Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Para o infinito e mais além

por josé simões, em 23.08.22

 

deathbytoys.png

 

 

Num dia a secretária de Estado da Protecção Civil no telejornal "se considerarmos a severidade meteorológica, os algoritmos e dados dizem que a área ardida que deveríamos ter deveria ser 30% superior. Significa que apesar da complexidade, o dispositivo tem estado a responder bem", no dia a seguir a ministra da Presidência nas televisões que o Parque Natural da Serra de Estrela vai ficar melhor do que estava antes do incêndio

 

Onde é que fica a divisória, se a há, entre a silly season, a falta de noção, a incompetência?

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Inferno

por josé simões, em 14.08.22

 

Patricia de Melo Moreira.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Apocalipse 12:9

por josé simões, em 08.08.22

 

EFE.jpg

 

 

[Link na imagem. Título do post]

 

 

 

 

Inferno

por josé simões, em 20.07.22

 

Sem Título.jpg

 

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Riders on the storm

por josé simões, em 18.07.22

 

REUTERS-Jon Nazca.jpg

 

 

A helicopter fills with water as it works to extinguish a forest fire in Alhaurin el Grande, Spain, July 15, 2022. Reuters/ Jon Nazca

 

[Link na imagem]

 

 

 

 

Burn, Baby, Burn!

por josé simões, em 14.07.22

 

Rodrigo Antunes - Reuters.jpg

 

 

A Quinta do Lago a arder, um pinhal cuidado e ordenado, atapetado a relva e salpicado aqui e ali por palmeiras e mais um campo de golfe, era uma boa oportunidade, pelos vistos perdida, para entrevistar alguns condóminos que andam há décadas a falar-nos nas virtudes do eucaliptal ordenado, para entregar o ordenamento florestal da Quinta a uma celulose, como também defendem os mesmos residentes nos media desde sempre, ou ambas?

 

[Link na imagem "A plane flies over a wildfire in Ourem, Santarem district, Portugal, July 12. Reuters/ Rodrigo Antunes]

 

 

 

 

Portugal a arder, coincidências e copycats

por josé simões, em 15.08.19

 

Caroline Goessling.jpg

 

 

Por uma daquelas estranhas coincidências da vida o início do Verão coincidiu exactamente com o início da greve dos motoristas de transporte de matérias perigosas e, os incêndios que, em tempo fresco, estavam a todas as horas certas nos canais de notícias no cabo e a fazerem meia hora de abertura de telejornal nos canais em canal aberto, com repórteres de imagem em directo dos sítios mais recônditos do país onde nem o carro do Google Maps vai, pura e simplesmente desapareceram, Portugal deixou de estar a arder pela primeira vez nos últimos 20 anos, no mínimo.

 

Ou as televisões redireccionaram o histerismo mediático e com isso minimizaram o efeito copycat na floresta na exacta proporção em que o combustível desaparecia nas bombas de norte a sul do país?

 

[Imagem]

 

 

 

 

Agora por falar em "maioria absoluta"

por josé simões, em 03.08.19

 

presentandcorrect.jpg

 

 

Uma semana passada e o expert em agit-prop empossado ministro da Administração Interna continua a fingir não perceber o que [lhe] está a acontecer e a atribuir culpas à imprensa.

 

Golas? Tudo não passou de “uma polémica lançada por uma notícia falsa”, diz Cabrita

 

[Imagem]

 

 

 

 

A Voz do Povo

por josé simões, em 28.07.19

 

 

 

Ao balcão do café: "Nas próximas legislativas em vez de andar pela rua a distribuir chapéus, isqueiros, esferográficas, lápis, aventais, o PS vai oferecer kits de incêndio a sério"

 

 

 

 

Um pantomineiro na Administração Interna

por josé simões, em 26.07.19

 

David Black.jpg

 

 

António Costa, "o maravilhoso", "o optimista nato", "o fazedor de impossíveis", "o construtor de pontes", "o coise" assombrado pelos mortos de 2017 e com as eleições no horizonte de 2019, optou por um profissional da propaganda para o Ministério da Administração Interna sem perceber que tantos anos depois do 25 de Abril de 1974, quase tantos quantos o que António Costa, "o maravilhoso", "o optimista nato", "o fazedor de impossíveis", "o construtor de pontes", "o coise" leva de vida política, as pessoas não querem ver os cargos ocupados por marabalistas e chutadores para canto profissionais mas por competentes e profissionais que sabem dar a cara e assumir responsabilidades na hora e dizer "pedimos desculpa, metemos os pés pelas mãos, vamos de imediato corrigir e não se torna a repetir nunca mais, pelo menos enquanto eu [ele] ocupar este cargo". Se António Costa não percebe isto não percebe nada. Nem ele nem o ministro da propaganda a ainda viver no pior dos 80's da vida política nacional, só lhe falta um pin na lapela com a bandeira portuguesa. E alguém devia explicar a ambos o velho ditado português "quem brinca com o lume acorda mijado".

