Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 03.12.18

 

liberation.jpg

 

 

A primeira página do Libération.

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 28.05.15

 

libération.jpg

 

 

A primeira página do Libération

 

 

 

 

||| De menos mal em menos mal até ao descalabro total e final

por josé simões, em 23.03.15

 

libé.jpg

 

 

Hoje é o dia em que os socialistas descentes Gerhard Fritz Kurt Schröder e Anthony Charles Lynton Blair festejam a derrota da Frente Nacional de Marine Le Pen com um menos mal que ganhou a direita responsável e do "sentido de Estado", a direita de Nicolas Paul Stéphane Sarközy a quem Manuel Valls ainda não conseguiu roubar bandeiras suficientes que lhe permitam ganhar eleições.

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 27.12.14

 

liberation week-end.jpg

 

 

A capa do Libération Week-End

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 29.01.14

 

 

 [Roubado aqui]

 

 

 

 

 

 

|| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 16.06.12

 

 

 

Está cá tudo. A primeira página do Libération.

 

[Via]

 

 

 

 

 

 

|| Cada qual no lugar a que pertence

por josé simões, em 04.05.12

 

 

 

 

 

 

 

|| A primeira página do Libération

por josé simões, em 21.04.12

 

 

 

O link para as farmácias de serviço [Rennie, ENO, Phosphalugel e assim]

 

 

 

 

 

 

|| The Million Dollar Question

por josé simões, em 20.04.12

 

 

 

 

 

 

 

 

|| Toulouse, Ventôse de 2012

por josé simões, em 20.03.12

 

 

 

 

 

 

 

 

|| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 14.01.12

 

 

 

 

 

 

 

Morar na cidade onde se nasceu

por josé simões, em 24.12.08

 

«Há cada vez menos cristãos a viver na cidade onde nasceu Jesus», escreve Delphine Matthieussent hoje no Público via Libération, e adianta: «em 2000, antes da segunda Intifada, viveriam uns 18 mil palestinianos cristãos em Belém; hoje não serão mais que 9000».

 

A cada um as suas prioridades e as suas preocupações.

A mim, como natural de Setúbal, preocupa-me que haja cada vez menos setubalenses a viver na cidade onde nasceu Bocage. No centro histórico, as casas no rés-do-chão foram convertidas em lojas e os pisos superiores em armazéns das lojas. Quando o comércio encerra é “A Cidade Fantasma”.