Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Todo o poder aos pantomineiros!

por josé simões, em 19.03.19

 

Chester Higgins Jr.jpg

 

 

O mais interessante nesta ida de Pires de Lima para o Bank of America Merrill Lynch e de Adolfo Mesquita Nunes para a Galp é a contratação por empresas e grupos privados de agentes políticos e ex-governantes sem experiência na área nem curriculum para os cargos que vão ocupar e as funções que vão desempenhar, depois de terem passado a vida a vender-nos a ideia do supremo valor e da virtude da iniciativa privada e da urgência em aliviar o peso do Estado na economia, como se fossemos todos muito burros e ninguém percebesse o factor "porta giratória" e aposta a médio e longo prazo na inevitável alternância política governativa. Salazar era mais honesto, tinha o "condicionamento industrial".

 

[Imagem]

 

 

 

 

"enorme estranheza"

por josé simões, em 10.07.17

 

amnesia.png

 

 

O deputado social democrata Carlos Abreu Amorim veio esta noite, em nome do partido, numa conferência de imprensa no Porto, expressar uma “enorme estranheza pelo momento político em que as demissões destes secretários de Estado são conhecidas”.

 

 

A JSD de Braga não entende o facto de Hugo Soares, de Luís Montenegro e de Luís Campos Ferreira – todos deputados do PSD – terem viajado para ver o campeonato europeu de futebol a convite de Joaquim Oliveira, quando o PSD critica o pagamento de viagens do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, pela Galp.

 

[Imagem]

 

 

 

 

Mesmo no timming certo

por josé simões, em 10.07.17

 

Sem Título.png

 

 

A menos que venha aí uma gataria escondida com o rabo de fora estas demissões dos secretários de Estado fazem tanto sentido coma esta primeira de A Bola um ano depois.

 

 

 

 

É uma alegria

por josé simões, em 07.08.16

 

 

 

Temos assim três – 3 – três secretários de Estado que por ausência de coluna vertebral não se demitem nem são demitidos por falta de autoridade do primeiro-ministro, inibidos ou condicionados nas suas funções governativas, amnistiados da sua parolice e irresponsabilidade por um código de conduta a aprovar em Setembro. É uma alegria.

 

 

 

 

Guardar

Coisas absolutamente maravilhosas

por josé simões, em 05.08.16

 

colossalmedia.jpg

 

 

Não é o líder da JSD de Braga vir a terreiro criticar Hugo Soares, Luís Montenegro e Luís Campos Ferreira por terem terem viajado para ver o campeonato europeu de futebol a convite de Joaquim Oliveira [Olivedesportos], quando o PSD critica o pagamento de viagens do secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, Rocha Andrade, pela Galp, com um lapidar "não podemos apregoar um caminho e os nossos representantes fazerem o contrário. Não podemos pedir explicações ao secretário de Estado dos Assuntos Fiscais que vai ao Europeu a convite da Galp e ser surpreendidos pela intimidade do líder parlamentar [Luís Montenegro] e do seu primeiro vice-presidente, Hugo Soares, com interesses empresariais. Não podemos condenar politicamente o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, quando o nosso líder parlamentar e o seu primeiro vice-presidente Hugo Soares aceitam participar em viagens de amigos, não dignificando e honrando as funções que exercem. Este caso é uma verdadeira pouca vergonha que não podemos aceitar de modo algum", não.


O que é absolutamente maravilhoso é, pelo meio da rabecada dada, Firmino Vila Verde Costa ter metido o primeiro-ministro no exílio ao barulho com um "o país espera mais do PSD e o líder do partido, Passos Coelho, não merece, pelo esforço que fez pelo país, este tipo de demonstrações", confirmando os zum-zuns que dão conta da crescente divisão dentro do partido, das margens cada vez mais apertadas para Passos Coelho, enquanto a bancada para lamentar [não é gralha] lhe vai minando o caminho.


[Imagem]

 

 

 

 

Em pequenino não conta

por josé simões, em 04.08.16

 

Lego_Plane.jpg

 

 

[...] o Governo aprovará antes do fim de Setembro um Código de Conduta para governantes e altos responsáveis da administração pública que terá uma norma "taxativa" sobre a aceitação de ofertas.


