Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Mortal

por josé simões, em 18.11.19

 

morto.jpg

 

 

"O chairman da ANA elogia o ministro das Infraestruturas no dossiê Montijo por não ser de meias medidas. "Quando é não, é não, Quando é sim, é sim"."

 

José Luís Arnaut: "com Pedro Nuno Santos recuperámos três anos perdidos"

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 16.01.18

 

white-makeup-clown.jpg

 

 

José Luís Arnaut organiza evento sobre ética nos negócios em Davos

 

[Imagem]

 

 

 

 

O maravilhoso mundo do mérito, aptidão e competência

por josé simões, em 05.01.18

 

 

 

José Luís Arnaut, chegado a presidente da assembleia-geral da ANA depois de ter assessorado juridicamente o grupo francês Vinci no processo de privatização, sobe no rating, agora para o nível "chairman", uma "solução interna natural". Já tinha currículo, mérito, aptidão e competência para exercer o cargo.

 

 

 

 

||| Sant' Ana à Lapa School of Economics [II]

por josé simões, em 17.02.15

 

peanuts-oakoak.jpg

 

 

E despedir José Luís Arnaut, esse exemplo da excelência da gestão privada, não?


«Após "análise cuidada ", com apoio de consultor, Banco de Portugal diz que a Goldman Sachs não tem direito a exigir a transferência de crédito de 721 milhões para Novo Banco»


«Banco de investimento acusa supervisor de violar princípios básicos do estado de Direito, ao manter empréstimo da Oak Finance ao BES no banco "mau".


O Goldman Sachs promete accionar todos os meios legais para contestar a decisão do Banco de Portugal de colocar o crédito de 834 milhões de euros da Oak Finance ao BES no chamado "banco mau", disse hoje fonte oficial da instituição.»


[Imagem]


||| Sant' Ana à Lapa School of Economics [Capítulo I]

 

 

 

 

||| "Num sistema hierárquico, todo o funcionário tende a ser promovido até ao seu nível de incompetência"

por josé simões, em 19.01.15

 

coyote.png

 

 

Como o próprio costumava amiúde dizer quando de referia ao sector empresarial do estado ou à Função Pública, onde não havia rei nem roque nem disciplina nem responsabilidade e responsabilização e cada um faz o que quer, "fosse no sector privado e era despedido sem apelo nem agravo depois de ressarcir a empresa de todos os prejuízos":


«O ex-ministro e advogado garantia que o BES era um banco profundamente estável e que Salgado, que tinha anunciado a demissão dias antes, deixava um banco robusto com capital e credibilidade.


José Luís Arnault e António Esteves estiveram envolvidos no empréstimo de 721 milhões da Goldman Sachs ao BES com destino à Venezuela. Crédito está no banco mau.»


Outra coisa maravilhosa é ver o Socialismo Bolivariano do Século XXI a negociar com a Goldaman Sachs, os Donos Do Mundo Todo.

 

 

 

 

||| Estado não é a mesma coisa que Governo

por josé simões, em 14.01.14

 

 

 

Apesar de que quando a direita está no poder qualquer coisa que respire à face da terra é sempre "O Estado", essa entidade abstracta, castradora, omnipresente e omnipotente; o mesmo "O Estado" que, por artes de prestidigitação, se eclipsa do discurso quando a esquerda é poder, discurso reproduzido pela comunicação social capturada pela agenda ideológica e pela máquina de agir-prop da direita, e qualquer coisa que aconteça é por culpa do Governo.

 

Dá jeito que seja mas não é: «Goldman Sachs assume "óptima relação com o Estado" português».

