Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

O liberalismo explicado às criancinhas e outros analfabetos

por josé simões, em 17.10.21

 

British prime minister Margaret Thatcher covering

 

 

Baixar cêntimos ao imposto sobre os combustíveis num dia, tem como consequência os combustíveis aumentarem cêntimos, logo no dia seguinte, e assim sucessivamente até não haver imposto, nem encaixe que permite ao Estado financiar as suas funções essenciais, com a transferência dos cêntimos, vezes cêntimos até aos milhões, do bolso comum para a mais-valia privada.

 

[Imagem "British prime minister Margaret Thatcher covering her face with her hand at the 1985 Conservative Party Conference"]

 

 

 

 

Desviar o foco

por josé simões, em 18.11.18

 

carrinhos de choque.jpg

 

 

Mais manhosa que a manhosa justificação dada pelo manhoso Macron como desculpa para o aumento dos combustíveis - a transição energética, costumava ser a manha da direita radical, quando oposição, a apontar o dedo ao Governo e à carga fiscal sobre os combustíveis, como se o Estado social universal não vivesse de impostos, como se a saúde, a educação, as pensões e reformas, os ordenados do funcionalismo público, e até o resgate dos bancos  da excelência da gestão privada, não fosse tudo alimentado com o dinheiro do contribuinte. Comum a ambas é o nunca apontar o foco para onde ele devia estar apontado e que é para as mais-valias pornográficas a distribuir todos os anos pelos accionistas das petrolíferas.

 

[Imagem de autor desconhecido]

 

 

 

 

Qual foi a parte que eu não percebi?!

por josé simões, em 22.05.08

 

Primeiro, o Primeiro vem dizer que não vai baixar o imposto sobre os combustíveis, porque seria uma injustiça transferir para todos os contribuintes os custos inerentes ao aumento da gasolina e do gasóleo; nas bombas. Eu que pensava que se o imposto baixasse o Estado-esponja perdia uma importante fonte de receitas… Já agora alguém que me explique, se preciso for com um desenho, como é que baixar um imposto vai “castigar” os contribuintes.

 

Poucas horas depois, o mesmo Primeiro vem anunciar que vai congelar o preço dos passes sociais… por causa do aumento dos combustíveis!

Ora como por via das privatizações a Rodoviária Nacional já lá vai, implica que, para compensar este congelamento, as empresas que operam no sector sejam ressarcidas de eventuais prejuízos. Quem paga? O Estado. Como? Com o dinheiro de todos os contribuintes. Aqueles mesmos que não podiam ser penalizados se o imposto sobre os contribuintes baixasse.

 

(A campanha eleitoral vai entrando na velocidade de cruzeiro)