg

 

 

Miguel Relvas, da velha liderança do ar pesado e bafiento, sai a terreiro logo no day after a pedir nova liderança e ar fresco para o partido. Podia ser um piada do Imprensa Falsa mas não é. Isto foi de manhã, que à hora do jantar, Miguel Morgado, do mesma agremiação de Miguel Relvas, do circo de sombras por detrás de Passos Coelho, apareceu na televisão do militante n.º 1 aka SIC Notícias a pedir ar fresco e nova liderança para o partido, que ele vai fazer a parte que lhe compete, não sabe nem deixa de saber se é candidato, vai apresentar uma moção e coise, ele que até já meteu mãos à obra e inventou o "cinco para as sete" que só não congrega a direita toda porque o André Ventura se recusou a participar e isso é lá com ele. Não foi ele, Miguel Morgado, quem espantou o fascista Ventura, foi o fascista Ventura que não quis nada com ele. Temos [têm] pena. O André Ventura, esse mesmo, que à noitinha no Prós e Contras na televisão pública teve exactamente o mesmo discurso que o senhor novel deputado eleito pelo Iniciativa Liberal, corrupção, compadrio, sector privado, blah-blah-blah, direito de escolher a escola, saúde privada para todos e que quando Mariana Mortágua falou em "fraude liberal", do Estado a pagar a privados, provocou a mesma reacção nos três, que o João Almeida do CDS também lá estava. E novidades?

 

[Imagem]

 

 

 

 

O dedo na ferida

por josé simões, em 25.09.19

 

Greta GQ.png

 

 

Não é por não se calar nunca com o aquecimento global e com as alterações climáticas, que à excepção de meia dúzia de palermas da linha Trump e Bolsonaro é já dado universalmente aceite, que Greta Thunberg é diabolizada e vítima de ataque cerrado a roçar o discurso do ódio, é por meter o dedo na ferida do sacrossanto evangelho do capitalismo neo-liberal quando refere o "conto de fadas do crescimento económico eterno". E isto sim é um ataque ao coração do sistema, ir até ao osso.  

 

 

 

 

Da série "Coisas Verdadeiramente Surpreendentes"

por josé simões, em 05.09.19

 

 

 

               "Deregulating Financial Markets Was 'Stupidity,' Says Schaeuble."

 

 

 

 

Hakuna matata, o liberalismo é lindo

por josé simões, em 04.02.19

 

hiena.jpg

 

 

E depois temos o Iniciativa Liberal, um partido de banda-desenhada nascido nas "redes", contra o centralismo e o socialismo, contra o centralismo e o colectivismo, contra o centralismo e a carga fiscal, que vê um artigo de opinião do líder, Carlos Guimarães Pinto, contra o centralismo e o socialismo, contra o centralismo e o colectivismo, contra o centralismo e a carga fiscal, receber o endosso [em print screen por causa das moscas] da filha dilecta da cleptocracia corrupta angolana que em quase 50 anos de independência deixou o país em todos os índices abaixo da era colonial. Hakuna matata, o liberalismo é lindo.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Liberalismo

por josé simões, em 09.07.18

 

morte_.jpg

 

 

Plafonamento da Segurança Social, seguros de saúde, planos de poupança reforma, cheque-ensino, assistencialismo, desmantelamento do Estado social, função social do Estado em trespasse a favor de terceiros denominados "terceiro sector", o direito do mais forte à liberdade, quatro anos de Passos Coelho/ Paulo Portas pela batuta da Troika interrompidos:

 

New Jersey officials said on Monday they were investigating why a utility company shut off power last week at the Newark home of a woman in hospice care who then died after her electric-powered oxygen tank stopped operating.

Family members of the woman, Linda Daniels, said she gasped for air for hours on Thursday until she died of congestive heart failure. The company, Public Service Electric and Gas Company, had cut off power to her home that morning because of overdue bills.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A irracionalidade do crescimento a perder de vista

por josé simões, em 21.06.16

 

Buzz Lightyear.jpg

 

 

O futuro da Apple em risco devido à decisão do Departamento de Propriedade Intelectual de Pequim que "proibiu expressamente a venda dos iPhones 6 e 6 Plus na capital da China" é só um exemplo da loucura e da insanidade do liberalismo económico do crescimento a perder de vista e custe o que custar. E quando a China e os seus milhões de consumidores estiver toda colonizada apontamos o azimute a África que, por essa necessidade, vai ficar toda pacificada em menos de nada, e assim sucessivamente até não haver palmo de planeta livre. Então, para manter o crescimento dos dígitos, dois, em flecha, e para o futuro das Apples deste mundo não ficar comprometido, passamos à fase de cada consumidor mudar de aparelho a cada semestre e depois a cada mês e depois a cada semana [não se sabendo como isso seja possível já que os que querem vender muitos aparelhos, e dos caros, são os mesmos que acham que o salário minímo, em particular, e o salário médio, em geral, devem ser muitos baixos para não prejudicar o crescimento económico] até descobrirmos uma maneira de ir vender aparelhos a extra-terrestres. Onde e quando é que pára o crescimento para o infinito e mais além?

