Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Que filhos da puta, benza-os Deus!

por josé simões, em 15.02.19

 

bola.jpg

 

 

Os mesmos comentadeiros, que são aqueles tipos que dantes estavam na taberna a discutir a linha do mister antes e o penálti mais o fora-de-jogo depois e que agora passaram para as televisões e ainda recebem do taberneiro para beber o vinho que pagavam e que os mete a delirar um serão inteiro que ao menos as tabernas fechavam às 10 da noite, que asseguravam o suicídio do Benfica com a irresponsável convocatória de Lage para a Turquia, deu tudo contra o Nacional no nacional e despreza os otomanos na Europa, WTF??? a prioridade é ser campeão, já se mentalizou que nas uéfas não tem hipóteses nem tem plantel, e como é que os putos se vão comportar perante o inferno na terra que é 50 mil turcos que conseguem estar um jogo inteiro a fazer barulho e que nem no intervalo se calam [se calhar a falta de sexo explica isto],  eram os mesmos comentadeiros que terminado o jogo batiam palmas e entoavam hosanas à ousadia do treinador do Benfica, ao conhecimento do plantel e aos valores seguros que o Benfica tem no Seixal, um treinador que aposta no produto nacional e o caralho, CLAP! CLAP! CLAP!, uns miúdos com grande personalidade e carácter e espírito competitivo que não se deixaram intimidar pelos urros vindos das bancadas, CLAP! CLAP! CLAP! outra vez, alguns com alguma, pouca mas alguma, noção do ridículo e com a memória das merdas que tinham dito 90 minutos antes ainda ensaiaram um "não foi o Benfica que jogou bem, foi a Galatacoise que esteve uns furos abaixo do que nos habituou", "lembram-se do Galatacoise dos anos 90, lembram-se?", exactamente, ir buscar o há 20 anos... também nos nos lembramos do Benfica de Eriksson e se calhar alguns até se lembram do Benfica do Bella Gutman para comparar com o Galatacoise. 

 

Que filhos da puta, benza-os Deus!