Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

|| Outros "embaixadores" que o dô-tôr Relvas pode encontrar no tubo

por josé simões, em 03.04.13

 

 

 

"Estava a ler o jornal de hoje e, de facto, estou a verificar que o nosso panorama político tem aspectos verdadeiramente deploráveis…

Tenho aqui a solução… O kit para políticos iniciantes… Este kit possibilita que um cidadão normal se inicie facilmente na grande aventura da política.

Este kit começa por mostrar que se podem tratar sérios assuntos políticos de forma alegre e divertida!

Ah, ah, ah, ah, ah! Ah, ah, ah, ah, ah!

Eu nunca pensei que uma pessoa se pudesse divertir tanto a fazer política!"

 

[Imagem "Zeitreise" by Oliver Rath, 2001]

 

 

 

 

 

 

|| O vendedor da banha da cobra

por josé simões, em 02.04.13

 

 

 

Sobre as políticas do Governo? Não sabe, querem é passar-lhe rasteiras, armadilhar-lhe o caminho, apanhá-lo por todos os lados.

Sobre as medidas de austeridade anunciadas por Vítor Gaspar? Façam-lhe perguntas para as quais tenha resposta.

Só sabe, e porque a mãe lhe disse, que é preciso estudar para passar de ano, e nem isso sabe. A realidade é tramada. Mesmo em tom de sinceridade.

"Bater punho, com força, com energia, com sagacidade". A sagacidade que lhe faltou para dispensar do currículo, que nunca apresentou, a etiqueta "descoberto por Miguel Relvas no tubo", o ministro que chegou a doutor sem estudar, e para quem trabalhou, sem sequer ganhar €100 por mês para as pipocas, na gula da visibilidade e dos contactos que pode adquirir.

Isto é mau demais para ser verdade.

 

 

 

 

 

 

|| A estupidez de Miguel Relvas não tem limites

por josé simões, em 18.02.13

 

 

 

O pai e a mãe gostavam de fado ou de música ligeira, os filhos de rock e/ ou jazz; o pai e a mãe vestiam clássico com ceroulas e camisa interior, os filhos jeans e a camisa interior do pai passou a t-shirt. Já nem falo nos cabelos. O choque de gerações esbateu-se com o cinema e a rádio, depois com a televisão, até as barreiras e os muros desaparecerem de vez por via da internet e da globalização. Morreu. É preciso, portanto, deitar mão a algo mais violento de modo ressuscitar o "morto" de modo a atiçar e assolar a chusma, dividindo, para reinar, a população entre novos e velhos, deserdados do sistema e privilegiados. Só que o argumentário, de tão estúpido que é, morre logo à nascença por via dos 40% de jovens desempregados estar a viver a expensas dos instalados do sistema, os pais, e os mais não sei quantos por cento de pais que vivem neste momento a expensas de outros privilegiados, os avós e as suas reformas, que depois de velhos e de uma vida inteira de trabalho voltam a ser outra vez pais que sustentam os filhos e os netos. Suponhamos, e seguindo o "raciocínio" do ministro da Propaganda, que os "instalados" e "privilegiados" deixavam de "travar todas as ambições" e davam o lugar aos novos, o que é que acontecia, os filhos, com os salários incomparavelmente mais baixos que os progenitores por causa do aumento das mais-valias da competitividade e emprego, a sustentar os pais e os avós e ainda mais os seus filhos?

 

A estupidez de Miguel Relvas não tem limites, assim como o seu argumentário maldoso e rancoroso.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Awesome

por josé simões, em 17.02.13

 

 

 

O Governo que clama pelo nomadismo da "mobilidade social" é o mesmo Governo que quer os jovens de volta à agricultura que foi onde e como começou a sedentarização.

 

[Imagem de Rimaldas Viksraitis]

 

 

 

 

 

 

|| O Verdadeiro Artista

por josé simões, em 17.02.13

 

 

 

«O desemprego jovem tira-me o sono»

 

[Imagem “A circus clown sits astride a donkey outside a tent, 1909”, autor desconhecido]