Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

DER TERRORIST

"Podem ainda não estar a ver as coisas à superficie, mas por baixo já está tudo a arder" - Y. B. Mangunwijaya, escritor indonésio, 16 de Julho de 1998.

||| O crime que deveria tirar o sono a Blatter

por josé simões, em 03.06.15

 

footballfans__qatar_2022.jpg

 

 

«O jornal americano The Washington Post fala nos 150 milhões de dólares do escândalo da FIFA que levaram, ontem, à demissão de Sepp Blatter. Mas fala também num número mais modesto e que é o que aqui me traz. Entretanto, deixem-me lembrar algumas balizas, para ajuizarmos: mortos nas obras dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008: seis; no Mundial de Futebol da África do Sul, 2010: dois; nos JO de Londres, 2012: um; no Mundial do Brasil, 2014: dez. Assim, desde 2008, nos dois maiores acontecimentos desportivos, Mundial de Futebol e JO, em países tão diversos - e da Ásia, África, Europa e América -, a diferença vai de um a dez mortos. Um morto é sempre uma tragédia, nunca é uma estatística, disse um dos maiores assassinos da história, José Estaline. Mas em obras tão grandes e longas a diferença tão curta, de um morto (Londres) a dez (Brasil), é quase irrelevante e pode ser explicada por acidentes. Quer dizer, consequência do acaso. Portanto, não previsível por quem decidiu a escolha daqueles lugares... Acabo, agora, as balizas para ajuizarmos o que se segue. Passo ao tal número do The Washington Post. Mais modesto e bem mais tremendo. Mortos nas obras, desde que o Qatar foi escolhido, em 2010, para realizar o Mundial de 2022: 1200. Leram bem, mil e duzentos. E ainda faltam sete anos de obras, mas fiquemos pelos já mortos. 1200. Um número destes não é acidente. Não é imprevisível. E atacam Blatter pelo mero roubo de 150 milhões...»


[Imagem]

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 31.05.15

 

Der Spiegel.jpg

 

 

A capa do Der Spiegel

 

 

 

 

||| Da série "Grandes Primeiras Páginas"

por josé simões, em 28.05.15

 

libération.jpg

 

 

A primeira página do Libération

 

 

 

 

||| Qatar 2022

por josé simões, em 26.05.15

 

1 quatar-world-cup-2022-human-rights-abuse-brand-s

 

2 quatar-world-cup-2022-human-rights-abuse-brand-s

 

3 quatar-world-cup-2022-human-rights-abuse-brand-s

 

4 quatar-world-cup-2022-human-rights-abuse-brand-s

 

5 quatar-world-cup-2022-human-rights-abuse-brand-s

 

 

[Mais]

 

 

 

 

||| FIFA World Cup – Rússia 2018

por josé simões, em 13.07.14

 

 

 

Está na hora de começar a campanha pelos direitos, liberdades e garantias.

 

 

 

 

 

 

|| A lição de Mourinho

por josé simões, em 10.01.11

 

 

 

 

 

Quando não há cão nem gato, leia-se agente político e/ ou económico, que mesmo não percebendo nada de futebol, e quiçá de economia e política, não venha encher a boca - porque é popular e como é popular lhe dá jeito - com a liderança e o sucesso e o exemplo de Mourinho, a lição de Mourinho, em directo para a plateia global, é dada em português e não em portunhol ou em inglês das docas.

 

 

 

 

 

 

 

|| The Million Dollar Question

por josé simões, em 14.12.10

 

 

 

 

 

Qual é a relação que existe entre a mulher que é chicoteada em plena via pública perante as gargalhadas da assistência pelo “crime” de usar calças e as declarações do presidente da FIFA sobre os homossexuais e o Mundial de 2022 no Qatar?

 

(Imagem fanada no Times)