 

[Imagem]

 

 

 

 

O António Costa que se cuide

por josé simões, em 22.07.19

 

jn.jpg

 

 

Dizia na televisão um habitante do concelho de Mação que o fogo deste ano seguiu exactamente o mesmo trajecto seguido pelo fogo de 2017. Não é muito difícil prever qual vai ser o sentido do fogo no ano de 2021. E é assim de há vinte e tal anos a esta parte, desde que inventaram o "petróleo verde", que ia tirar as pessoas da miséria, sem nunca ninguém ter informado as pessoas que as pessoas que sairiam da miséria eram outras pessoas e que davam pelo nome de accionistas e proprietários das celuloses, enquanto o dinheiro dos nossos impostos anda em bolandas todos os verões para resgatar pessoas e bens vítimas do petróleo verde já que a bio-diversidade e o ambiente caminham irreversivelmente para a desertificação, a seguir à desertificação humana às mãos das más escolhas políticas.

Daí o interessante da sondagem saída hoje no Jornal de Notícias, um dia depois depois do presidente da Câmara de Mação ter vindo apontar o dedo ao Estado, ler "o Governo", pelo incêndio, o tal que faz exactamente o mesmo trajecto todos os anos em que há incêndios, e no dia em que o presidente da Câmara de Vila de Rei aparece a repetir o mesmo missal, o falhanço do Estado, ler "do Governo".É que daqui até às eleições de Outubro ainda há muito Verão pela frente e muita campanha suja  para fazer com préstimo impagável das televisões, todas no terreno sedentas de sangue e de miséria alheia.

 

 

 

 

O Estado e o Governo

por josé simões, em 19.02.19

 

portas-marialuis-passos.jpeg

 

 

Todos estamos lembrados, até os mais esquecidos, do tom ufano e triunfal com que éramos brindados, dia sim dia sim, com as declarações de Pedro Passos Coelho, Sérgio Monteiro, Paulo Portas, Maria Luís Albuquerque, Álvaro Santos Pereira aka o Álvaro, Assunção Cristas, Pedro Mota Soares, Luís Montenegro, João Almeida, Hugo Soares, Telmo Correia, Duarte Marques, Cecília Meireles, Teresa Leal Coelho, e perdoem-me os que ficaram esquecidos, sobre os méritos do Governo da direita radical em diminuir os custos das PPP para o bolso do contribuinte: O, The, Le, El Governo.

 

Afinal o fogo ardeu e consumiu vidas e bens e foi a miséria e a desgraça que se conhecem porque a "poupança para o contribuinte foi acordado entre o Estado, O, The, Le, El Estado e a Ascendi e nunca entre o Governo, O, The, Le, El Governo, e a concessionária, conforme Pedro Passos Coelho, Sérgio Monteiro, Paulo Portas, Maria Luís Albuquerque, Álvaro Santos Pereira aka o Álvaro, Assunção Cristas, Pedro Mota Soares, Luís Montenegro, João Almeida, Hugo Soares, Telmo Correia, Duarte Marques, Cecília Meireles, Teresa Leal Coelho, e perdoem-me os que ficaram esquecidos, amplamente badalaram, ao contrário do falhanço do Estado nos incêndios de 2017, sobejamente ilustrado com fotos e imagens dos ministros do PS, do Governo PS, do Governo socialista, do socialismo, resumidamente.

 

É assim que as coisas funcionam.

 

Pedrógão Grande: renegociação do contrato com o Estado durante a troika implicou redução da faixa de limpeza

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

A Fox News do militante n.o 1

por josé simões, em 31.01.19

 

sicn outdoor.jpg

 

 

A Fox News do militante n.o 1.

 

[Mupi da SIC Notícias, via].

 

 

 

 

Estamos conversados

por josé simões, em 20.07.18

 

Confrontado pela comunicação social com a notícia que dava conta do desvio de meio milhão de euros dos fundos constituídos pelos donativos do espírito solidário dos portugueses, destinados à reconstrução de casas de primeira habitação destruídas pelos incêndios de 2017, e que terão sido usados em casas não prioritárias, algumas abandonadas há décadas, recorrendo à chico-espertice da alteração da morada fiscal, Valdemar Alves, presidente da Câmara de Pedrógão Grande, ao invés de cortar a direito e anunciar que ele próprio ia pedir/ já tinha pedido, ao Ministério Público, à polícia, aos serviços da Câmara a que preside, uma investigação, com carácter de urgência, às suspeitas levantadas, atalha liginheirinho que é uma afronta, uma perseguição, que é tudo inveja, notícia encomendada pelos seus inimigos que têm mau perder. Estamos conversados.

 

 

 

 

Agit-prop

por josé simões, em 25.03.18

 

cristas almeida ávila.jpg

 

 

Diz a direita radical que o Governo andou um sábado inteiro em acção de agitação e propaganda pelo país. Até cronometraram o tempo do primeiro-ministro ao segundo.

 

[Imagem]