Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O respeito do Presidente da República pela República

por josé simões, em 04.09.19

 

marcelo.png

 

 

No dia em que se comemora a revolução que instituiu a República e consagrou, oficialmente, a separação de poderes entre Estado e Religião, o Presidente do Estado laico requer à Assembleia da República autorização para uma deslocação ao Vaticano para um beija-mão papal. Muito bem.

 

[Via]

 

 

 

 

||| De onde menos se espera sai um jacobino

por josé simões, em 17.05.16

 

will_govus.jpg

 

 

"Un Estado debe ser laico. Los Estados confesionales terminan mal. Esto va contra la Historia. Creo que una laicidad acompañada de una sólida ley que garantice la libertad religiosa ofrece un marco para avanzar"


El papa: "Un Estado debe ser laico"


[Imagem de Will Govus]

 

 

 

 

||| Uma visão de futuro para a educação

por josé simões, em 07.05.16

 

escola.jpg

 

 

Passos Coelho teve uma ideia, um desejo, e lançou a bisca a ver se pega – "É muito possível que estas instituições coloquem o Estado em Tribunal, porque este não está a honrar os seus próprios compromissos.", independentemente de ser uma ideia parva, independentemente de ser uma guerra perdida, porque até um leigo em negócios de leis e de direito sabe que o Estatuto do Ensino Particular e Cooperativo, inventado pelo Governo de Passos Coelho e publicado por decreto-lei, uma das famosas "reformas estruturais para mil anos" do seu Governo, não se poder sobrepor, nem anular, a Lei de Bases do Ensino Particular e Cooperativo que lhe é anterior. Mas isso não interessa nada, são pormenores, como pormenor era a Constituição nos quatro anos que levou como primeiro-ministro, que ele quer é confusão, barulho, quanto mais barulho melhor, e só lhe faltou ofererecer-se para fazer uma vaquinha para ajudar os colégios privados com as custas judiciais como com os lesados do BES.


Passos Coelho além de ter tido uma ideia e de ter lançado a bisca a ver se pega também tem uma visão, futurista, para o ensino em Portugal, na Europa, no Mundo. Nada que compactue com laicidade e escola pública inclusiva, visão retrógada que não dá às escolas a possibilidade de serem elas a escolherem os alunos que querem das famílias que desejam, não. Visão de futuro é colocar o ensino dos infantes e das infantas onde ele estava no dia 4 de Outubro de 1910, a cargo da Igreja Católica, agora pago pelo Estado, quase laico.


[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

||| Madrasah

por josé simões, em 18.03.16

 

Louie Palu-ZUMA Press-The Alexia Foundation.jpg

 

 

Assim como era tradição ir até à taberna no final do dia, bater na mulher por tudo e por nada, meter os filhos a trabalhar a seguir à 3.ª classe e dar esmola aos pobrezinhos na porta da igreja, onde se ia ao domingo de manhã depois de uma semana de trabalho como chefe de família.


«Há escolas públicas a realizar cerimónias religiosas durante o horário letivo. Não obrigam os alunos a participar, mas os que optarem por não ir ficam numa sala "a passar tempo".


Escolas e Ministério defendem-se com "a tradição" e dizem que "vai quem quer". A Associação República e Laicidade diz que se está a "excluir alunos por não terem uma determinada religião" e que estas celebrações são "ilegais".


A situação parece repetir-se em muitas escolas, sobretudo na Região Norte.»


[Imagem "Young boys memorize the Qur'an (Koran) and rock their heads back and forth as they recite passages in Arabic in a Madrasah (Madrassa), which means school in Arabic"]

 

 

 

 

||| Allahu Akbar

por josé simões, em 15.01.15

 

papa francisco.jpg

 

 

Isso. Eles agradecem. Continuem todos muito entretidos com debates da treta sobre "liberdade de expressão" e discussões intermináveis, e não menos da treta, sobre os limites à "liberdade de expressão", quando o que está em causa é muito mais do que isso, é muito mais nobre, é a laicidade do Estado. Isso. Continuem. Eles agradecem.


"Não se pode provocar nem insultar a fé das outras pessoas. Não se pode ridicularizar a fé. A liberdade de expressão tem limites"


[Imagem]

 

 

 

|| Meanwhile aqui mesmo ao lado

por josé simões, em 29.01.11

 

 

 

 

«Los poderes públicos conceden esta cantidad a la Iglesia, que la utiliza para el pago del culto y el clero, para las viviendas donde residen, para el mantenimiento de las iglesias, , para hacer proselitismo religioso, para mantener sus escuelas católicas, para pagar a los capellanes en hospitales, cuarteles y cárceles, para pagar a los catequistas de las escuelas públicas, para reformar y conservar su propio patrimonio, para hacer campañas de todo tipo contra derechos civiles aprobados en el Parlamento, para hacer anuncios en los medios de comunicación…para mantener sus propios medios de comunicación, para invertirlo en operaciones financieras...

 

Si el Estado dejara de financiar a la Iglesia Católica no nos jubilaríamos a los 67, sino a los 60.»

 

 

 

 

 

 

 

|| República e laicidade

por josé simões, em 26.12.09

 

 

 

O que menos interessa, e para o caso, é o conteúdo - ou a ausência dele - do discurso de José Sócrates. O que importa reter é que o primeiro-ministro de um Governo do Partido Socialista, num Estado laico e republicano e à entrada do ano do centenário da implantação da República faz uma comunicação ao país no dia de Natal.

 

A que propósito, devia ser a pergunta. Essa é que é essa.

 

(Na imagem Golgata, 1935, directed by Julien Duvivier)