Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

"Andam há 600 anos a aumentar os custos do trabalho"

por josé simões, em 07.05.19

 

 

 

"Andam há 40 a aumentar impostos"

 

[Imagem]

 

 

 

 

"Andam há 40 a aumentar impostos"

por josé simões, em 06.05.19

 

salazar.jpeg

 

 

Andam há 40 anos a aumentar impostos

 

 

 

 

O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 09.04.19

 

clown (3).jpg

 

 

"Todos os serviços do Estado são prestados por pessoas. Não sendo o Estado, por enquanto, proprietário de ninguém, então todos os serviços do Estado são prestados por privados."

 

Somos todos privados

 

[Imagem]

 

 

 

 

O partido do Twitter, no Twitter

por josé simões, em 24.03.19

 

Sem Título (5).jpg

 

 

No Twitter, o partido do Twitter, do menos Estado e mais iniciativa privada, sem explicar às pessoas, nem com um desenho, porque é que nenhuma empresa privada se propõe assegurar o serviço de transportes públicos entre Mortágua, vila com 1 153 habitantes, e Viseu, cidade com 68 000 habitantes.

 

Mas a questão do partido do Twitter, no Twitter, do mais iniciativa privada e menos Estado, é mais manhosa do que a banda-desenhada a que recorre para acções de demagogia pode fazer parecer. A questão são as palavrinhas mágicas "centralismo". O centralismo que põe Setúbal, 100 000 habitantes, e Lisboa, capital, 506 892 habitantes, a terem os seus transportes públicos e a sua mobilidade subsidiada pelos habitantes de Mortágua, os mesmos 1 153 que ainda conseguem financiar a saúde, a educação, a justiça, os serviços do Estado, escolas, finanças, posto de saúde, na sua vila...

 

A desonestidade intelectual do partido do Twitter, no Twitter, é uma coisa assaz reveladora.

 

 

 

 

Ler: "cortar na saúde, cortar na educação, cortar pensões e reformas, cortar no Estado social"

por josé simões, em 10.03.19

 

IL.jpg

 

 

Um bando de pantomineiros, suportado por uns quantos anjinhos e outros tantos totós, resolveu formar um partido e ir a votos. O mérito da coisa é o falarem verdade aos portugueses, dizerem ao que vêm, ao contrário daquele outro bando que tomou o PSD por dentro e governou o país durante uma legislatura, a  meias com o CDS, escondidos numa mentira.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Hakuna matata, o liberalismo é lindo

por josé simões, em 04.02.19

 

hiena.jpg

 

 

E depois temos o Iniciativa Liberal, um partido de banda-desenhada nascido nas "redes", contra o centralismo e o socialismo, contra o centralismo e o colectivismo, contra o centralismo e a carga fiscal, que vê um artigo de opinião do líder, Carlos Guimarães Pinto, contra o centralismo e o socialismo, contra o centralismo e o colectivismo, contra o centralismo e a carga fiscal, receber o endosso [em print screen por causa das moscas] da filha dilecta da cleptocracia corrupta angolana que em quase 50 anos de independência deixou o país em todos os índices abaixo da era colonial. Hakuna matata, o liberalismo é lindo.

 

[Imagem]