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Deu dois coices no telhado

por josé simões, em 10.01.14

 

 

 

«José Luís Arnaut teve um pé em grandes operações. Esteve nas privatizações da REN (foi nomeado seu administrador não-executivo, após a alienação) e da ANA (foi assessor jurídico do concorrente que ganhou a privatização da ANA, o grupo francês Vinci e, depois, passou a presidir à assembleia-geral da empresa),

 

chegou a ser acusado de favorecimento nas privatizações. E a sua nomeação para a REN foi polémica, já que a Rede Eléctrica Nacional é cliente do seu escritório e a RPA participou, através de um contrato com a então Direcção-Geral de Energia, na elaboração das propostas de lei de base e respectivos diplomas regulamentares do que viria a ser o novo enquadramento legislativo nos sectores da electricidade, gás natural e petróleo. Já esteve na recente oferta pública de venda dos CTT à Goldman, que com 4,99% se tornou no maior accionista dos Correios.

 

Nas negociações dos swaps com o Estado, a firma de Arnaut representou também os interesses de alguns bancos, entre os quais a Goldman e o JP Morgan»

 

Onde é que acaba o PSD e começa Os Sopranos, e vice-versa, não sabemos, sabemos, isso sim, que para a Goldman Sachs até a mula da cooperativa servia desde que tivesse bons contactos e mexesse influências. uma vez que «serve sobretudo para abrir portas para futuros negócios para o banco americano».

 

[A imagem é de um blog que em tempos tive]

 

 

 

 

 

 

|| Uma besta vestida de corte italiano é um comendador

por josé simões, em 21.10.13

 

 

 

Ouvir José Luís Asnô, no Frente-a-Frente do telejornal do Mário Crespo @ SIC Notícias, repetir a mesma lenga-lenga que já havia dito de manhã, na avença semanal que tem @ Conselho Superior na Antena 1, que o relatório da Comissão Europeia não é um relatório que não é uma opinião que é uma espécie de telegrama ao género Wikileaks e que foi uma fuga de informação e que os comentadores e alguns políticos morderam o anzol e fizeram uma tempestade num copo de água sem água, não é grave, se for visto pela bitola Paulo 'patriota' Portas que consegue dizer, sem se rir, que esta pedra é um tronco de árvore, sabendo que não o é. Grave é José Luís Asnô, que tem tempo de antena na rádio e na televisão como ninguém, vá-se lá saber porquê, dizer o que diz por acreditar mesmo naquilo que diz.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O povo é sereno

por josé simões, em 18.09.13

 

 

|| Uma justificação como outra qualquer

por josé simões, em 01.07.13

 

 

 

Dada por um sócio de um escritório de advogados para os milhões que os contribuintes dão a ganhar, por via do dinheiro dos seus impostos, a escritórios de advogados, bancos, empresas de consultoria, assessorias e o diabo a sete, dos amigos do senhor António Borges.

 

"Se governo tivesse a informação toda, não tinha chamado uma empresa internacional"

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Manor Farm

por josé simões, em 24.06.12

 

Uma pessoa vê os frente-a-frente no telejornal do Mário Crespo na SIC Notícias e, quando calha ser o turno de José Luís Arnaut, uma pessoa pergunta quem é que no seu perfeito juízo vota num partido que tem nas suas listas um personagem daquele calibre, tal é o poder raciocínio, tal é a capacidade argumentativa, a coerência ideológica, a cultura política, para já não falar na cultura geral.

 

Uma pessoa vê depois José Luís Arnaut ser recompensado, tratar da vidinha, e tratar de ser um ponta de lança de um partido, do arco governativo e com sentido de Estado e assim, numa empresa estratégica nacional, privatizada a bem da Nação,  e já não pergunta nada.

 

By the way, o PS faria bem melhor em ficar caladinho.

 

[Imagem "What goes/comes" by Mark Ward]

 

 

 

 

 

 

|| Do sobrenatural

por josé simões, em 16.05.12

 

 

 

No telejornal do t-shirt man, Francisco Assis usou o minuto da praxe para evocar Carlos Fuentes, José Luís Arnaut associou-se mas preferiu falar de coisas "mais do plano terreno" [sic, e não é sic por ter sido na sic]. "Sempre que me vêm falar de Cultura... retiro a patilha de segurança da minha [pistola] Browning".  Hanns Johst [Schlageter] rocks! Ou será Kultura?

 

[Na imagem Mickey Rourke por Helmut Newton, via]