Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

"a realidade tira o tapete à ideologia", capítulo IV

por josé simões, em 05.09.17

 

cavaco (1).jpg

 

 

Unidade da Fitch revê em alta crecimento de Portugal

 

"a realidade tira o tapete à ideologia"

 

 

 

 

Não disto foi nada com ele

por josé simões, em 03.09.17

 

Tweety-Bird.jpg

 

 

Aquele senhor que passou quase 5 anos de uma legislatura a tentar meter desempregados contra trabalhadores no activo - os direitos adquiridos, e a meter desempregados, principalmente os jovens, contra reformados e pensionistas - não descontaram para receber o que recebem, alguns deles a suportarem com as magras reformas filhos e netos no desemprego, vítimas do "ajustamento, fala agora em "maior coesão geracional". Não podemos diabolizar os reformados depois do "não podemos diabolizar o FMI" e do "não podemos diabolizar o eucalipto".

 

Aquele senhor que mais desigualdades e miséria provocou em 5 anos de governação reduzindo o debate à despesa do Estado e às "gorduras do Estado", gerindo o Estado na lógica de quem gere uma família, cortando a eito subsídios e comparticipações numa altura em que as pessoas mais deles precisavam diz agora que "não podemos reduzir o debate à despesa do Estado".

 

Aquele senhor que publicamente lamentou que durante os quase 5 anos de duração da sua legislatura a única reforma que ficou por fazer foi a da redução dos custos do trabalho lamenta agora que em Portugal só uma percentagem reduzida da população pague IRS.

 

Aquele senhor que durante quase 5 anos de legislatura reduziu o subsídio de desemprego - nos montantes a pagar e na sua duração temporal, e que quase eliminou o RSI, aparece agora preocupado com a necessidade de definir um "patamar mínimo para a sobrevivência".

 

Aquele senhor que fez a "reforma da Saúde" cortando salários, aumentando a carga horária dos profissionais, pagando o máximo a empresas de trabalho temporário para contratarem pelo mínimo e atribuindo competências a empresas privadas, Misericórdias e IPSS; aquele senhor que fez a "reforma da Educação" congelando salários e progressões nas carreiras, congelando contratações e aumentando o número de alunos por turma, reduzindo verbas no ensino público enquanto atribuía competências a colégios privados em duplicação de oferta nas áreas cobertas pelo Estado; aquele senhor cujo vice-primeiro-ministro apresentou um "Guião Para A Reforma do Estado" com meia dúzia de generalidades e banalidades em meia dúzia de folhas A4 em Times New Roman tamanho 24 diz que agora "não se discutem reformas".

 

Nada disto foi nada com ele.

 

 

 

 

"a realidade tira o tapete à ideologia", capítulo III

por josé simões, em 03.09.17

 

Cavaco.jpg

 

 

Moody's melhora perspectiva do "rating" de Portugal

 

"a realidade tira o tapete à ideologia"

 

 

 

 

O argumento dos argumentos

por josé simões, em 01.09.17

 

1960's box eclipse viewers.jpg

 

 

É nos dias que correm o argumento dos argumentos invocado pela direita radical quando não tem argumento: a liberdade de expressão contra a censura e o silêncio.

 

[Imagem]

 

 

 

 

"a realidade tira o tapete à ideologia", capítulo II

por josé simões, em 31.08.17

 

 

 

"a realidade tira o tapete à ideologia" [via]

 

 

 

 

"a realidade tira o tapete à ideologia", capítulo I

por josé simões, em 31.08.17

 

Independente 20 de Agosto de 1993.jpg

 

 

"a realidade tira o tapete à ideologia" [via]

 

 

 

 

Uma espinha na garganta

por josé simões, em 30.08.17

 

Espinha.jpg

 

 

Ainda não foi assim há tanto tempo que Cavaco Silva presidiu uma legislatura à cegueira ideológica da direita radical no desmantelamento do Estado social em favor de obscuros interesses privados, com a realidade a tirar-lhes o tapete debaixo dos pés todos os dias e todos os dias as metas ajustadas para encaixarem na realidade que não se compadecia com ideologias, e posteriores manobras de diversão, cego pelo radicalismo ideológico, a adiar a realidade da solução governativa que tinha pela frente, com chamadas ridículas, para ser simpático, ao Palácio de Belém, desde o Corpo Nacional de Escutas à Confraria do Bacalhau. Esta meia dúzia de linhas gastas com a espinha que o personagem tem atravessada na garganta já foi demasiado tempo perdido.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Não ter a puta da vergonha na cara é isto

por josé simões, em 15.03.17

 

O homem que fundou a meias com Miguel Relvas uma empresa para sugar fundos comunitários em acções de formação para controladores de aeródromo na zona centro; o homem que sem se lembrar do salário que recebia trabalhou para uma Organização Não Governamental criada com o objectivo de sacar fundos comunitários; Pedro Passos Coelho no debate Fórum Jovem da JSD Distrital de Lisboa:

 

As sociedades mais dinâmicas premeiam os empreendedores. Em Portugal, ainda há muito para fazer para dirigir os incentivos correctos

 

 

 

 

 

Que a memória das pessoas é curta

por josé simões, em 04.09.16

 

Rocco Finds His Pal Stabbed.jpg

 

 

Que o actual Governo está a "empurrar o país para o passado" significa que o anterior Governo empurrou o país para o futuro;
Que o actual Governo está empenhado em reverter as reformas que o anterior Governo fez e que isso também é voltar ao passado;


