Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

Portugal dos pequenitos

por josé simões, em 18.06.20

 

samar baiomy.jpg

 

 

O nacional-parolismo de um Presidente da República que convoca um Conselho de Ministros extraordinário para o palácio presidencial, com a presença dos representantes do pontapé-na-bola nacional, para celebrar a conquista de uma final da Champions na capital, e com a exaltação de um dos instrumentos da meritocracia nacional de uso corrente - a cunha, o presidente da Federação é vice na UEFA e o organizador da prova um tuga de gema, Marcelo dixit, o edil Medina aplaude, a companhia aérea de bandeira já está a bombar às portas de Portugal enquanto sobrevoa a paisagem.

O nacional-parolismo do primeiro-ministro que a dedica aos profissionais de saúde, "um prémio merecido" por se terem sacrificado, a vida, a família, as férias, as folgas e os tempos livres, na luta contra a pandemia em defesa da saúde pública, amanhã as pitonisas do Costa explicam a relação entre uma coisa e outra, entre o dever do distanciamento social e manadas de hooligans a consumir álcool e a cuspirem-se uns aos outros;

A nacional-irresponsabilidade da Direcção-Geral de Saúde, convertida em Direcção-Geral do Poder Político, "quantos mais visitantes, melhor será para o país", que venham muitos, os civilizados da bola, que já fechámos os bares do Jamaica e andamos em cima de festas privadas e ajuntamentos nas ruas com pessoas que não sejam da mesma família.

 

Do que é que nos queixamos concretamente?

 

[Imagem]

 

 

 

 

||| ¡Madrid me mata!

por josé simões, em 24.05.14

 

 

 

Visto daqui, uma equipa com os nomes e os números dos jogadores impressos nas camisolas num sucedâneo de Comic Sans viu-se e desejou-se para levar de vencida uma equipa treinada por um Tom Waits look a like. Podia ser um poema de William Blake mas foi futebol.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| A jangada de pedra

por josé simões, em 24.05.14

 

 

 

Lisboa, capital da Ibéria. Desde os idos de 1580 que não se via nada assim.

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

||| Liga Europa

por josé simões, em 14.05.14

 

 

 

[Via]

 

 

 

 

 

 

||| Tu, pela tua rica saudinha!

por josé simões, em 14.05.14

 

 

 

[Imagem]

 

 

 

 

 

 

|| Sinais

por josé simões, em 26.05.13

 

 

 

Que se passam para dentro do campo, para a equipa, para a bancada.

Quando em jogos decisivos se mete a equipa jogar contra natura, à defesa; quando se está a ganhar por um e se troca o avançado pelo defesa que nem sequer tem ritmo de jogo nas pernas; quando se adapta um defesa central a defesa esquerdo com defesas esquerdos no plantel que nem sequer são convocados; quando se tem um guarda-redes promessa e se faz uma época inteira com a baliza à guarda de um guarda-redes da loja do chinês; quando, em desespero de causa, se lançam foras de série nos últimos 10 minutos de jogo depois de uma época inteira no banco; quando Cardozo, el cepo, faz ao minuto 94 da final da Taça de Portugal a melhor jogada desde que está ao serviço do SL Benfica.

 

 

 

 

 

 

 

|| Arde no Inferno!

por josé simões, em 15.05.13

 

 

 

E como se não bastasse o que basta ainda em riscos de contrair o "The Peseiro Syndrome".

 

[Béla Guttmann na imagem]