Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O Correio da Manha * a ser correio da manha

por josé simões, em 17.03.21

 

CM.jpg

 

 

O PSD, que em Fevereiro tinha 24,7% nas intenções de voto e que um mês depois, Março do mesmo ano, tem 23,6%, uma queda de 1,1%, "afasta-se" do PS. O PSD não cai nas intenções de voto, nem o PS se afasta, é o PSD que se afasta. Na edição de conteúdo pago, a fazer a sua função para quem lê só as gordas. "O PS está em queda", li no correio da manha.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

* Correio da Manha, sem til

 

 

 

 

O fascismo ao colo da direita dos negócios

por josé simões, em 17.08.20

1.jpg

 

 

Os resultados dão o PS a subir, com 39.6% das intenções de voto e 113 deputados eleitos, o PSD a descer,  com 24.8% traduzidos em 67 assentos no Parlamento, o BE com 8.5%  e 16, deputados, a descer nas intenções de voto, a CDU, com 6.1% e 10 deputados eleitos também desce, à direita da direita do PSD todos a sobem, o CHEGA com 7.9% - 13 deputados, o CDS com 4.4% - 5 deputados, a IL com 2.8% - 3 deputados, e por fim o PAN, também a descer, com 3.2% e 3 deputados [aqui].

 

Mas os títulos são "Direita volta a alcançar PS nas intenções de voto", a subtileza da "[direita apanhar] o PS nas sondagens à boleia do Chega" e nunca que o PSD perde terreno para o PS e vê o eleitorado fugir para a direita, quando qualquer conta de merceeiro, com a 4.ª Classe feita e sem necessitar de grandes estudos, constata que a soma dos deputados da 'Geringonça' - PS + BE + CDU, dá 139 cadeiras no Parlamento, contra a soma do bloco de direita, com 88 deputados, sem sequer incluir as intenções de voto no PAN em qualquer dos lados - esquerda/ direita, maioria absolutíssima de esquerda.

 

E porque é que os títulos não são "Esquerda com maioria absoluta nas intenções de voto" ou "PS sozinho tem mais deputados que a direita em conjunto", o acento tónico é colocado entre a direita como um todo, contra o PS e ignorando os outros dois partidos de esquerda ou, no caso do Eco, se aposta na normalização do Chaga, depois da normalização levada a cabo por Rui Rio e Miguel Albuquerque? Agora pençem... [não é gralha, é como os minions do Ventas do Chaga escrevem nas redes].  

 

 

 

 

||| Pobres e mal agradecidos, é o que é

por josé simões, em 09.07.15

 

Zuerichs Strassen.jpg

 

 

Se, e segundo a agit-prop do Governo, Portugal é o país da União Europeia que mais cresce, se há mais empresas a abrir do que a fechar, o que não quer necessariamente dizer, e recorrendo a uma expressão cara a este Governo, empresas "a bombar", já que não nos é dito por quanto tempo é que as empresas abrem antes de tornarem a fechar e, como as empresas não podem falir ad eternum, tem de haver um ponto em que as empresas deixam de falir por já não haver mais "em stock" e portanto, a partir daqui, o saldo entre o deve e o haver só pode ser positivo, como e porque é que nos anseios do pagode para a nova legislatura surge, à cabeça, a criação de emprego pelo próximo executivo? Ou são pobres e mal agradecidos ou querem todos ter dois empregos para se empanturrarem em dinheiro, é o que é e só por si choca com a teoria vigente dos malandros do sul que não querem trabalhar.


[Imagem de Zuerichs Strassen]

 

 

 

 

||| Mitos urbanos

por josé simões, em 08.07.15

 

resposta.jpg

 

país.jpg

 

país_.jpg

 

prioridades.jpg

 

 

[Aqui]

 

 

 

||| O sentido de oportunidade do PCP nas moções de censura

por josé simões, em 26.05.14

 

 

 

E a clarividência política do Comité Central da Brigada Brejnev de Jerónimo de Sousa.

 

Mesmo que a sondagem não inclua o "fenómeno" Marinho e Pinto e o novo Livre de Rui Tavares, o Bloco-Lázaro-Central ressuscitado pelas mãos de Cavaco Silva, recuperado do abaixo de zero para onde os cidadãos o remeteram:

 

«Uma sondagem feita pela Intercampus para a TVI nas vésperas das eleições europeias tendo em vista as eleições legislativas dá uma escassa margem de quatro décimas de diferença entre o PS e o PSD. E mostra que PSD e CDS juntos valem mais dois pontos percentuais que o PS.»

 

A menos que o princípio orientador na Soeiro Pereira Gomes seja o "quanto pior [para o povo e para o país] melhor", na caminhada do PCP para ser Governo, quando os portugueses assim o entenderem, Jerónimo dixit. A menos?

 

[Imagem de Schekoldin]