Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Condecorações (II)

por josé simões, em 06.02.07

 

Em post anterior, havia exprimido a minha indignação a propósito da condecoração do ex-Procurador Souto Moura, pelo Presidente da República, como reconhecimento pelos serviços prestados.

 

Souto Moura, para os mais distraídos, fez o papel dos maus árbitros de futebol, ao não perceberem que, os artista são os  jogadores e não eles, e acabam por destruir e adulterar o jogo. Souto Moura ao invés de resolver, foi ele o actor principal - e mau actor - em processos como o da Casa Pia ou  do famoso Envelope 9.

 

“Nem sempre se tem a noção da exigência pedida às pessoas que exercem cargos de tamanha relevância.”

 

Disse Cavaco Silva na cerimónia de entrega das condecorações, discursando de improviso; talvez um pouco comprometido e quiçá, ensaiando uma justificação para o injustificável.

 

A emenda saiu-lhe pior que o soneto ao inverter o ónus da questão. Souto Moura é que não teve a noção da exigência que lhe era pedida para um cargo de tamanha relevância; isso sim!

 

Condecorações

por josé simões, em 01.02.07

 

 

Na próxima segunda-feira, irão ser condecoradas com a Grã-Cruz da Ordem de Cristo, algumas personalidades da vida portuguesa que cessaram funções em 2006.

A condecoração é atribuída pelo Presidente da República, numa tradição de homenagear antigos titulares de órgãos de soberania e altos cargos públicos, por destacados serviços prestados ao país no exercício das suas funções.

 

Entre os homenageados encontram-se os três chefes militares que cessaram funções em 2006 e… o ex-Procurador Souto Moura.

 

(Sem comentários) – Era suposto este post terminar assim.

 

Sendo Cavaco Silva um reconhecido defensor da meritocracia – distinguir e premiar os melhores e os mais competentes – estranha-se o nome do ex-Procurador nesta lista.