Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

"Forbes distingue líder da JP como jovem promissor"

por josé simões, em 19.02.18

 

anonimo.jpg

 

 

"A Forbes distingiu há um mês as portuguesas Lara Vidreiro e Filipa Neto como duas das 30 jovens sub-30 “mais brilhantes” da Europa, no ranking anual “30 Under 30”, mas o negócio de aluguer de vestidos de luxo que ambas lançaram em 2014 — e pelo qual foram distinguidas pela publicação norte-americana — não funciona. O aluguer de vestidos está sempre “indisponível”, o número de telefone da marca está desligado há semanas, a empresa aparenta não ter colaboradores, não se sabe onde é o espaço físico da marca e as empreendedoras estão desde o final do ano a trabalhar noutras empresas."

 

"Mais: em 2016, as vendas da empresa totalizaram 278.162 euros, mas os prejuízos ascendiam a mais de um milhão de euros. No final desse ano, a empresa estava em falência técnica, com um capital próprio negativo de 28.155 euros."

 

O líder da Juventude Popular (JP), Francisco Rodrigues dos Santos, foi considerado pela revista Forbes como um dos 30 jovens mais brilhantes, inovadores e influentes da Europa, com menos de 30 anos, na categoria Direito & Política

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Assunção Cristas diz estar pronta para ser primeira-ministra

por josé simões, em 28.11.17

 

William Fort (1).jpg

 

 

Cristas tem outra ideia: que seja a escola pública impedida de abrir novas turmas. CDS. Cristas usa 'botas e calças de gangas para ir a bairros sociais'. CDS defende recuo do ensino obrigatório para o 9º ano. Seca: Ministra ainda tem "fé" que chova em breve. CDS: Direita acusa Governo de favorecer a escola pública. Juventude Popular quer que escolas ensinem abstinência sexual. Cristas aprovou projecto de resolução do BES sem o ler.

 

 

Se Deus quiser, em 2019, faremos de Assunção Cristas primeira-ministra de Portugal

 

[Via e imagem]

 

 

 

 

O Prémio Nobel da Economia para a Juventude Popular, já! (II)

por josé simões, em 19.12.07
Sobre esta palhaçada do Salário Mínimo Nacional e dos aprendizes jotas do Paulinho-que-já-foi-das-feiras; todos preocupadinhos da silva com o coitadinho do patrão que não consegue sobreviver – leia-se manter o nível de vida luxuoso a que está habituado (e mesmo assim duvido!), como se fosse alguma enormidade receber o luxuoso salário de 426 – euros – 426 mensais, dá-me vontade de recuperar para aqui o título dos Gang Of Four e que foi o fim-de-semana de 1 de Abril de 2007.
Post-Scriptum: Subescrevo a proposta para a implementação de uma Inteligência Mínima Nacional no Irmão Lúcia.
 
 

O Prémio Nobel da Economia para a Juventude Popular, já!

por josé simões, em 18.12.07
Os jotas de Paulo Portas manifestaram-se hoje “contra a fixação de um valor para o Salário Mínimo Nacional (SMN) pelo Estado, considerando que este "enfraquece os rendimentos dos portugueses e atrasa a economia”(Aqui); e descobriram o óbvio:
 
"Este preço mínimo tem dois efeitos muito claros no mercado de trabalho: impedir de trabalhar quem estiver disponível para trabalhar por valor inferior a esse preço", diz.
Por outro lado, acrescenta o documento, a fixação de um valor mínimo "impede de operar todas as empresas e serviços que não tenham a capacidade de remunerarem aquele montante".
 
Nem mais; um salário mínimo serve exactamente para isso; para impedir que as pessoas sejam remuneradas abaixo do que se estipulou ser o limite mínimo para um nível de vida digno; e, se o mercado funcionar, quem não pode pagar o salário mínimo estipulado por lei, fecha as portas e vai trabalhar para as obras, a ganhar o salário mínimo.
 
(É tão bom ser patrão!)