Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Não se cansam de nos dizer que é de uma guerra que se trata

por josé simões, em 25.03.20

 

1 (31).jpg

 

 

2 (26).jpg

 

 

Não se cansam de nos dizer que é de uma guerra que se trata. E as lideranças para ganhar a guerra?

 

 

 

 

A moeda com as duas faces iguais

por josé simões, em 23.03.20

 

Sébastien Camboulive.jpg

 

 

"O Governo britânico vai passar a controlar, por pelo menos seis meses, os caminhos-de-ferro para salvar as empresas do sector, depois de o fluxo de passageiros ter caído 70%."

 

Governo britânico assume controlo dos caminhos de ferro por causa da crise do coronavírus

 

 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou uma MP (medida provisória) que autoriza suspensão do contrato de trabalho por até quatro meses.

 

MP de Bolsonaro permite que empresas fiquem 4 meses sem pagar salário

 

[Imagem]

 

 

 

 

Estas coisas não se inventam

por josé simões, em 20.03.20

 

1 (27).jpg

 

 

A capa de 9 de Março da The New Yorker, e Jair Bolsonaro, ele próprio, dez dias depois em Brasília.

 

 

 

 

Uma metáfora

por josé simões, em 18.03.20

 

1 (24).jpg

 

 

2 (20).jpg

 

 

3 (18).jpg

 

 

4 (12).jpg

 

 

[Imagens]

 

 

 

 

Brasil, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru

por josé simões, em 16.03.20

 

1 (22).jpg

 

 

2 (18).jpg

 

 

3 (16).jpg

 

 

4 (10).jpg

 

 

5 (9).jpg

 

 

 

 

"E, já agora, privatize-se também a puta que os pariu a todos"

por josé simões, em 06.03.20

 

SecomVC Twitter.jpg

 

 

O poema de José Saramago explicado com um desenho na conta Twitter oficial da Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República do Brasil que conseguiu a proeza, nunca antes vista em tempo algum, de privatizar o Produto Interno Bruto. Como dizem os amaricanos, what a time to be alive!

 

 

 

 

O ano da Besta

por josé simões, em 05.09.19

 

cristo redentor.jpeg

 

 

Paulo Guedes, ministro da Economia do Brasil: "A preocupação é se xingaram a Bachelet ou se chamaram a mulher do Macron de feia... Tudo normal e tudo verdade: ela é feia mesmo." A plateia gargalhou. Há muitas mulheres entre os convidados.

 

“Senhora Michelle Bachelet, if Pinochet’s people had not defeated the left in 73 – among them your father – Chile would be a Cuba today.”. Bolsonaro taunts UN rights chief over her father's torture by Pinochet regime.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

As ratazanas de esgoto

por josé simões, em 27.04.19

 

 

 

Um ex juiz, activista político, sem respeito pelo Estado de direito e pela presunção da inocência até à condenação em tribunal e trânsito em julgado, vem ao país dos bardamerdas, como ministro da Justiça de um país estrangeiro, fazer comentários e tecer considerações sobre o sistema judicial e de justiça de um país soberano sem que as ratazanas de esgoto, que são, mostrem grandes sintomas de urticária. Já o bloco do Bloco de Esquerda na manif do 25 de Abril a cantar que o lugar de Bolsonaro é ao lado de Salazar, o que, em abono da verdade, até o próprio não deve desdenhar, isso é que não pode ser, isso é que é sintoma grave de anti-democracia e desrespeito por um país soberano.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Perdoar o Holocausto

por josé simões, em 13.04.19

 

0.jpg

 

 

1 (5).jpg

 

 

2 (5).jpg

 

 

3 (5).jpg

 

 

4 (4).jpg

 

 

Brazil president raises eyebrows saying Holocaust can be forgiven

 

[Imagens]

 

 

 

 

"Entre Bolsonaro e Haddad, escolhia não votar"

por josé simões, em 27.03.19

 

jairbolsonaro.jpg

 

 

O presidente Jair Bolsonaro sinalizou oficialmente que as Forças Armadas poderão comemorar o golpe de 31 de março de 1964, que instaurou uma ditadura militar no país, deixando centenas de mortos e desaparecidos, e cuja repressão lançou mão de artifícios como estupros e tortura.

 

Tempo para recuperar declarações dos nossos grandes democratas "A Venezuela! A Venezuela" que com a sua abstenção contribuíam para a vitória no Brasil de um saudoso do fascismo, da repressão e da tortura: Assunção Cristas. "Entre Bolsonaro e Haddad, escolhia não votar".

 

 

 

 

Foi para isto que se fez o Twitter

por josé simões, em 06.03.19

 

donaldtrump.jpg

 

 

Sem Título (3).jpg

 

 

Jair Bolsonaro, Presidente do Brasil, no Twitter.

 

[Imagem]

 

 

 

 

A nova verdade

por josé simões, em 01.01.19

 

 

 

Manifestantes gritam "Wathsapp! Wathsapp! Facebook! Facebook!" em apoio a Jair Bolsonaro na tomada de posse como presidente do Brasil.

 

[Via]

 

 

 

 

"Abençoado por Deus e bonito por natureza" *

por josé simões, em 01.01.19

 

Bolsonaro.jpg

 

 

Deus e Pátria. Respaldar e dar mais força à autoridade. Combater a ideologia de género [o que quer que isso signifique]. Tirar o peso do Estado da economia. Preparar as pessoas para o mercado de trabalho. Moralizar a política. A família. Deus.

 

A verdade é que o discurso de tomada de posse de Jair Bolsonaro podia muito bem ter sido dito por Pedro Passos Coelho, ou por um daqueles que reclamam a sua herança. Ou por Procissão Cristas. Ou pela next big thing do CDS, em banho-maria para a sucessão, Adolfo Mesquita Nunes.

 

* "Mas que beleza..."

 

[Imagem]

 

 

 

 

Tem tudo para correr bem

por josé simões, em 19.11.18

 

Diário de Pernambuco.jpg

 

 

 

 

Tire o cavalinho da chuva quem pensa que isto tem a ver com corrupção

por josé simões, em 02.11.18

 

pinochet.jpg

 

 

A direita radical que passou dias inteiros no Twitter e no Facebook a arremeter contra Baltasar Garzón pelo pedido de extradição de Pinochet, posteriormente cooptada na horda de "técnicos" e "especialistas" que inundou ministérios, secretarias de Estado e agências estatais avulso nos idos do Governo Passos/ Portas, é a mesma direita radical que exulta com a nomeação de Sérgio Moro ministro da Justiça de Jair Bolsonaro. Tire o cavalinho da chuva quem pensa que isto tem a ver com corrupção, isto tem a ver com ditadura e repressão.