Que embaratecer os custos do trabalho e ainda vir a público gabar-se de não ter sido suficiente;
Que aumentar os dias de trabalho por via da retirada de dias ao descanso;
Que desequilibrar as relações laborais em favor da rigidez patronal com a aprovação de um novo Código do Trabalho com a  da UGT;
cumplicidadeQue aumentar taxas e reduzir subsídios e comparticipações;
Que afastar a justiça das populações;
Que desmantelar a Segurança Social em favor das IPSS da caridadezinha;
Que apertar o garrote orçamental à escola pública enquanto se aumentam as transferências para o ensino privado;
Que destruir o tecido empresarial do país;
Que os milhares de falências e encerramentos;
Que os milhares de desempregados e os milhares de emigrantes;
Que transformar o desemprego de factor conjuntural para factor estrutural da economia:


Ter o topete de dizer ás pessoas que tudo isto foram reformas e um grande passo em frente para levar o país para o século XXI;


Que a memória das pessoas é curta.


[Imagem]

 

 

 

 

Sumário

por josé simões, em 29.08.16

 

 

 

Sumário: Como maquilhar as contas públicas com a ajuda da Goldman Sachs.


O líder da oposição grega, Kyriakos Mitsotakis, é este este ano professor da Universidade de Verão do PSD.


[Imagem]

 

 

 

 

Guardar

Coisas absolutamente maravilhosas

por josé simões, em 05.08.16

 

colossalmedia.jpg

 

 

Não é o líder da JSD de Braga vir a terreiro criticar Hugo Soares, Luís Montenegro e Luís Campos Ferreira por terem terem viajado para ver o campeonato europeu de futebol a convite de Joaquim Oliveira [Olivedesportos], quando o PSD critica o pagamento de viagens do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, pela Galp, com um lapidar "não podemos apregoar um caminho e os nossos representantes fazerem o contrário. Não podemos pedir explicações ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais que vai ao Europeu a convite da Galp e ser surpreendidos pela intimidade do líder parlamentar [Luís Montenegro] e do seu primeiro vice-presidente, Hugo Soares, com interesses empresariais. Não podemos condenar politicamente o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, quando o nosso líder parlamentar e o seu primeiro vice-presidente Hugo Soares aceitam participar em viagens de amigos, não dignificando e honrando as funções que exercem. Este caso é uma verdadeira pouca vergonha que não podemos aceitar de modo algum", não.


O que é absolutamente maravilhoso é, pelo meio da rabecada dada, Firmino Vila Verde Costa ter metido o primeiro-ministro no exílio ao barulho com um "o país espera mais do PSD e o líder do partido, Passos Coelho, não merece, pelo esforço que fez pelo país, este tipo de demonstrações", confirmando os zum-zuns que dão conta da crescente divisão dentro do partido, das margens cada vez mais apertadas para Passos Coelho, enquanto a bancada para lamentar [não é gralha] lhe vai minando o caminho.


[Imagem]

 

 

 

 

Tomem nota do nome

por josé simões, em 23.05.16

 

orelhas de burro.jpg

 

 

Porque a seguir vai trabalhar para um escritório de advogados e depois é ministo.


{Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A 'Geringonça' começa a ganhar a causa

por josé simões, em 23.05.16

 

livro.jpg

 

 

Podemos ver isto de duas maneiras:


- Um bando de palermas, acoitados debaixo de uma bandeira e de uma sigla política, porque têm uma vaga lembrança de umas bocas ouvidas da boca dos mais velhos, resolve comparar Mário Nogueira da Fenprof a Estaline, demonstrando desta forma a sua ignorância e a sua falta de cultura porque, se soubessem um mínimo dos mínimos sobre a história da Europa do século XX e sobre quem foi o 'Pai dos Povos', nem sequer pensavam duas vezes antes de chamar Estaline a alguém, não chamavam, ponto final. Os infantes da direita radical, escudeiros do estudioso de Salazar, têm dois defeitos: são burros e não querem aprender.


- Um bando de palermas, acoitados debaixo de uma bandeira e de uma sigla política, resolve comparar Mário Nogueira da Fenprof a Estaline, demonstrando desta forma que a direita radical começa a perder o debate 'escola pública/ ensino privado', pelo recurso à 'Lei de Godwin' na vertente direita: "À medida em que cresce uma discussão, a probabilidade de surgir uma comparação envolvendo Estaline ou o estalinismo aproxima-se de 1 (100%)".


Fica à vossa consideração, sendo que eu opto pelas duas.


[A imagem é minha]

 

 

 

 

||| Tão pequeninos e já tão pequeninos

por josé simões, em 23.03.16

 

 

 

"JSD pede a anulação das pensões vitalícias concedidas por Cavaco Silva a ex agentes da PIDE".


"JSD pede a anulação da condecoração atribuída por Cavaco Silva a Zeinal Bava".


"JSD pede a devolução dos fundos comunitários indevidamente recebidos pela Tecnoforma".


"JSD pede anulação do título de doutor «honoris causa» atribuído a Lula da Silva".


[Imagem]

 

 

 

||| "Pelo Socialismo"

por josé simões, em 18.12.15

 

portas-jsd-socialismo.jpg

 

 

"Paulo Portas foi nomeado director-adjunto do «Pelo Socialismo»"