Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| Descubra as diferenças

por josé simões, em 27.04.14

 

 

||| República Popular da Madeira

por josé simões, em 22.03.14

 

 

|| Erro de palmatória

por josé simões, em 04.01.12

 

 

 

O Goebbels ou, vá lá o António Ferro, nesta não caía.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| O fado é que induca e o futebol é que instrói

por josé simões, em 06.07.10

 

 

 

A arrumação das ideias na cabeça de um indivíduo traduz-se na forma como as expõe, quer ao nível oral quer ao nível da escrita.

 

Com o dinheiro dos contribuintes, o bwana da Madeira além de arrumar com a imprensa independente, sustenta um jornal diário (quase) gratuito – 10 cêntimos de euro o exemplar – para inducar o “povo da Madeira” com textos de construção semântica ao nível da pré-primária.

 

(Imagem de autor desconhecido)

 

Via

 

 

 

 

|| Jornais-SCUT

por josé simões, em 07.09.09

 

 

 

Por falar em “asfixia democrática”: um dos argumentos usados pelo PSD para pôr fim às SCUT, é o princípio do utilizador-pagador. Qual a justificação para que eu, que moro aqui, pague com o dinheiro dos meus impostos, uma auto-estrada ali, e que se calhar nunca hei-de utilizar?

 

O PSD também devia explicar qual a justificação para que nós, que moramos no Cont’ nente, paguemos um «subsídio de 4,6 milhões de euros ao Jornal da Madeira», jornal que nunca havemos de ler?

 

(Imagem fanada na Time Magazine)

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 11.08.09

 

 

 

«A regionalização é um Direito intrínseco à Pessoa Humana, o seu Direito à diferença.
Está na linha do Personalismo Cristão, a anterioridade da Pessoa relativamente às sociedades. A prioridade da Pessoa Humana em relação ao Estado, à Região, ao Município e outros Entes públicos, todos ao serviço Daquela.
»

 

(Na imagem Mr. Woo por Mark Johnson)

 

 

|| Referendo, já!

por josé simões, em 16.04.09

 

«A autonomia chegou a um momento que precisa de mártires para dar os saltos seguintes», Jardim dixit.

 

Em tempo de piratas, pirateio uma expressão muita cara a Alberto João, “por caridade cristã” poupemos a Madeira e o seu bwana a martírios e faça-se o referendo já.

 

Independência da Madeira: Sim ou Não. Mas faça-se o referendo cá, em “Cuba”, no “Contenente”, porque se for feito na Madeira, esse baluarte da Liberdade e da Democracia, corremos sérios riscos do Não à independência ganhar.

 

Adenda: Só já lhe falta desfraldar a bandeira na Assembleia Regional.