[Imagem]

 

 

 

 

Em roda livre

por josé simões, em 04.08.16

 

 

 

António Costa está de férias? Se não for pedir muito António Costa pode interromper as férias, correr com os Andrades da Galp para fora do Governo, meter a canalha na ordem e tento na língua?


E depois ficámos todos a saber que no Governo, no PS, no Bloco e no PCP, não necessariamente por esta ordem, há quem perceba muito de leis e ainda há quem perceba mais ainda do espírito da lei mas, e aqui é que a porca torce o rabo, ninguém percebe nada de política, porque, e a perceberem da dita, aproveitavam esta oferta de bandeja do Andrade da Galp para arrepiar caminho e fazer marcha à ré com o Sol e a paisagem no IMI, com anti-corpos transversais à sociedade e com a primeira amostra do que aí vem na primeira página do Correio da Manha [sem til], eram dois coelhos com uma cajadada.


Assim temos a esquerda a dar argumentos de direita à direita para que a direita se aproveite da fraca memória e do tempo que tudo cura. É um espectáculo muito triste de se ver.

 

 

 

 

Guardar

Ética Republicana

por josé simões, em 03.08.16

 

ascenso simões twitter.png

 

 

[Twitter]

 

 

 

 

Guardar

||| É assim que a coisa funciona

por josé simões, em 16.05.14

 

 

 

Primeiro vem um ministro esclarecer, desvalorizando a "inverdade" com uma mentira. Quase sempre o ministro câmara de eco, Luís Marques Guedes, quando as notícias são péssimas, sempre o vice-primeiro-ministro botões de punho-pepsodent, Paulo Portas, quando a mentira tem uma base de verdade. Depois, quando a verdade vem à tona, já é tarde demais porque, o esclarecimento, da "inverdade" com a mentira ou da mentira com uma base de verdade, já passou em todas as rádios e em todas as televisões a todas as horas certas em todos os telejornais e em todos os blocos noticiosos e há sempre as alminhas de boa-fé que ouviram a verdade a que temos direito mas que já não ouvem a verdade ela própria porque nem sequer passa na comunicação social, ela própria câmara de eco do ministro câmara de eco.

 

[Imagem de Chris Goennawein]

 

 

 

 

 

 

|| O embuste das "reformas estruturais"

por josé simões, em 20.07.13

 

 

 

Irreversíveis no futuro, como diz o senhor Carlos dos óculos.

 

«Combustíveis explicam dois terços do aumento das exportações este ano»

 

 

 

 

 

 

|| "Hoje é a primeira vez que aqui venho desde a última vez que aqui estive"

por josé simões, em 05.04.13

 

 

 

Desde os idos de Américo de Deus Rodrigues Tomás que não tínhamos um Presidente da República que só vê a luz do dia para inaugurar fábricas e medalhar peitos no 10 de Junho.

 

«A minha boa vontade não tem felizmente limites. Só uma coisa não poderei fazer: o impossível. E tenho verdadeiramente pena de ele não estar ao meu alcance.» Mai’ nada!

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Capitalismo de Estado à portuguesa

por josé simões, em 24.08.10

 

 

 

 

Resumindo e concluindo: no final do ano, quando for apresentado o relatório e contas, vamos ficar todos a saber que a acrescentar aos lucros já de si astronómicos a dividir pelos accionistas e para pagar os salários e demais mordomias aos senhores Mexias, 522 milhões de euros foram "generosa" contribuição do contribuinte, sem que tenha visto reduzida a factura a pagar no final do mês e ainda que continue a pagar a electricidade mais cara do que o vizinho espanhol.

 

 

 

 

 

 

Um monopólio muito "peculiar"

por josé simões, em 16.09.08

 

Depois de ler n' O Jumento um post intitulado As Explicações do Presidente da Galp, lembrei-me que na altura, as "explicações" além de não me convencerem minimamente, deixaram-me desconfiado da honestidade das mesmas.

 

Principalmente aquela parte em que o senhor diz que apesar da Galp deter o monopólio das duas únicas refinarias existentes em Portugal, isso não tem a mínima influência no preço final do combustível, porque a Galp recebe combustíveis de vários fornecedores (!!!).

Que por acaso – digo eu – e só por acaso, continuam a baixar o preço do combustível que a Galp compra...

Mas isso sou eu, que não percebo nada de economia, a falar.