 

 

 

 

||| 1%

por josé simões, em 04.05.16

 

BullBeginningIsNear.jpg

 

 

«[...] "o socialismo em que vivemos impregnados, e que hoje se chama 'estado-providência', ou 'modelo social europeu', que nos condena à mediocridade'.»


O que nos "condena à mediocridade" foi a Europa do 'estado providência' ter abdicado do 'modelo social europeu' – imagem de marca e, ainda hoje, íman para milhares que ambicionam um futuro melhor para si e para os seus, ao invés de não o ter imposto nos acordos da globalização do livre comércio das marcas e das corporações, numa cedência fatal à narrativa dos amanhãs que cantam na liberalização e desregulação que, inevitavelmente vai condenar a Europa à mediocridade e à irrelevância.


[Título e imagem]

 

 

 

 

||| E andamos nisto

por josé simões, em 21.04.16

 

Ministerium_für_Staatssicherheit_(emblem).jpg

 

Os liberais de pacotilha, sem coragem para fundar um partido político de raiz para se apresentarem a votos a dizer preto no branco ao que vêm, fazendo fé na iliteracia política dos portugueses, tomaram o PSD de assalto por dentro com tretas do "fazer mais com menos", "desengordurar o Estado", "viver acima das nossas possibilidades", a "excelência da gestão privada" e as falinhas mansas da "social-democracia, sempre!". Agora, na segunda etapa para a consolidação, insurgem-se – de Insurgente, contra as vozes que se começam a fazer ouvir contra o logro e contra o desvio à matriz fundadora do partido. É tudo socialismo, é tudo socialista e, a próxima vítima, a seguir a Pacheco Pereira, do processo de intenções por delito de opinião que um próximo 'his master's voice' [Duarte Marques? Hugo Soares?] da Stasi situacionista-liberal há-de um destes dias propor vai ser o socialista José Eduardo Martins.


[Imagem]

 

 

 

 

||| Hoje há caracóis

por josé simões, em 23.02.16

 

há caracóis.jpg

 

 

Ver Miguel Morgado, um dos ideólogos do "social-democrata, sempre!" Pedro Passos Coelho, no debate parlamentar ao Orçamento do Estado para 2016, "muito bem! muito bem!", sentado ao lado de Marco António, de Gaia, diz muito da espinha dorsal dos nossos liberais de pacotilha.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| O capitalismo mata o capitalismo

por josé simões, em 22.07.15

 

Capitalism_graffiti.jpg

 

 

A ideia é simples e universal: empobrecimento geral – que a austeridade é purificadora e liberta o homem e os Estados dos 7 pecados mortais, baixos salários e diminuição dos custos dos trabalho, ausência de direitos e garantias, aumento da mais-valia ao patrão e accionista.


Depois do plano gizado e universalmente aplicado um dos ícones do capitalismo – a Apple, vende 47, 5 milhões de iPhones em três meses – um aumento de 35%, mas não chega, os investidores queriam mais, muito mais do que o aumento de 38% dos lucros e as acções "deslizaram" [bonito termo da novilíngua] 7%.


Não lhes passou pela cabeça baixar o preço final do produto, produzido quase de graça aí num qualquer mercado do crescimento supersónico a dois dígitos, como forma de aumentar as vendas já que do empobrecimento geral e da baixa dos custos de trabalho e da perda do poder de compra não sobra nada ao colaborador ex-trabalhador para se dar ao luxo de transportar iPhone no bolso de trás das calças.


Capitalismo sem consumismo. Pois sim.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 21.12.14

 

clown.jpg

 

 

«Por isso vou fazer-vos uma revelação: eu já não sou liberal. [...].Tem é de haver mais autoridade do Estado. [...]. E olhe que me custa dizer isto. Até estou comovido…». Ponto


E vírgula. Nunca foi liberal. Dizia que era mas não era. E isso é outra coisa. Como era e foi a defesa da intervenção da Câmara do Porto, com dinheiros dos contribuintes, todos, no Boavista FC para salvar o clube da gestão Loureiro, como o há época já um artista com "a" grande defendeu nas páginas do Correio da Manha e na caixa de comentários aqui do blog, nos idos de 2008. Ou então é o mui famoso "liberalismo à moda do Porto" sempre na boca de Carlos Abreu Amorim [sem querer com isto eu ofender os liberais do Porto].


[Imagem]